Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» O prisioneiro que não cede ao Grande Irmão

» Previdência: a fábula da República das Laranjas

» A difícil arte de superar o senso comum

» Os mapas do poder dos ruralistas

» Petrobrás: assim Paulo Guedes planeja o desmonte

» O neoliberalismo periférico e a oportunidade perdida

» Nunca fomos tão pequenos

» Caro coxinha, nossa bandeira já é vermelha…

» O mundo encantado da Previdência privada

» A lógica senil da propriedade privada

Rede Social


Edição francesa


» Le poids du lobby pro-israélien aux États-Unis

» Tradition et qualité françaises

» Batna dans le vertige des peurs et des frustrations

» Le champ sémantique du populisme

» Les dangers d'une monnaie unique

» L'Algérie sous le choc

» L'art de la désinformation

» La longue guerre occulte contre le Nicaragua

» Comment l'« intelligence artificielle » conduirait la guerre

» Délinquants et victimes


Edição em inglês


» Retiring the Statue of Liberty

» Iraq's choice: US air strikes or Iranian air conditioners?

» Gilets jaunes: the French uprising

» March: the longer view

» Rwanda now sets its own aid rules

» The rise of the hardliners

» Should we be combatting sexism to stimulate economic growth?

» Julia Buxton on Venezuela's ongoing crisis

» What happened to the dream of a united Maghreb?

» What happened to the dream of a united Maghreb?


Edição portuguesa


» O caso do Novo Banco: nacionalizar ou internacionalizar?

» Edição de Março de 2019

» Sabe bem informar tão pouco

» O presidente e os pirómanos

» Edição de Fevereiro e 2019

» As propinas reproduzem as desigualdades

» Luta de classes em França

» Das propinas ao financiamento do Ensino Superior

» Na Venezuela, a lógica do pior

» Vale a pena (re)ler John Kenneth Galbraith?


dezembro 2000


Business e direitos humanos

A "batalha de Seattle" é um bom exemplo: as empresas transnacionais operam sob o olhar crítico dos cidadãos. O respeito pelos direitos humanos é visto como parte integrante da responsabilidade delas, da mesma forma que o respeito à cultura e ao meio ambiente


Roland-Pierre Paringaux

Um pacto global

Trata-se de uma iniciativa, da ONU, que leva em conta a dificuldade de algumas economias frente às forças do mercado, os limites da globalização em matéria de progressão social e o avanço da oposição a essa mesma globalização


Roland-Pierre Paringaux

A lição

A sucessão de William Clinton vem sendo trabalhosa. E o futuro presidente terá certamente uma autoridade tão discutível quanto resultado da eleição de 7 de novembro. Eleição que revelou ao mundo um sistema político arcaico e exaurido


Loïc Wacquant, Serge Halimi

À velocidade da Internet

Quando os jornalistas subordinam a missão de informar bem à de ganhar audiência - e, dessa forma, aumentar os lucros dos proprietários das empresas - o resto é conseqüência. E o resto aconteceu


Loïc Wacquant, Serge Halimi

Um "investimento" de US$ 4 bi

Bill Gates, cujos "investimentos" políticos explodiram, teve o cuidado financeiro para que a Microsoft tenha, em qualquer das hipóteses, um amigo na Casa Branca — e a Casa Branca, um amigo na Microsoft


Loïc Wacquant, Serge Halimi

Os medos do ano 2000

Algum dia, os historiadores da mente humana irão se perguntar sobre os medos do ano 2000. Descobrirão que já não eram, como antes, de ordem política ou militar, mas de caráter ecológico. Tanto no que se referem ao íntimo, quanto à identidade humana


Ignacio Ramonet

Um caso de morte e pobreza

Em carta dirigida ao presidente norte-americano, Thabo Mbeki, presidente da África do Sul, apontava a estreita e específica relação que ele acreditava haver entre a morte maciça provocada pela Aids na África e a pobreza endêmica que sufoca essa região


Anatole Ayissi

A arma da informação e debate

19 milhões de mortos, 35 milhões de pessoas contaminadas pelo vírus da imunodeficiência humana (HIV): esse é o peso do esmagador tributo pago à Aids nos últimos 20 anos. Uma calamidade agravada pelos planos de ajuste estrutural, que sucatearam a saúde


Dominique Frommel

As minas da infecção

As minas africanas atraem trabalhadores do sexo masculino e mulheres pobres que se prostituem e acabam infectadas pela Aids. Nas visitas às famílias, os trabalhadores transmitem a doença a suas mulheres, ampliando o risco do contágio materno-infantil


Pilar Estébanez

O fator guerra

As guerras têm um papel fundamental na propagação do vírus da Aids. A complexa interação entre sabotagem econômica, destruição das infra-estruturas e banditismo cria bolsões nos quais as populações marginalizadas são expostas ao risco de infecção


Pilar Estébanez

Os números do caos

A África sub-saariana responde, sozinha, por 25 das 35 milhões de pessoas infectadas pelo vírus da Aids no mundo. Dos 2,9 milhões de indivíduos que faleceram, em 1999, vítimas da Aids, 85% deles eram africanos


A "psicose" da "vaca louca"

Pressionado por uma opinião pública enlouquecida e pelo medo de uma epidemia de encefalopatia espongiforme bovina (ESB), o governo francês decidiu proibir a utilização de farinhas animais para nutrir animais cuja carne chega à mesa dos consumidores


Denis Duclos

Em Nice, a Europa diz não!

A União Européia tornou-se, nos últimos anos, justificativa oficial para as políticas conservadoras. Os governos dizem que ela os impede de adotar medidas justas, e por causa dela é preciso adotar decisões impopulares. Se é assim, que tal protestar diante de quem de fato tem poder?


Bernard Cassen

Uma falsa boa idéia

Os direitos dos assalariados não passam de disposições vagas que não oferecem qualquer garantia (direitos sindicais, negociações coletivas, consulta dos empregados, saúde...). Já a livre circulação de bens e capitais, essa é lembrada logo no preâmbulo


Anne-Cécile Robert

Tempos modernos (versão hot line)

As tecnologias da informação e da comunicação significam bem mais freqüentemente fontes de intensificação do trabalho que de enriquecimento profissional. O tempo liberado graças ao trabalho na rede é absorvido por restrições cada vez mais fortes


Martine Bulard

Greves pela rede

Nos Estados Unidos, as ciber-lutas já se popularizaram: a maioria das grandes empresas norte-americanas deve enfrentar a revolta de assalariados pouco habituados à luta sindical. Mesmo a Microsoft tem que enfrentar um "sindicato virtual", Wash Tech


Martine Bulard

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos