Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Aos super ricos, os super genes?

» A Ideologia da Mineração está em xeque

» Orçamento 2020 expõe o Bolsonaro das elites

» A esquecida questão da desigualdade energética

» Crônica de Cuba, em incerta transição

» “Direitos Já”: Uma perigosa contradição

» Cinema: Espelhos deformantes

» As mentiras da ciência a serviço do mercado

» Anatomia da próxima recessão global

» Passo a passo para frear a devastação da Amazônia

Rede Social


Edição francesa


» Les beaux jours de la corruption à la française

» Parler français ou la « langue des maîtres » ?

» Au Portugal, austérité et contestation

» Le piège du 11-Septembre

» Quand la gomme arabique fait tanguer l'Amérique

» Au Kosovo, la « sale guerre » de l'UCK

» L'école publique à l'encan

» Le régime de Khartoum bousculé par la sécession du Sud

» Les apprentis sorciers de la retraite à points

» Hongkong dans l'étau chinois


Edição em inglês


» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model

» Soft power influence in the Arabian Gulf

» Life with bribes and kickbacks


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


ERA DAS GUERRAS ASSIMÉTRICAS

Arrependimentos

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

Zbigniew Brzezinski, principal assessor de Segurança do presidente James Carter, foi o homem-chave na ajuda maciça aos “combatentes da liberdade” afegãos. Achou a idéia “excelente”, por atrair os russos para uma armadilha

(01/10/2001)

Em 1998, revelações feitas pelo ex-diretor da CIA (Central Intelligence Agency) Robert Gates confirmaram que os Estados Unidos teriam ajudado a oposição ao regime de Cabul vários meses antes da intervenção soviética. Zbigniew Brzezinski, principal assessor de Segurança do presidente Carter, fora o homem-chave na ajuda maciça aos “combatentes da liberdade” afegãos. Entrevistado em 1998 pelo Nouvel Observateur, que lhe perguntou se ele se arrependia daquela operação, respondeu: “Arrepender de quê? A operação secreta foi uma idéia excelente. Teve como conseqüência atrair os russos para a armadilha afegã. E você quer que eu me arrependa? No dia em que os soviéticos atravessaram oficialmente a fronteira, escrevi ao presidente Carter essencialmente o seguinte: ‘Temos agora a oportunidade de dar à União Soviética a sua guerra do Vietnã.’ O que é que é mais importante em termos da história do mundo? Os Taliban ou a queda do império soviético? Alguns radicais islâmicos mais excitados ou a libertação da Europa central e o fim da Guerra Fria?”

Talvez fosse interessar tornar a fazer a mesma pergunta a Zbigniew Brzezinski.
(Trad.: Jô Amado)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos