Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 19 de outubro de 2021

» As surpreendentes maternidades insubmissas

» Como desmontar a Ciência e Tecnologia brasileiras

» Caminhos para retomar a Petrobrás

» Smart cities: Salvador e as novas faces da segregação

» 18 de outubro de 2021

» Dowbor: Desigualdade

» O emprego que virou suco

» Medicina e a cura de um Brasil em frangalhos

» 15 de outubro de 2021

Rede Social


Edição francesa


» Droit du travail : l'ère des « jugements automatiques »

» Mes vacances en Terre sainte

» Les bonnes recettes de la télé-réalité

» Mme Michèle Alliot-Marie emportée par la foule

» Jusqu'où obéir à la loi ?

» Ces « traîtres » qui sauvèrent l'honneur de la France

» A la recherche d'un destin commun en Nouvelle-Calédonie

» L'école algérienne face au piège identitaire

» Envoyés spéciaux de la guerre d'Espagne

» La ballade des prétendus


Edição em inglês


» Taiwan at the heart of the US-China conflict

» October: the longer view

» What do we produce, and why?

» Hunger in France's land of plenty

» In search of a good food deal

» Georgia's love-hate affair with Russia

» Latin America faces tough choices

» Recognising the PRC

» Behind bars: resisting the Turkish state

» Taiwan strengthens ties with the US


Edição portuguesa


» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul

» Edição de Agosto de 2021

» Ditadura digital

» Desigualdades digitais


El Salvador

El Salvador respira dólares

Cerca de dois milhões de salvadorenhos migraram, especialmente para os EUA. As remessas recebidas de parentes no exterior chegam a representar 30% da renda, em certas regiões. Nelas, faltam braços para a lavoura: os salários não competem com o dinheiro que vem de fora...

Raphaëlle Bail
21 de dezembro de 2006

Por trás da violência das gangues de San Salvador

Produto de exportação da cultura norte-americana, jovens delinqüentes salvadorenhos, sem perspectiva de vida, se espalham pela periferia de San Salvador, se dedicando a pequenos crimes e, sobretudo, a uma guerra cujo único objetivo é destruir a gangue rival

Phillippe Revelli
1º de março de 2004

As guerras de Kapuscinsky

Autor de obras marcantes, como ’Imperium’ e ’Ebano’1 , novo livro do famoso jornalista polonês narra a incrível e ridícula guerra entre Honduras e El Salvador causada pelos tumultos ocorridos durante as eliminatórias da Copa do Mundo, em 1969

Claude Wauthier
1º de julho de 2003

FMLN contra FMLN

Na Frente, as reações divergem, conforme as correntes – revolucionária socialista (CRS, também chamada “ortodoxa”), renovadora, unionista (ligada à unidade do movimento), cada uma delas com um nome identificando a sua ideologia

1º de março de 2002

Dez anos de legalidade

Até o início da década de 80, existiam em El Salvador várias organizações guerrilheiras. A partir de 1981, unificaram-se na Frente Farabundo Martí de Libertação Nacional (FMLN), para saírem da clandestinidade em 1992

1º de março de 2002

Quando a ex-guerrilha governa a capital

Dez anos depois de deixar as armas, a FMLN transformou-se na maior força do Parlamento e é forte candidata à Presidência. Já governa San Salvador, onde enfrenta a pobreza, o boicote do governo federal e suas próprias contradições internas

Karim Bourtel
1º de março de 2002

Palavras-chave no mesmo grupo
[países]

Outros grupos de palavras-chave

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel