Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Aos super ricos, os super genes?

» A Ideologia da Mineração está em xeque

» Orçamento 2020 expõe o Bolsonaro das elites

» A esquecida questão da desigualdade energética

» Crônica de Cuba, em incerta transição

» “Direitos Já”: Uma perigosa contradição

» Cinema: Espelhos deformantes

» As mentiras da ciência a serviço do mercado

» Anatomia da próxima recessão global

» Passo a passo para frear a devastação da Amazônia

Rede Social


Edição francesa


» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil

» Les beaux jours de la corruption à la française

» Parler français ou la « langue des maîtres » ?

» Au Portugal, austérité et contestation

» Le piège du 11-Septembre

» Quand la gomme arabique fait tanguer l'Amérique

» Au Kosovo, la « sale guerre » de l'UCK

» L'école publique à l'encan

» Le régime de Khartoum bousculé par la sécession du Sud


Edição em inglês


» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model

» Soft power influence in the Arabian Gulf

» Life with bribes and kickbacks


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


ILHAS KURILAS

Uma conquista do Exército Vermelho

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

A 18 de agosto de 1945, três dias após a capitulação do Japão, Stalin envia o Exército Vermelho à conquista do arquipélago. Em menos de três semanas, e sem encontrar qualquer resistência, os soviéticos anexam, uma a uma, todas as ilhas

Guy-Pierre Chomette - (01/09/2001)

O Tratado de Shimoda, em 1855, estabeleceu que as Kurilas do Sul seriam japonesas, as do Norte, russas, e a ilha de Sakalina teria um controle misto

As Ilhas Kurilas do Sul foram colonizadas no século XVIII pelos japoneses, que expulsaram os Ainus, povo aborígine estabelecido na região desde a noite dos tempos e atualmente quase desaparecido. Em 1855, por ocasião do Tratado de Shimoda, o Japão e a Rússia partilharam as Kurilas: logicamente, o Japão herdou as Kurilas do Sul, enquanto o norte do arquipélago ficava com a Rússia e a ilha de Sakalina, mais a oeste, passava a ter controle misto. O Tratado de São Petersburgo, de 1875, iria mudar essa situação: as Kurilas passariam, todas, para controle japonês, enquanto Sakalina se tornava propriedade exclusiva dos russos. ( veja os mapas )

Terminada a guerra russo-japonesa de 1905, o Japão anexa a metade Sul de Sakhalin e mantém todas as Kurilas. Porém, a 18 de agosto de 1945, Stalin inverte a situação: três dias após a capitulação do Japão, lança o Exército Vermelho à conquista do arquipélago. Em menos de três semanas, e sem encontrar qualquer resistência, os soviéticos anexam, uma a uma, todas as ilhas. Dois anos mais tarde, os restantes dos 17 mil japoneses das Ilhas Kurilas que não haviam fugido, estabelecem-se (em sua maioria) em Nemuro, na esperança de voltarem a ocupar as ilhas. A cortina de ferro cai sobre o estreito de Nemuro, fronteira (ou “linha de demarcação”, como corrigem sistematicamente os japoneses) tão invisível quanto intransponível1.
(Trad.: Jô Amado)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos