Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» O Brasil na era das cidades-condomínio

» Cuba: reinvenção ou arranjo burocrático?

» O Banco Central nas mãos da aristocracia financeira

» Inteligência Artificial, novo pesadelo?

» Inteligência Artificial, novo pesadelo?

» Uma possível era pós-Lula

» Arábia, para pensar o Brasil

» Boaventura: da Ilha de Maré a outro mundo possível

» Polêmica: em defesa de Sérgio Buarque

» Polêmica: em defesa de Sérgio Buarque

Rede Social


Edição francesa


» Le libéralisme autoritaire

» Cette impardonnable exception française

» Les armes chimiques et bactériologiques font peser un risque sur la sécurité des populations

» La résistance des Parisiens aux projets immobiliers

» La très réelle politisation des hauts fonctionnaires

» Des réservoirs de pensée ?

» La filière française

» Libre circulation des données et barrières nationales

» L'Europe à la croisée des réseaux

» Depuis quarante ans crises et détentes se succèdent dans les relations russo-turques


Edição em inglês


» Authoritarianism as usual

» Sylvie Laurent on recovering the true legacy of Martin Luther King

» A tale of American hubris

» A new age of sea power?

» Can the Internet be saved?

» Could the Cold War return with a vengeance?

» Big Brother isn't watching you

» Michael Klare on Trump's new nuclear age

» Fukushima: seven years on

» The Russians are still coming


Edição portuguesa


» Cuba quer o mercado… sem capitalismo

» Como assinar o Le Monde diplomatique - edição portuguesa

» O duplo desafio da esquerda brasileira

» No Brasil, a crise galvaniza as direitas

» Edição de Abril de 2018

» Licença para matar

» A obsessão do défice

» «Maioria Absoluta»: onde há poder, há resistências

» Recibos verdes: finalmente um primeiro passo para uma verdadeira Segurança Social

» De que é que têm medo e de que é que temos medo?


Ascensão da China

Incerta primavera chinesa

Longe dos holofotes da mídia ocidental, fervilham movimentos pela democracia, no país mais populoso do planeta. Não questionam o regime, nem reivindicam eleições diretas. Querem direitos, liberdades e distribuição de riquezas. Obstáculos: os poderes locais e os que lucram com a desigualdade

Jean Louis Rocca
15 de agosto de 2008

Beijing redescobre a questão social

Uma nova lei de incentivo ao emprego chama atenção para o quebra-cabeças em que se transformou o mundo do trabalho na China. A "oficina do mundo" já oferece salários melhores, mas convive ao mesmo tempo com desemprego em massa e informalidade

Jean Louis Rocca
19 de maio de 2007

Outras lentes para a China

Polêmica: filósofo francês julga que é redutor enxergar a sociedade chinesa a partir dos conceitos de Liberdade e Indivíduo; e crê que as críticas à suposta repetição do projeto ocidental enxergam apenas uma parte da verdade

François Jullien
20 de outubro de 2006

Washington aposta na Índia

Por que a Casa Branca oferece a Nova Délhi um acordo atômico que contraria toda sua retórica anti-proliferação nuclear? O que leva o governo indiano, uma coalizão que inclui os comunistas, a flertar com Bush?

Christophe Jaffrelot
12 de setembro de 2006

Encruzilhada chinesa

Um país cada vez mais próspero e poderoso; uma sociedade ameaçada pela desigualdade e pela cópia dos padrões ocidentais. As contradições da China multiplicam o número de pequenos protestos e levam a elite intelectual a se perguntar sobre o futuro

Martine Bulard
1º de janeiro de 2006

Novas cartas asiáticas

Potência em ascensão no Oriente, a China estimula um encontro regional sem a presença dos EUA – o primeiro, em décadas. Mas haverá novidade nas relações sociais estimuladas por Pequim?

Jean-Claude Pomonti
1º de dezembro de 2005

O desembarque em Tóquio

O Japão é o novo alvo de investimentos das grandes empresas chinesas. Motivada pela busca de tecnologia, compra de empresas nipônicas começou há quatro anos, cresceu 400 vezes e desperta temores no arquipélago

Odaira Namihei
1º de novembro de 2005

A China sacode a ordem mundial

Com uma diplomacia bastante flexível, a China busca construir as condições para um mundo multipolar e para se firmar como referência asiática

Martine Bulard
1º de agosto de 2005

Conflitos e convergências

Nas relações entre China e Índia, competições no campo diplomático e econômico ainda são barreiras à convivência pacífica

Martine Bulard
1º de agosto de 2005

A China contra a China

A “lei anti-secessão”, que autoriza Pequim a “utilizar meio não pacíficos” contra Taiwan, caso as autoridades da ilha optem pela independência, aprofunda a tensão no Estreito de Formosa e entre suas potências regionais: a China e o Japão

Ignacio Ramonet
1º de abril de 2005

A sorte do dólar se decide em Pequim

A cotação do dólar e a gravidade do déficit comercial dos Estados Unidos, país que compra 50% a mais do que vende para o exterior e mantém inabalável seus vultuosos gastos militares, dependem em grande parte das orientações dos dirigentes chineses

Ibrahim Warde
1º de março de 2005

A reinvenção da Ásia

Para dar sentido à identidade asiática, é preciso transcender o nacionalismo e superar a dicotomia ocidente versus oriente, numa nova visão da história mundial

Wang Hui
1º de fevereiro de 2005

A Ásia de volta à cena mundial

A recente trajetória ascendente da China recupera a posição de destaque já ocupada pelos países asiáticos antes da devastadora colonização ocidental

Philip S.Golub
1º de outubro de 2004

O saque do Palácio de Verão

Em sua Carta ao Capitão Butler, Victor Hugo condena uma das maiores pilhagens promovidas pelo Ocidente: o saque ao Palácio de Verão chinês, em 1860, quando as forças anglo-francesas ocuparam Pequim

Victor Hugo
1º de outubro de 2004

A diplomacia pragmática

A condução da política externa chinesa mostra pragmatismo na relação com os Estados Unidos e na defesa dos interesses nacionais

Dingli Shen
1º de outubro de 2004

As incertas mutações da economia

Apesar dos números pujantes, a economia chinesa padece de uma falta generalizada de transparência que já causou vários escândalos e depende, em certa medida, da América de George W. Bush para manter seu crescimento

Lyes Si Zoubir
1º de outubro de 2004

O impulso por trás do dinamismo chinês

O nacionalismo modernizante do PCC - mais do que sua roupagem ideológica comunista - associado à grande vitalidade de sua sociedade explicam porque a China tornou-se o único país capaz de rivalizar com os Estados Unidos no futuro

Roland Lew
1º de outubro de 2004

Guerras do ópio e a impotência do Império

Interessada em abrir o mercado chinês para seus produtos e reverter a balança comercial a favor do Ocidente, a Inglaterra apelou para o uso do ópio, que, proibido na China, havia sido introduzido fraudulentamente no país, expondo a vulnerabilidade do Império do Meio

Alain Roux
1º de outubro de 2004

Quem não bebe chá pode ser chinês?

Na China, o chá está classificado há um milênio entre as sete necessidades da vida cotidiana, no mesmo nível da lenha, do arroz, do óleo, do sal, do molho de soja e do vinagre. Para esse povo, a história do chá está ligada à identidade nacional

Nicolas Zufferey
1º de outubro de 2004

China, a megapotência

“No dia em que a China acordar...”, dizia-se antigamente, deixando no ar a idéia de uma ameaça gigantesca sobre o planeta. Hoje temos plena consciência de que aquele imenso país, de fato, acordou. E é importante questionar as conseqüências que seu impressionante despertar pode ter para o mundo todo

Ignacio Ramonet
1º de agosto de 2004

China, o “dragão asiático”

O recente coro de vozes norte-americanas contra a China confirma que este país torna-se, cada dia mais, o epicentro de um possível bloco regional asiático

Philip S.Golub
1º de outubro de 2003

Os silêncios diplomáticos

Após três décadas subordinando sua política estrangeira ao seu pragmatismo econômico – “o desenvolvimento representa a última instância da verdade”, dizia Deng Xiaoping – a China não é, atualmente, o país que parece: é um tigre de papel

Fu Bo
1º de março de 2003

As atribulações de um camponês

Le Monde diplomatique publica, nesta edição, um conto inédito do escritor chinês Xu Xing. Trata-se da história de um jovem camponês que, chegando à cidade, vê-se frente a frente com o mundo insólito do capitalismo selvagem

Xu Xing
1º de agosto de 2002

Palavras-chave no mesmo grupo
[temas atuais]

Outros grupos de palavras-chave

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel