'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Tochas ardentes
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Au travail, les enfants

» En Afrique, la démocratie entravée

» Le grand partage du globe

» La France et son espace maritime de souveraineté économique

» Villes et comptoirs hanséatiques

» Le sultanat de Malacca à la fin du XVe siècle

» Les grandes poubelles de plastique

» Feu vert à la surveillance de masse

» G8 : policiers italiens condamnés... et promus

» L'Italie saisie par la tentation autoritaire


Edição em inglês


» The rift in the AfD

» The forgotten chapter of the women's movement

» The battle for narrative in Afghanistan

» Work less, pollute less

» July: the longer view

» Ethiopia's failed experiment in ethno-federalism

» What press freedoms for North Africa?

» The Balkans rediscover socialism

» China's balancing act: power or prosperity?

» The immovable Assad clan


Edição portuguesa


» O direito à alimentação no mundo continua por cumprir

» Filho da Preguiça

» Boca de Cena

» Pandemónio Pandomínio

» Em Cuba, rumo ao fim do mais longo embargo da história

» Edição de Julho de 2021

» «Ajude um caloiro»: requiem por um direito

» Acalmia em França?

» Edição de Junho de 2021

» O jornalismo no novo negócio dos "media"


MULHERES / ÍNDIA

Tochas ardentes

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

"São recebidas, aqui, mais de 1.800 mulheres queimadas por ano", declara o professor Gurumurthy, que atende na sala de operação. Muitas delas chegam em macas, em farrapos ou em carne viva. Contorcendo-se em dores silenciosas ou gritantes

Roland-Pierre Paringaux - (01/05/2001)

Diariamente, são internadas de 4 a 5 jovens queimadas pelos maridos e suas famílias. A taxa de mortalidade beira os 80% nos primeiros dias

O hospital Victoria, em Bangalore, é um dos raros hospitais de toda a Índia que possui um atendimento para queimaduras graves à altura da situação atual. Diariamente, com uma regularidade desesperante, ali chegam de 4 a 5 jovens que a cobiça de seus maridos e de suas sogras transformaram em tochas acesas. Principalmente em época de festas, quando as exigências de dinheiro multiplicam-se. Esse serviço de atendimento fica constantemente cheio. "São recebidas, aqui, mais de 1.800 mulheres queimadas por ano", especifica o professor Gurumurthy, que atende na sala de operação. Muitas vítimas chegam em macas, em farrapos e em carne viva. Contorcendo-se em dores silenciosas ou gritantes. Rapidamente atordoadas pela morfina, aguardam o fim. Aqui, a taxa de mortalidade beira 80% nos primeiros dias de internação. No dia 6 de fevereiro, elas tinham nomes: Vashanti (25 anos), Zarina (20), Lakshmi (23), Manjula (22) e Lakshmama (23). Esta última, com mais de 80% do corpo queimado, morreu poucas horas após sua admissão. Seu marido e sua sogra, que a levaram ao hospital, não saíram da cabeceira de sua cama. Em sua presença, ela sussurrou ao policial que foi registrar sua "declaração de pessoa moribunda" que se tratava de um "acidente". Versão veementemente contestada no dia seguinte por seus pais, que chegaram do interior com uma carta em que Lakshmama descrevia as torturas que lhe eram infligidas pela família de seu marido há meses.

Criando coragem

Na presença do marido, uma mulher sussurrou ao policial que foi registrar sua "declaração de pessoa moribunda" que se tratava de um "acidente"

Em 1998, a associação Vimochana mobilizou-se — com êxito — para conseguir mais gente, mais camas e mais verbas. Colocou também, no serviço de atendimento, duas voluntárias que trabalham em tempo integral. Ajudam as vítimas a morrer ou a escapar, a ter menos medo, a dizer a verdade. "Antes de nossa chegada", dizem Pratima e Sarodjama, "a maioria dos casos eram registrados como suicídios ou acidentes. Desde então, isso mudou. Cada vez mais vítimas denunciam seus torturadores".
(Trad. Wanda Caldeira Brant)

1 - Shahnaz Bokhari preside a Associação de Mulheres Progressistas do Paquistão (Pakistan Progressive Women Association). Nos três grandes hospitais de Islamabad e Rawalpindi foram recenseados "mais de 4 mil casos desse tipo desde 1994".
2 - O "crime de honra" subsiste, mas em um grau bem menor, em alguns países do Oriente Médio, principalmente na Jordânia, Palestina e Iêmen, onde anualmente se registram algumas dezenas de casos.
3 - No Progress on Women’s Rights (Nenhum Progresso nos Direitos das Mulheres), Paquistão, setembro de 1998.
4 - Karachi, 3 de janeiro de 2001.
5 - Lahore, 6 de fevereiro de 1999.
6 - "Crime ou costume, a violência contra mulheres no Paquistão", Human Rights Watch, Nova York, Londres e Bruxelas, agosto de 1999.
7 - Ler, de Aziz Malik, "Fighting karo-kari with education", Dawn, 3 de janeiro de 2001.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos