Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Como derrotar a “direita Trump-Bolsonaro”

» As pedras da contracultura (ainda) rolam

» Corporações: já vivemos uma distopia…

» Olhai a nova geração de ativistas

» Rússia e China: fim do mundo unipolar?

» Está aberta a nova temporada de privatizações

» Direito à privacidade e o cinismo de Moro

» Boaventura: o avanço da direita e a causa oculta

» Fiori: Danação da História e disputa pelo futuro

» O sinistro lobby sionista

Rede Social


Edição francesa


» Les pompiers pyromanes de l'antisémitisme

» Menace iranienne, menace sur l'Iran

» Comme si l'école était une entreprise…

» Voyage au bout de la peur avec les clandestins du Sahel

» Chanter le devenir du monde

» A qui profite Paris ?

» Quand la ville se perd dans une métamorphose planétaire

» M. Jesse Jackson et l'ouverture du Parti démocrate

» Les aspirations des citoyens dans une structure étatique taillée sur mesure

» Comment la finance a tué Moulinex


Edição em inglês


» Confessions of a map-maker

» The Spaniards who liberated Paris

» Fighting for communication control

» June: the longer view

» Niger, a migration crossroads

» Niger, a migration crossroads

» Whatever happened to Bob Woodward?

» Europe in space

» The Corbyn controversy

» The invisible people


Edição portuguesa


» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu

» Chernobil mediático

» Edição de Abril de 2019

» A nossa informação, as vossas escolhas


dezembro 2008


Um G20 descartável

Dois meses após o crash de Wall Street, seria inútil esperar dos países mais influentes do mundo a contestação das políticas injustas que promovem a desigualdade. Um “novo Bretton Woods” não se monta em algumas semanas


Serge Halimi

Para salvar o planeta

O degelo progressivo dos pólos pode dar lugar a um desastre sem precedentes que irá gerar um aumento muito maior e mais acelerado do nível das águas. E um tratado “pós-Kyoto”, necessário para evitar a catástrofe, deve demorar a surgir


Daniel Tanuro

O subemprego asiático

Desde o início dos anos 1990, os empresários japoneses encontraram uma solução ideal para enfrentar as turbulências na economia: o estágio estrangeiro. Jovens, principalmente chineses, são recrutados para trabalhar durante 12 horas por dia em troca de salários irrisórios e um visto de apenas três anos


Anna Roy

Juventude islâmica radical

Milhares de jovens que partiram rumo ao Iraque para, voluntariamente, enfrentar as tropas norte-americanas, agora se dispersam pelo Oriente Médio, Europa e Ásia Central. Esses combatentes, a maioria sem qualquer engajamento político anterior, retornam a seus países alimentados por uma ideologia extremista e endurecidos pela guerra


Vicken Cheterian

A Rússia e suas raízes muçulmanas

Mais de 15% da população da Federação Russa é muçulmana e 8 de suas 21 repúblicas autônomas adotam o Islã como religião oficial. É com esses argumentos que Moscou reivindica uma relação política privilegiada com o conjunto do mundo árabe, sob o objetivo declarado de “reforçar a multipolaridade global”


Jacques Bouveresse

Jersey, o paraíso sem medo

A quantia total dos fundos depositados na ilha, até hoje vinculada à Coroa britânica, seria superior a R$ 1,7 trilhão. O montante ainda é pequeno, mas em um contexto de concorrência desenfreada entre os 70 paraísos fiscais recenseados no mundo, Jersey está consolidando sua participação no mercado


Olivier Muller-Cyran

O elo frágil da economia global

Calcula-se que há um aumento, em média, de 8% ao ano na demanda por imóveis – algo que o mercado obviamente não consegue atender. A falta de moradias tornou-se um problema real em vários países e essa tendência é reforçada pelo crescimento constante das habitações ocupadas apenas por um indivíduo


Akram Belkaid

Em busca de recursos naturais

Dependente dos hidrocarbonetos estrangeiros, a Europa se preocupa cada vez mais com a falta de diversidade de suas importações e com sua submissão à instabilidade do mercado. Além disso, o Velho Mundo teme a possibilidade – concreta – de os países exportadores formarem um grande cartel também para o gás natural


Mathias Reymond

Desregulamentação: o grande jogo do monopólio
Mathias Reymond

Nova era democrata

A vitória histórica de Barack Obama traz em seu interior as sementes para um realinhamento básico da política americana. Ela é também produto de uma tendência de longo prazo favorável à emergência de uma maioria democrata que poderá dominar a cena dos Estados Unidos pelo próximo quarto de século


Jerome Karabel

O público e o privado: quem fica com as aposentadorias?

Enquanto o governo do Chile se vê obrigado a fornecer um subsídio mensal à boa parte da população, que nos anos 1980 foi forçada a migrar para a previdência privada, a presidente argentina Cristina Kirchner conseguiu evitar um colapso de US$ 24,8 bilhões nos fundos de pensão ao nacionalizar as aposentadorias


Manuel Riesco

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos