Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Na Venezuela, a oposição adota o terror

» Rumo à agricultura do medo?

» Boaventura debate Revolução, Democracia e o Brasil

» Meio cheio ou meio vazio?

» Que importa que o crítico resmungue?

» Hora de enfrentar Facebook e Google?

» Contra a crise, o possível pós-capitalismo local

» Como Foucault e Agamben explicam Bolsonaro

» “Liberais” — até a página dois…

» Homem em chamas na Venezuela

Rede Social


Edição francesa


» La Yougoslavie, banc d'essai de la nouvelle Europe ?

» Bernard-Henri Lévy enragé contre « Le Monde diplomatique »

» Le talon d'Achille du nucléaire français

» Multiplication des opérations militaires autour du Sahel

» Dégringolade

» Revenu garanti, l'invité-surprise

» L'Allemagne et les réfugiés, deux ans après

» Portes ouvertes au secteur privé

» Le Maghreb entre autoritarisme et espérance démocratique

» Avec la guérilla des FARC, en attendant la paix


Edição em inglês


» Empire of destruction

» A Fairy tale from 2050

» The demolition of U.S. global power

» Preparing for doomsday

» Growing my way out of dystopia

» The insult wars in Washington

» The enemy of my enemy Is my...?

» The politics of no politics

» Picking a quarrel with Qatar

» Being Arab in Latin America


Edição portuguesa


» Míopes ou maldosos?

» Edição de Julho de 2017

» O síndrome da nêspera

» Embustes democráticos

» Edição de Junho de 2017

» Segurança na reforma começa no emprego

» Os anos loucos

» Colonialismo português: excepção ou barbárie?

» Os genes do euro e as vacas que não voam

» Agitação anti-sistema na Europa e nos Estados Unidos


Islamismo

Por que o Ocidente despreza o Islã

Nas simplificações grosseiras sobre o mundo árabe, a vítima oculta somos nós mesmos. Ao projetarmos sobre o outro nossa visão de atraso, intolerância e fundamentalismo, não enxergamos como estão sob ameaça os melhores valores de nossa civilização

Cláudio César Dutra de Souza, Sílvia Ferabolli
29 de outubro de 2007

Takfirismo, ideologia messiânica

Cada vez mais influente na Al-Qaeda, doutrina prega Estados islâmicos ultra-ortodoxos, volta-se contra os árabes moderados e o xiismo e chega a relativizar combate ao ocupante estrangeiro

Syed Saleem Shahzad
8 de agosto de 2007

Generosidade ou cinismo?

Bizarro projeto: a pretexto de construir, em Jerusalém, um "Museu da Tolerância, o Centro Simon Wisenthal pretende profanar o cemitério mais sagrado dos muçulmanos na Palestina

Amnon Kapeliouk
12 de fevereiro de 2007

Como os sunitas reagem ao Hezbollah

Sete meses após confrontar-se com Israel, no Líbano, a milícia xiita divide a outra ala do islã. Certos grupos a apóiam, em nome da luta contra Israel; outros a rejeitam, por motivos religiosos ou porque a enxergam como concorrente, na disputa pela afirmação da força árabe

Bernard Rougier
16 de janeiro de 2007

A nebulosa islâmica

A comunidade muçulmana reúne 3% da população do Reino Unido, é majoritariamente originária da Ásia, fala mais de 50 idiomas. Alguns dos grupos religiosos que tentam influenciá-la defendem a jihad e o retorno ao Califado

16 de janeiro de 2007

O mal-estar dos muçulmanos britânicos

Seis meses após os atentados de Londres, as autoridades continuam em busca de políticas que evitem a segregação da comunidade árabe. Mas a política externa de Tony Blair e a discriminação social de fundo podem anular esta tentativa

Wendy Kristianasen
16 de janeiro de 2007

O mito do "fascismo islâmico"

Contra todas as evidências, o governo Bush e alguns intelectuais europeus procuram identificar movimentos e governos islâmicos como próximos a Hitler ou Mussolini. Há oportunismo e planos de guerra por trás desta imprecisão

Stefan Durand
21 de dezembro de 2006

Poderes militares de Teerã

Além das forças armadas regulares, o Irã conta com dois corpos de milícias paramilitares e com centros de formação de combatentes estrangeiros. No comando desta máquina não está o presidente, mas o Guia da Revolução

Jehan Lazrak
21 de dezembro de 2006

Viagem ao interior das madrassas

Centros do pensamento islâmico fundamentalista e únicas escolas acessíveis aos pobres, em muitos países, elas são vistas com freqüência, no Ocidente, como "escolas de terror". É uma visão preconceituosa

William Dalrymple
1º de março de 2006

Quem instiga a violência

Por seus atos e omissões, as potências ocidentais lançaram ao mundo árabe, nos últimos meses, um conjunto de desafios. Tem sentido lastimarem, agora, fatos como a vitória do Hamas?

Georges Corm
1º de março de 2006

Impasses dos Irmãos Muçulmanos

A organização poderosa que chegou a rivalizar com o poder e obter enorme respaldo popular pertence ao passado e enfrenta uma crise sem precedentes

Hussan Tammam
1º de setembro de 2005

O olhar feminino do Islã

Na Internet, nas mesquitas e nos salões islâmicos, as mulheres buscam seus espaços dentro de um “novo islamismo”, que ainda ensaia seus primeiros passos no Egito

Wendy Kristianasen
1º de setembro de 2005

Os xiitas divididos entre Bagdá e Teerã

A vitória do aiatolá Sistani nas eleições iraquianas faz surgir a crença de uma “ameaça xiita” – que não leva em conta a diversidade e as divisões políticas e religiosas no seio das comunidades

Ahmad Salamatian
1º de julho de 2005

Tolerância holandesa à prova do Islã

O assassinato do cineasta Théo van Gogh em novembro de 2004 provocou fortes tensões intercomunitárias e o crescimento de atos antimuçulmanos, recolocando novamente a difícil integração dos imigrantes não ocidentais nos Países Baixos

Marie Claire Cecília
1º de março de 2005

Miséria e guerra santa

O surgimento de organizações islâmicas radicais, extremamente violentas, ganha força nas favelas abandonadas pelo Estado, onde se fabricam as condições de uma revolta desesperada

Selma Belaala
1º de novembro de 2004

O labirinto caucasiano

Por trás do pesadelo de Beslan, está a força mais importante da história moderna: o nacionalismo. O islamismo radical e suas novas e detestáveis formas de terrorismo são apenas instrumentos de várias lutas de libertação nacional

Ignacio Ramonet
1º de outubro de 2004

Guerra sem fim

Fragilizada por um jogo violento travado pelas grandes potências e pela manipulação das identidades nacionais, a estratégica região caucasiana vive uma sucessão de conflitos

Jean Radvanyi
1º de outubro de 2004

A língua árabe, o Rolls Royce e o Volkswagen

No debate sobre a reforma do islã, algumas pessoas exigem dos árabes que modifiquem também sua língua: que escolham definitivamente o árabe clássico e abandonem o árabe dialetal. Antes de sua morte em setembro do ano passado, Edward W. Said explicou por que essa exigência reflete um extraordinário desdém pela riqueza da experiência cotidiana expressa pela língua popular

Edward W. Said
1º de agosto de 2004

A via estreita do Paquistão

O presidente paquistanês, general Moucharraf, procura manter um equilíbrio frágil entre as exigências americanas e sua intenção de manter os islamitas sob controle. Mas o futuro do jogo político depende, fundamentalmente, do diálogo com a Índia – que entra em nova fase com a vitória do partido de Sonia Gandhi

Jean-Luc Racine
1º de junho de 2004

Exceção francesa

Em meio a intenso debate nacional, acompanhado com atenção por outros países europeus que aparentemente são mais tolerantes sobre o assunto, governo francês aprova lei proibindo o uso de signos religiosos “ostensivos”, como o véu, nas escolas públicas

Dominique Vidal
1º de fevereiro de 2004

Tele-evangelistas à moda egípcia

Com a rivalidade que, durante 25 anos, desgastou o islamismo oficial e o islamismo político, surgiram novos atores no Egito – artistas arrependidos, pregadores da burguesia – com um estilo próximo dos tele-evangelistas norte-americanos

Hussan Tammam, Patrick Haenni
1º de setembro de 2003

Bibliografia

Para os debates na Câmara dos Deputados, bem como para o relatório Briand, foi consultada a coleção do ´Journal Officiel´ de 1905. Por outro lado, além das obras citadas no artigo, também foram utilizados os trabalhos abaixo indicados.

1º de agosto de 2003

Um artigo muito controverso

Ao explicitar as modalidades de transferência dos bens públicos para as Igrejas, artigo 4 da Lei que determinou a separação do Estado da Igreja suscitou intensa controvérsia ao abrir caminho para disputas entre coletividades de fiéis pelos bens eclesiásticos

Alain Gresh
1º de agosto de 2003

A vigilância anti-muçulmana

Para alguns intelectuais norte-americanos, os costumes muçulmanos são preocupantes e é preciso "vigiar e informar" sobre as atividades dos professores universitários especialistas em Oriente Médio, que "parecem não gostar de seu país".

Joel Beinin
1º de julho de 2003

As frustradas esperanças da charia

Vista como a principal solução para mudar uma situação social catastrófica, a ’charia`, lei islâmica implantada em 12 dos 36 Estados nigerianos em 1999, causou em toda a sociedade uma frustração e um mal-estar que pode gerar mais radicalismo religioso

Jean-Christophe Servant
1º de junho de 2003

Sob a pressão da nova ordem

Enquanto suas relações com Washington foram abaladas pelos atentados de 11 de setembro, a monarquia saudita é desafiada a enfrentar, por um lado, o islamismo fundamentalista e, por outro, as aspirações por reformas e por abertura

Alain Gresh
1º de junho de 2003

Islamismo e modernidade

Somente uma história solidária dos povos poderá levar o pensamento islâmico e muçulmano a confrontar, pela primeira vez, os desafios da modernidade e a se beneficiar das contribuições do pensamento científico e da interrogação filosófica

Mohammed Arkoun
1º de abril de 2003

Meca, a mais longa viagem

Quinto e último “pilar” do islamismo – depois da profissão de fé, da oração, do jejum do Ramadã e do dízimo (’zakat’) – o ’hadj’ (a peregrinação a Meca, cidade de Maomé, da “Casa de Deus”) continua sendo o mais difícil de ser cumprido

Slimane Zeghidour
1º de fevereiro de 2003

Cresce o peso militar na Indonésia

Facções islâmicas radicais vêm realizando uma série de atentados nas Filipinas e na Indonésia. A recente ação terrorista, que matou quase 200 pessoas em Bali, abalou o governo de Megawati Sukarnoputri, abrindo caminho para a volta dos generais

Sydney Jones
1º de novembro de 2002

O papel dos islamitas moderados

Os movimentos islâmicos de natureza moderada, que vêm tentando há vinte anos participar da vida política, social e cultural de seus países, sofreram um sério abalo com os atentados de 11 de setembro. Agora, tentam retomar o terreno perdido

Wendy Kristianasen
1º de setembro de 2002

Cinqüenta anos de conflitos

Em pouco mais de cinqüenta anos, a Índia já travou três guerras com o Paquistão – todas em função do território da Caxemira, cuja população, majoritariamente muçulmana, rejeita a dominação do governo de Nova Déli

1º de julho de 2002

Ascensão e divisões entre islamitas

Diante de uma família real paralisada pela sucessão do emir, crescem no Kuait as facções políticas religiosas. Elas já reivindicam separação de sexos na universidade e incorporação da `charia’ à Constituição

Wendy Kristianasen
1º de junho de 2002

Povos árabes em ebulição

Do Golfo até o Oceano Índico, multiplicam-se as manifestações. Porém, continuam marcadas pela falta de perspectiva política.

Wissam Saadé
1º de maio de 2002

O Islã ao pé da letra

O que é, como surgiu e por que avança, junto com a globalização, a corrente islâmica que rejeita qualquer influência cultural, quer impor um código de conduta único e está associada a atos violentos

Olivier Roy
1º de abril de 2002

Fundamentalistas da Ásia Central

Desde 1996, para evitar que a dissolução da URSS e a criação de novas repúblicas na Ásia central envolvessem o Sinkiang num efeito-dominó, Pequim redobrou as iniciativas diplomáticas em relação a seus vizinhos para conter a ameaça islâmica

Ilaria Maria Sala
1º de fevereiro de 2002

O Islã europeu

A prática religiosa é fraca na Bósnia e na Albânia devido, em parte, ao passado comunista recente, mas algumas redes islâmicas mundiais interpretaram a guerra da Bósnia como um novo jihad e conseguiram se implantar permanentemente no país

Jean-Arnault Dérens
1º de janeiro de 2002

A integração na República laica

A laicidade não é a vontade de ignorar, mas a de deixar às famílias a elementar liberdade de dar a educação de sua escolha, em estrita conformidade com os princípios de igualdade, fora da escola: a educação é o cimento social e um fator de paz

Henri Peña-Ruiz, Yamina Benguigui
1º de janeiro de 2002

Muçulmanos votam na França

A notícia é importante, mas seu impacto perde a força ao se avaliar o envolvimento do Estado no processo. Foi o Estado que lançou a idéia, dirigiu os debates e coorganizou a votação. Resta saber se a comunidade muçulmana leva alguma vantagem nisso

Nathalie Dollé
1º de janeiro de 2002

Sobre o “modelo republicano”

Partindo do princípio de que o primeiro passo de uma política de integração consiste em acolher dignamente os estrangeiros, para que eles queiram ficar no país, é forçoso constatar que a República não conseguiu fazer isso na maioria dos casos

Gérard Noiriel
1º de janeiro de 2002

Qual Islã, para qual nação?

Após proteger, durante longo tempo, os taliban, o general Pervez Musharraf, presidente do Paquistão, invoca agora a salvação e a unidade nacional para justificar seu apoio incondicional à intervenção militar norte-americana no Afeganistão

Jean-Luc Racine
1º de dezembro de 2001

Uma guerra de religiões?

A utilização desordenada, como se fossem sinônimos, dos termos islã, fanatismo, terrorismo, fundamentalismo, integrismo e islamismo, suscita, no mínimo, a confusão; ou, na pior das hipóteses, um racismo antimuçulmano

Eric Rouleau
1º de novembro de 2001

Islamofobia

Alguns intelectuais e especialistas tentam nos persuadir de que o Corão contém em si as fontes dos males dos países do islã: mergulhe nas suratas – dizem – reveladas a Maomé há cerca de 14 séculos, e você compreenderá, enfim, esse universo misterioso

Alain Gresh
1º de novembro de 2001

"Irmãos Muçulmanos" divididos

Um conflitos entre a "linha dura" e os "moderados" sacode a organização que criou o Hamas e que é, desde 1928, referência para militantes islâmicos no Egito, Jordânia e Palestina

Wendy Kristianasen
12 de abril de 2000

Reformas no Irã

As vitórias da Revolução Islâmica são inegáveis, mas elas próprias comprometeram o regime dos aiatolás. O país está em ebulição intelectual, e o que acontecer ali terá repercussões em todo o mundo árabe

Ignacio Ramonet
12 de março de 2000

O islamismo na Europa
12 de março de 2000

Palavras-chave no mesmo grupo
[temas permanentes]

Outros grupos de palavras-chave

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel