Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Mais humor, menos motor

» Em Milagro Sala, encarcera-se a Argentina indígena

» Pistas para um Brasil pós-golpe

» Para rever a dialética do escravo e do senhor

» Polícia para quem?

» O Blockchain contra a ditadura das finanças

» Uma palavra por Lula

» Facebook e seu novo algoritmo: a distopia total

» Facebook e seu novo algoritmo: a distopia total

» Facebook e seu novo algoritmo: a distopia total

Rede Social


Edição francesa


» La défaite programmée des syndicats allemands

» Sens et enjeux de la mobilisation étudiante contre la loi Devaquet

» Jeter les bases d'une information éthique

» L'humanisme, dernier rempart contre la barbarie

» Le meilleur des mondes selon Washington

» Pleure, ô Zimbabwe bien-aimé

» L'autre Amérique

» « Il ne peut y avoir de paix avant l'avènement du Messie »

» Bataille pour la terre au Zimbabwe

» L'exigence laïque du respect mutuel


Edição em inglês


» The world according to Trump

» Special Ops at war

» Mapping a world from hell

» Honeybees for hire

» Honeybees for hire

» The buzz fades

» Fabricating a war on Iran

» Food's Disneyland

» Food's Disneyland

» Germany alone within the EU


Edição portuguesa


» Edição de Janeiro de 2018

» Recuperar os CTT

» O alvo iraniano

» O eixo Washington-Riade-Telavive

» Edição de Dezembro de 2017

» O Orçamento, o presente e o futuro

» Guerras de religião

» Assinatura de 6 meses: só €18

» Edição de Novembro de 2017

» O Estado e as catástrofes normais


Armas Biológicas e Químicas

As novas armas biológicas

Um relatório da Associação Médica Britânica alerta: indústrias e governos podem explorar os avanços da genômica e da biologia para desenvolver fármacos que provocam colapso dos processos vitais — ou produzem soldados sem medo e sem memória. EUA, Europa e China seriam a vanguarda desta corrida para a morte

Steve Wright
8 de agosto de 2007

A falsa retórica da classificação das armas

A distinção entre armas convencionais de destruição de massa é, do ponto de vista médico, odiosa e infundada. No atual contexto de conflitos assimétricos, armas de alta tecnologia matam como as convencionais, os embargos e as ações terroristas

Chantal Bismuth, Patrick Barriot
1º de maio de 2003

Cumplicidades

Em 1983, os dirigentes norte-americanos sabiam, graças à missão de Donald Rumsfeld, que o exército iraquiano utilizava armas químicas. Sem levar isso em consideração, forneceram uma ajuda de vários tipos – inclusive militar

Eric Rouleau
1º de fevereiro de 2003

Uma Convenção recente

Nada é tão fácil dissimular quanto alguns dos ingredientes de uma arma química, seja fabricando-os em lugares separados ou montando-os, clandestinamente, no último momento

Any Bourrier
1º de julho de 2002

Golpe químico made in USA

A independência e a obstinação em cumprir com suas obrigações de inspecionar usinas químicas, principalmente norte-americanas, do diplomata brasileiro José Maurício Bustani, que dirigia a Opaq, foram longe demais para G. W. Bush

Any Bourrier
1º de julho de 2002

O napalm ainda mata

As operações de guerra química, com a utilização do napalm, começaram em 1961 com a aprovação do presidente John Kennedy, e foram progressivamente intensificadas até atingirem seu ponto culminante em 1965

Shofield Coryell
1º de março de 2002

A ameaça da guerra bacteriológica

Embora apoiando a Convenção sobre Armas Biológicas, o presidente Clinton sucumbiu às pressões das indústrias biotecnológicas e farmacêuticas. Em resumo, somente uma fração das instalações de defesa biológica norte-americanas podia ser inspecionada

Susan Wright
1º de novembro de 2001

Palavras-chave no mesmo grupo
[temas permanentes]

Outros grupos de palavras-chave

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel