Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 10 de agosto de 2020

» O trabalho feminino gratuito enfrenta a pandemia

» Fala um líder da República de Paraisópolis

» Não vale enfrentar Bolsonaro e esquecer neoliberalismo

» Quem ganha com a explosão de Beirute

» 7 de agostos de 2020

» Os dois combates de Flávio Dino

» A Embraer continua nossa: e agora?

» Feminismo e internet: as fronteiras para o livre saber

» Por que ultradireita teme um Estado de Emergência

Rede Social


Edição francesa


» La mémoire meurtrie de Mahabad

» L'hostilité et la haine, ici, chaque jour...

» Contestation sonore en Angola

» Contre la concurrence, l'émulation

» Fascination pour les pôles

» Ignorance toxique

» L'Etat utopique ou la haine de l'histoire

» Tunisie : du protectorat à l'autonomie interne

» Algérie : Les réformes de 1947 et l'intégration

» « The Economist », le journal le plus influent du monde


Edição em inglês


» US-Iran: an election showdown?

» August: the longer view

» Hagia Sophia in Turkey's culture wars

» Pilgrimage routes

» Bolivia's shrinking glaciers

» It's the healthcare system, stupid

» The Twenty Years' war

» Government by the worst

» The eternal Johann Sebastian

» Wake up! I have things to say!


Edição portuguesa


» Edição de Agosto de 2020

» Prisioneiros do paradigma

» A guerra dos vinte anos?

» Offshores: paraíso para alguns, inferno para todos

» Edição de Julho de 2020

» Metáforas bélicas

» Alguém disse «sistémico»?

» Dois ou três lugares a preencher – a propósito de José Saramago

» A Jangada de Saramago

» Um homem chamado Saramago


NICARÁGUA

Um desastre total

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Balanço de 10 anos de neoliberalismo: do 60º lugar no índice de desenvolvimento humano da ONU (PNUD) em 1990, a Nicarágua passou, em 1999, para o 116º; o poder aquisitivo dos salários caiu pela metade: a dívida externa duplicou

François Houtart - (01/12/2001)

Nos índices de desenvolvimento humano do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), a Nicarágua passou do sexagésimo lugar, em 1990 (após dez anos de conflito armado), para o centésimo décimo sexto, em 19991. O desemprego chega, oficialmente, a 25%2, mas a sub-utilização da força de trabalho supera os 50%. Entre 1991 e 1999, a redução do poder aquisitivo dos salários foi de 52,08%; 30% das pessoas morrem antes de atingir a idade de começar a trabalhar3. O Banco Mundial avalia que o número de famílias pobres representa 74,8% do total da população. Vítimas de uma verdadeira contra-reforma agrária, a metade das cooperativas rurais (mais de 250) desapareceram e, na região de Masaya, as que restam perderam a metade de suas terras.

A desigualdade social cresce. Entre 1993 e 1998, o 1% dos mais ricos da população, que detinha 13,2% da renda nacional, passou a absorver 15,6%4. A dívida externa, no final de 2000, era de 6,664 bilhões de dólares, quase a metade dela, contraída durante os últimos dez anos5. O valor das importações é três vezes maior que o das exportações – e destinam-se, principalmente, ao consumo das classes privilegiadas.
(Trad.: Celeste Marcondes)

1 - Relatório mundial sobre o Desenvolvimento Humano 2000, PNUD, Nova York, 2000.
2 - Ler, de Nestor Avendaño, Pronósticos económicos en un año electoral, Envío, nº 228, março de 2001.
3 - Ler, de Nestor Avendaño, Pronósticos económicos en un año electoral, Envío, nº 228, março de 2001.
4 - PNUD, El desarrollo humano en Micaragua 2000, Manágua, 2000.
5 - Ler, de Oscar René Vargas, Onze anos despues del ajuste (edição do autor), Manágua, 2001.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Dívida Externa e Dívida Pública
» Neoliberalismo
» ONU
» Nicarágua
» Livre Comércio e Desigualdade
» América Latina

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos