Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Ces soldats américains envoyés combattre les bolcheviks

» Dictature numérique

» Au travail, les enfants

» En Afrique, la démocratie entravée

» Le grand partage du globe

» La France et son espace maritime de souveraineté économique

» Villes et comptoirs hanséatiques

» Le sultanat de Malacca à la fin du XVe siècle

» Les grandes poubelles de plastique

» Feu vert à la surveillance de masse


Edição em inglês


» The sea: hidden threats

» Dispatches from colonial North Africa

» The many shades of Latin American racism

» Window on the Russian soul

» The Arab world says #MeToo

» Lebanese central bank falls from grace

» Chips with everything

» Which way for Germany's CDU after Angela Merkel?

» Welcome to western China!

» France's watered-down climate bill


Edição portuguesa


» O direito à alimentação no mundo continua por cumprir

» Filho da Preguiça

» Boca de Cena

» Pandemónio Pandomínio

» Em Cuba, rumo ao fim do mais longo embargo da história

» Edição de Julho de 2021

» «Ajude um caloiro»: requiem por um direito

» Acalmia em França?

» Edição de Junho de 2021

» O jornalismo no novo negócio dos "media"


CARTA AO LEITOR

Para outra política, outro jornalismo

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

(18/06/2001)

Car@ amig@:

Dois objetivos editoriais orientarão o Caderno Brasil do Le Monde Diplomatique, a ser lançado, na internet, em setembro. Examinar em profundidade os grandes temas nacionais e internacionais, oferecendo informações e análises não-convencionais a quem procura construir novos futuros. Ao mesmo tempo, tornar visíveis as ações transformadoras já em curso – em especial as que procuram afirmar a autonomia da sociedade frente aos mercados e às formas tradicionais de política. Os jornais são cada vez mais incapazes de enxergar e reportar estas ações. Estão presos a uma concepção segundo a qual política é apenas a disputa pelos aparelhos de Estado, e democracia resume-se a digitar números, de tempos em tempos, nas urnas eletrônicas da Justiça Eleitoral.

Um ensaio-reportagem publicado 18 de agosto em nosso espaço na internet é um primeiro sinal do que será o esforço do Caderno. O assunto é Nossa São Paulo / Outra Cidade, um movimento em rede que propõe transformar a maior metrópole do país – e já reúne centenas de pessoas e dezenas de organizações. Descrevemos suas características inovadoras. Reportamos os preparativos para o Dia Mundial sem Carros, que será sua primeira ação de grande visibilidade. Discutimos possíveis lacunas. Você confere o resultado aqui.

Poucos dias depois de chegar às bancas, em formato papel, Le Monde Diplomatique Brasil lança nova iniciativa editorial. Já pode ser encontrado nas livrarias, ou encomendado por Internet, Alternativas ao Aquecimento Global, primeiro de uma série de livros de bolso temáticos. Em 132 páginas e sete artigos, a obra propõe, para uma das questões mais decisivas de nossa época, uma nova abordagem. Sugere que é perfeitamente possível evitar a catástrofe climática – mas é preciso, para tanto, superar as lógicas sociais capitalistas em que estamos mergulhados. Está no ar a resenha de apresentação do livro.

Com o lançamento da edição impressa, há algumas novidades no fluxo de publicação, na internet, do material francês do Le Monde Diplomatique. Alguns dos textos mais relevantes estarão disponíveis simultaneamente, em papel e na web. Os demais irão ao ar, no ciberespaço, trinta dias depois das bancas. Na edição de agosto, selecionamos quatro artigos. “Muçulmanos contra a Al-Qaeda”, retrata a crescente oposição que os seguidores de Bin Laden enfrentam no mundo árabe – inclusive por parte de organizações armadas. Um boxe destaca o takfirismo, ideologia messiânica ultra-fundamentalista que é cada vez mais influente na rede terrorista, e justifica atacar prioritariamente grupos islâmicos “impuros”.

“As novas armas biológicas” relembra que a tecnologia pode produzir surpresas terríveis. A partir de um relatório da Associação Médica Britânica, o texto alerta que indústrias e governos planejam explorar os avanços da genômica e da biologia para desenvolver fármacos que provocam colapso dos processos vitais — ou produzem soldados sem medo e sem memória. Por fim, uma provocação. Em “Sadismo rima com capitalismo”, Patrick Vassort sugere que Os 120 dias de Sodoma, pode ser uma metáfora da racionalidade, dessensibilização, hierarquia e prazeres impossíveis que caracterizam as sociedades dominadas por mercados.

Continuam disponíveis, na internet, os mais de 1800 textos publicados por Le Monde Diplomatique no Brasil desde 1999. Estão reunidos numa Biblioteca e organizados em mais de 500 temas. Ótima leitura!




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos