Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» La France se penche sur sa guerre d'Algérie

» Injustice française

» Accaparement des méninges

» An 01 de la gauche, on arrête tout, on réfléchit

» « Il Manifesto », le prix de l'engagement

» Des treillis sous les blouses blanches

» Hanoï s'étend vers l'ouest

» Contourner et désenclaver Anvers

» « La France gesticule… mais ne dit rien »

» Russie, un territoire à géographie variable


Edição em inglês


» January: the longer view

» Mutual suspicion in Greece's borderlands

» Border tensions

» Disunited States of America

» The British monarchy's smoke and mirrors

» UK Brexiteers' libertarian goal

» Time to reform the Peruvian system

» Russia's attempted return to Africa

» ASEAN's diplomatic triumph

» When Algerians took to the streets


Edição portuguesa


» Edição de Janeiro de 2021

» O presidente, a saúde e o emprego

» Quem será o próximo inimigo?

» Edição de Dezembro de 2020

» A democracia desigual e os neoliberais autoritários

» A amarga vitória democrata

» A segunda morte da Europa

» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal


LITERATURA

Dados sobre o escritor

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

(01/08/2001)

Jorge Luis Borges nasceu a 24 de agosto de 1899 em Buenos Aires, na Argentina. Com sete anos de idade, escreveu seu primeiro conto, La Viscera fatal. Em 1914, sua família mudou-se para a Europa, instalando-se, sucessivamente, em Genebra, na Itália e na Espanha, onde ele entra em contato com inúmeros movimentos artísticos, como o dadaísmo e o ultraísmo, movimento vanguardista espanhol. De volta à Argentina, em 1921, Borges colabora com várias publicações literárias e filosóficas. A partir de 1938, o escritor iria perdendo, progressivamente, a visão. Escreve, nessa época, Pierre Ménard, auteur du Quijote, seu primeiro conto fantástico. Após a queda do ditador Juan Domingo Perón, em 1955, seria nomeado diretor da Biblioteca Nacional e iria lecionar literatura na Universidade de Buenos Aires. Seus contos já haviam sido traduzidos em inúmeros países. Torna-se um escritor cult. Ganha inúmeros prêmios, entre os quais o Formentor, em 1961, que divide com Samuel Beckett, e, em 1980, o prêmio Cervantes. Em 1985, decide estabelecer-se em Genebra, com sua companheira, Maria Kodama. Morre, nessa cidade, a 14 de junho de 1986, com 87 anos.

Seus principais livros disponíveis em francês são: Oeuvres complètes, ed. Gallimard, coleção “La Pléiade”, Paris, 1993 (vol. 1) e 1999 (vol. 2); Le Livre de sable, ed. Gallimard (bilíngüe), Paris, 1994; Fictions, ed. Gallimard (bilíngüe), Paris, 1994; Histoire de l’infamie, ed. 10/18, Paris, 1994; Borges en dialogue, ed. Agora (pocket), Paris, 1995; Evaristo Cariego, ed. Seuil, Paris, 1999; Chronique de Bustos Domecq, ed. Le livre de poche, Paris, 2000.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos