Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Para entender o fascismo dos impotentes

» Previdência, o retrato de um país desigual — e cruel

» Quando os cientistas enfrentam o sistema

» Moro tenta escapulir em latim

» Dinheiro: o novo sonho de controle do Facebook

» Mulheres na política: uma nova onda a caminho

» Sertanejo, brasilidade e Nelson Pereira Santos

» A crise do Brexit e o capitalismo impotente

» Pilger: é hora de salvar o jornalismo

» Missão: extinguir o BNDES

Rede Social


Edição francesa


» Pauvre et femme : la double peine

» M. Sarkozy déjà couronné par les oligarques des médias ?

» La Cisjordanie, nouveau « Far Est » du capitalisme israélien

» Protester avec l'électrochoc de la musique

» Canicule, médias et énergies renouvelables

» Autopsie d'une canicule

» Quand la gauche renonçait au nom de l'Europe

» Un « New Deal » pour l'école

» La Chine bouscule l'ordre mondial

» L'affirmation homosexuelle


Edição em inglês


» US against Iran: war by other means

» How US climate deniers are working with far-right racists to hijack Brexit for Big Oil

» Confessions of a map-maker

» The Spaniards who liberated Paris

» Fighting for communication control

» June: the longer view

» Niger, a migration crossroads

» Niger, a migration crossroads

» Whatever happened to Bob Woodward?

» Europe in space


Edição portuguesa


» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu

» Chernobil mediático

» Edição de Abril de 2019

» A nossa informação, as vossas escolhas


maio 2003


Neo-imperialismo

Ao nomear um general reformado para administrar um país vencido, os Estados Unidos mais uma vez ignoram o direito internacional, relembrando de forma deplorável as velhas práticas do tempo dos impérios coloniais e dos mandatos


Ignacio Ramonet

Um clube de ricos altamente contestado

Criado para possibilitar a cooperação entre os países ricos – e em última instância para governar o planeta – o G8 está diante de uma nova situação, marcada pelas tensões da guerra do Golfo e pelo crescimento, a cada ano, de movimentos de contestação


Gustave Massiah

Crimes e mentiras de uma "guerra de libertação"

Depois de uma agressão criminosa, os iraquianos dizem sim à liberdade e ao Islã, e não à América e a Saddam. Mas os EUA têm planos de uma administração direta do Iraque e impõem uma hegemonia humilhante que deverá incentivar o terrorismo


Alain Gresh

Em nome do “destino manifesto”

Desde o século 19, em nome do “progresso” e da “democracia” ou das “obrigações internacionais”, forças militares e econômicas dos EUA interviram em países latino-americanos, quando não usurparam território, garantindo seu controle do continente.


Maurice Lemoine

Pulsão de morte

“Toda a cidade de Tetelmünde estava em chamas; uma tocha grandiosa, iluminada pelo furor ancestral dos obcecados, nos quais, inesperado, exigindo seus direitos, renascia o principal instinto do homem: a destruição.”


Valerio Evangelisti

O impasse dos protetorados

No contexto da globalização mercantil e financeira, ressurge o sistema de protetorados, cujas tutelas monetárias, econômicas e militares espezinham o princípio da soberania dos Estados, assim como o do direito à autodeterminação dos povos.


Catherine Samary

A ordem mundial segundo Keynes

A resistência do então assessor da Coroa britânica à dominação econômica norte-americana, então emergente e hoje ameaçada, e suas receitas para países como o Brasil, poderiam ser uma fonte de inspiração para os dias de hoje


James Kenneth Galbraith

Uma bofetada na civilização

As forças da coalizão não só trucidaram e humilharam o povo e a cultura do Iraque, mas esbofetearam a civilização ao permitir os saques e o vandalismo no Museu Nacional. O legado iraquiano perdido nesta guerra pertencia a toda a humanidade


May Muzaffar

A estratégia do caos absoluto

A adoção da estratégia de "choque e pavor" na guerra do Iraque levou o terror não só aos iraquianos, mas também aos aliados, justificando os excessos por meio de um nervosismo baseado não no perigo inimigo, mas no confronto com o caos vigente


Alain Joxe

A doença que enfraquece a Europa

Dividida em torno da Guerra no Iraque, a União Européia poderia se beneficiar de uma “vantagem colateral” se afirmasse sua identidade própria e se distanciasse de um parceiro norte-americano que confunde aliança com vassalagem.


Bernard Cassen

Justiça internacional: entre a política e o direito

O direito internacional evoluiu o suficiente para garantir um certo grau de sanções contra os países e governantes criminosos, sem ferir o princípio de soberania e lutar contra as violações e impunidades sem desestabilizar as relações internacionais


Anne-Cécile Robert

A falsa retórica da classificação das armas

A distinção entre armas convencionais de destruição de massa é, do ponto de vista médico, odiosa e infundada. No atual contexto de conflitos assimétricos, armas de alta tecnologia matam como as convencionais, os embargos e as ações terroristas


Chantal Bismuth, Patrick Barriot

Urânio emboprecido mais uma vez

Embora a suposta posse de armas de destruição em massa pelo Iraque sirva como principal pretexto para a guerra contra aquele país, os Estados Unidos utilizaram bombas de urânio empobrecido em várias de suas campanhas militares recentes


Quando os EUA sonhavam com França sob protetorado

Desde 1941, Washington previa impor à França - como aos futuros vencidos, Itália, Alemanha e Japão – um estatuto de protetorado, concebendo um governo militar americano que aboliria qualquer soberania, incluindo o direito de cunhar moeda.


Annie Lacroix-Riz

Erupção anunciada do vulcão boliviano

Demonstrando o esgotamento do sistema, policiais, movimentos sociais e a população tomam as ruas contra imposto lançado para atender exigências do FMI e quase derrubam presidente Sánches Lozada, eleito com somente 22% dos votos


Walter Chavez

Uma nova esquerda na ofensiva

Junto a movimentos sociais camponeses e indígenas, como a Coordenação das Águas, o MAS, de Evo Morales, o MIP, de Felipe Quispe, formam um bloco de oposição à ortodoxia neoliberal e constituem o coração da renovação da política boliviana


Walter Chavez

Regressão democrática no País Basco

O fechamento do Batasuna, a vitrine política do ETA, e do único jornal diário escrito em basco rendem capital político para o PP, de Aznar, mas esta criminalização, que mistura nacionalismo com terrorismo, afasta o diálogo e reforça ainda mais os radicais do terror (Cronologia). Por Cedric Gouverneur, enviado especial


Cédric Gouverneur

A revanche dos juízes de Atenas

O processo repleto de irregularidades dos supostos membros do grupo terrorista 17-N inscreve-se no ambiente desta nova doutrina, em que a “defesa da democracia” justifica que se espezinhem os direitos elementares dos cidadãos


Gilles Perrault

O avanço da extrema-direita em Flandres

Na eleições legislativas de 18 de maio, Flandres espera um avanço sombrio: o ’Vlaams Blok’ deverá realizar ali um rápido progresso. Dirigentes políticos e intelectuais começam a esboçar o balanço crítico da “batalha antifascista” que inclui a imprensa


Rink Van den Brink

Uma imprensa em crise

A imprensa valã é maior e de capital familiar. A imprensa flamenga é mais jovem e contestadora. Ambas estão cada vez mais despolitizadas, não se adaptam aos novos leitores e sofrem com uma queda sem precedentes na circulação de seus jornais


Adrien Gonthier

Os trunfos desprestigiados da pesquisa francesa

Corte de verbas para pesquisa suscita onda de protestos entre pesquisadores e professores e coloca em questão os argumentos que questionam a eficácia do modelo francês, defendendo a importância estratégica deste investimento para a economia


Pierre Joliot

Como pagar as aposentadorias ?

Há uma grande campanha nos meios de comunicação que visam convencer a população de que é necessário escolher entre a maneira mais equitativa e menos dolorosa de repartir a diminuição dos recursos para as aposentadorias, pressupondo que não há outra saída. Nada mais falso.


Michel Husson

Traídos pelos fundos de pensão

Difundidos nos países anglo-saxões e tomando corpo nas outras regiões do ocidente, os fundos de pensão por capitalização deixam o poupador dependente da volatilidade do mercado financeiro e ameaçam destruir a aposentadoria pública


Martine Bulard

Os jogos do exílio e do acaso

O tecido temático do romance reflete toda a obra de Kundera, que tem a coerência de um grande romance. A proeza é ter condensado toda esta riqueza temática em menos de duzentas páginas. Raramente a arte do romance atingiu tal densidade


Guy Scarpetta

Paris, a vermelha

Afastando-se dos clichês turísticos, o autor de ’A invenção de París’ faz um trabalho de erudição histórica surpreendente e aborda uma cidade de escritores e rebeliões, que guarda lugares onde se condensa uma memória ao mesmo tempo insurrecional e poética


Guy Scarpetta

A marginalização da produção independente

Se forem considerados apenas os números, 2002 foi um ano de boa safra para o cinema francês:163 filmes, dos quais 67 são obras de estréia do autor. Várias mudanças, entretanto, deixam dúvidas sobre a vitalidade do cinema independente.


Carlos Pardo

Um quarto de século de ETA

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos