Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» La Pologne s'accroche à son charbon

» Le miasme et la jeune fille

» L'énigme de « La Coubre »

» Au Canada, la fin de la résignation pour les peuples autochtones

» Jean Cavaillès, une pensée explosive

» Au Rwanda, la tradition instrumentalisée

» Les municipalités laissent mourir les centres de santé

» Samsung ou l'empire de la peur

» Main basse sur l'eau des villes

» Percées et reflux en Europe


Edição em inglês


» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth

» The Huawei war

» Moscow's Active Citizens

» Greater Moscow's unsure future

» Golden age of coal turns to black dust

» For those in peril on the sea

» China's outlaw fishermen

» The Great Lockdown hits the Third World hard

» A question of borders


Edição portuguesa


» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA

» Edição de Setembro de 2020

» Cuidar dos mais velhos: por uma rede pública e universal

» Restauração em Washington?

» Cabo Delgado: névoa de guerra, tambores de internacionalização


setembro 2008


A China quer os mares

Cada vez mais influente no plano econômico, Beijing age para estender sua força também no terreno militar. Um plano estratégico cuidadosamente executado visa expandir seu poderio naval. Obstáculos: as ambições do Japão e da Índia e, numa segunda etapa, a temível 7ª Frota dos EUA


Olivier Zajec

Na Mauritânia, uma “Guantánamo” européia

Com múltiplas ofertas, Espanha e França aliciam governos africanos para que reprimam, eles mesmos, a migração rumo à Europa. Símbolo da cooptação: na capital de um dos países mais pobres do mundo, uma antiga escola transforma-se em prisão para os que buscavam acesso à banda rica do planeta


Zoé Lamazou

Nas mãos dos militares
Zoé Lamazou

A complexa gênese do povo judeu

Descobertas arqueológicas e etnográficas recentes revelam: a idéia de que os judeus seriam descendentes diretos de Moisés, Davi e Salomão é uma farsa ideológica. Como tantos outros povos, eles formaram-se num processo histórico rico e contraditório, que envolve múltiplas etnias e não cabe na descrição religiosa e fundamentalista que ainda prevalece


Shlomo Sand

Sob a lógica de Maquiavel

Um documento do Comando Estratégico do Exército norte-americano recomenda, de modo explícito, que o país evite parecer racional e controlável – e que sugira ser capaz de desatinos. Aparentemente insanas, as sugestões remetem, em pleno século 21, a certos pontos de vista enunciados em O Príncipe


Jacques Derrida

Ajustes dolorosos entre oferta e procura

Nos últimos tempos, o mercado nos ensinou uma lição valiosa: os preços sempre acabam se equilibrando, independente das circunstâncias. Já as pessoas, que sofrem diretamente com seus altos e baixos, não. Para elas a economia não é um mero desafio especulativo, mas o elemento que determina sua condição de vida


Laurent Cordonnier

Impasse pela força do voto

No plebiscito de 10 de agosto, o Movimento ao Socialismo registrou uma ampla vitória entre o eleitorado. Porém, os governadores de oposição também saíram fortalecidos e continuam trabalhando pelo fracasso do presidente. Os indígenas já deram o alerta: “Se retirarem Evo Morales haverá uma guerra”


Maurice Lemoine

Navegando em águas turbulentas

Assim como os Estados Unidos sobreviveram à desventura no Vietnã e dela emergiram fortalecidos, eles estão aptos a superar o fiasco no Iraque. Embora momentaneamente desconcertado, o império americano continuará seu caminho, sob direção bipartidária e a pressão das mega corporações


Arno J. Mayer

Ossétia do Sul, o palco de uma disputa mundial

O projeto do escudo antimíssil e as pressões americanas para acelerar a adesão da Geórgia à Otan foram considerados pela Rússia provocações inaceitáveis. A ação militar georgiana era o pretexto que o Kremlin precisava para fortalecer seu poder nas regiões separatistas e se contrapor aos Estados Unidos


Jean Radvanyi

Quando a Rússia se reergue

A Guerra Fria acabou, mas o conflito não. Para garantir sua influência na região, os americanos investiram na aproximação com países menores, como a Geórgia. Moscou, por sua vez, apostou na Ossétia do Sul para “punir” os vizinhos que se aliaram aos ianques


Serge Halimi

O espetáculo da desgraça alheia

Ao exigir livre acesso às vítimas em nome de um dever de intervenção muito discutível, o humanitarismo acabou produzindo um “direito” de ingerência onde o indivíduo é considerado apenas um corpo biológico, cuja existência deve ser garantida contra a fome, as epidemias ou as catástrofes naturais


Bernard Hours

Catolicismo atormentado

Na Europa, a secularização vem atingindo rapidamente até mesmo a vida interna das comunidades cristãs. O quadro é aterrorizante para os bispos e o papa Bento XVI, que tentam incentivar a ação pastoral nos países de tradição católica sem negociar valores como a família, o respeito à vida e ao bem comum


Michel Cool

Quando os lobbies legislam

Bruxelas transformou-se na “terra prometida” de grupos de pressão de todo tipo. Diante dos 26 mil funcionários da Comissão Européia e 785 deputados do Parlamento Europeu, calcula-se que haja em torno de 15 mil pessoas trabalhando exclusivamente nos lobbies


Bernard Cassen

A ineficácia do Big Brother

Freqüentemente apresentada como a panacéia em matéria de combate à delinqüência, a videovigilância em lugares públicos não consegue cumprir seu objetivo inicial de aumentar a segurança da população e diminuir a criminalidade. Por enquanto, só provou ser um grande desperdício de dinheiro para os países europeus


Noé Le Blanc

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos