'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Livrando-se do peso da herança
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Gilvan, trabalho e sono no capitalismo periférico

» Por um imposto global sobre as transnacionais

» As eleições 2020 na encruzilhada brasileira

» Cinema: Os últimos soldados da Guerra Fria

» A eleição mais árdua de Evo Morales

» Reviravolta no Oriente Médio: os curdos podem resistir

» Atualismo: assim percebemos o tempo no século XXI

» Porto ameaça cartão-postal amazônico

» Banco Mundial, parceiro de maldades de Bolsonaro

» Por que os EUA traíram a guerrilha curda

Rede Social


Edição francesa


» Un journalisme de racolage

» Une Europe des citoyens

» Ces dures grèves des ouvriers américains

» 17 octobre 1961 : rendez-vous avec la barbarie

» La gauche dans son ghetto, la droite à la radio

» Les médias américains délaissent le monde

» Fruits et légumes au goût amer

» La Bolivie dans l'étau du néolibéralisme

» La crise suscite de sérieux remous en Irak et relance la guerre froide en Proche-Orient

» Les rivalités entre Washington, Moscou et Pékin


Edição em inglês


» Iraq's demographic time bomb

» October: the longer view

» Socialism resurgent?

» Power to decide who's guilty

» East Germany's loyal returnees

» Ankara realpolitik

» South Africa's lands must be shared

» Turkey's rival Islamists

» Argentina's unlikely presidential duo

» Reversing the polarities


Edição portuguesa


» A crise catalã nasceu em Madrid

» Quantas divisões há entre os curdos?

» Edição de Outubro de 2019

» Estabilidade para quem?

» Washington contra Pequim

» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda


SENEGAL

Livrando-se do peso da herança

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Nem o presidente da República nem o primeiro-ministro encontraram tempo para acompanhar o corpo de Léopold Sedar Senghor a Dacar, de volta à sua terra natal. Perderam a homenagem da França a um dos patriarcas da independência na África

Philippe Leymarie - (01/02/2002)

O homem branco não é mais como que era... No dia 1º de janeiro, aliando-se sem aparentes remorsos a um euro impessoal, a França deixou aos africanos a tarefa de se virarem com o “seu” franco, o CFA. E surgiu – na Secretaria de Estado dos ex-combatentes, onde se vem tentando contornar o recente “mandato Diop” 1 – um sábio especialista para afirmar que a revalorização das pensões dos africanos, “congeladas” há quarenta anos, equivaleria a “criar súbitas fortunas” e provocaria “outro terremoto africano”!

Senghor deixou seu cargo tranqüilo, sem ser obrigado a fazê-lo por imposição de mandantes internacionais ou de revoltas populares...

Mas ainda pior foi o que aconteceu no Natal: nem o presidente da República nem o primeiro-ministro encontraram tempo para acompanhar o corpo de Léopold Sedar Senghor a Dacar, de volta à sua terra natal. Dessa forma, perderam o último encontro da França com um dos patriarcas da independência na África: um católico, que governou um país muçulmano, que idealizou a palavra “negritude”, que forçou sua aceitação pela Academia Francesa, que contribuiu para lançar a francofonia e construiu a nação senegalesa – antes de deixar seu cargo, tranqüilo, sem ser obrigado a fazê-lo por imposição de mandantes internacionais ou de revoltas populares...

“Os brancos vão embora”

A República Francesa, que dedicou cerimônias pomposas para o enterro do presidente Houphouët-Boigny, da Costa do Marfim, deixou de levar em consideração esse simbólico adeus a uma época. E a uma figura importante: pouco importava, numa hora destas, que – tanto no hemisfério Norte quanto no Sul – muita gente não apreciasse o “negro-branco”, o socialista da corte Pompidou ou o gramático isolado da ira do mundo, mais próximo da Academia do que da África...

É claro que – com exceção da Air France e de alguns caçadores de empresas privatizadas – “os brancos vão embora”, como constata o ex-legionário e ex-primeiro-ministro Pierre Messmer2 ... “A África dá medo, a África faz fugir. (...) A ex-metrópole cansou-se de nós. (...) O salve-se-quem-puder é geral: investidores, colaboradores, militares e até missionários e organizações não governamentais”, enfatiza o ex-primeiro-ministro centro-africano Jean-Paul Ngoupande, para quem é preciso construir uma “África sem a França3 ”.

Uma cooperação “meia-boca”

A África dos tempos gloriosos (o Império) ou lucrativos (matérias-primas) e dos “quintais” privados pode ser enviada para o lixo da história

Numa França obscurecida pelo enfrentamento prometéico entre os co-habitantes de um dueto insólito4 , será, sem dúvida, em vão que se irá esperar que a palavra “África” seja pronunciada. Ou mesmo que a política externa – com exceção de sua variante de Bruxelas – se torne um tema eleitoral num país em que prevalecem os “critérios de convergência”.

A África dos tempos gloriosos (o Império) ou lucrativos (matérias-primas), dos “quintais” privados (com seu franco indígena, dos votos “automáticos” nas Nações Unidas e das intervenções militares tipo “mamãe está chegando”) pode ser enviada para o lixo da história, já que o senador Michel Charasse, num relatório recente, refere-se a uma cooperação “meia-boca”, que teria resultado de uma “opção desastrosa”, com uma reforma administrativa que foi apresentada como importante (a absorção dos “africanos” pelo Ministério das Relações Exteriores) e que não deu em projeto político algum...

Para que os governantes, em Paris, pudessem ter uma idéia do que é a África, talvez fosse necessário que tivessem uma idéia do que é a França...
(Trad.: Jô Amado)

1 - Trata-se de uma iniciativa do Conselho de Estado, que decidiu que as pensões de ex-combatentes estrangeiros deveriam ser iguais às de seus colegas franceses. A questão envolve 85 mil pessoas e a sua aprovação poderia ter um custo, anual, de 300 milhões de euros (cerca de 625 milhões de reais) para o orçamento nacional da França – mais de 1,5 bilhão de euros (3,12 bilhões de reais), considerando-se retroativamente.
2 - Ler, de Pierre Messmer, Les Blancs s’en vont, ed. Albin Michel, Paris, 2000.
3 - Ler, de Jean-Paul Ngoupande, L’Afrique sans la France, ed. Albin Michel, Paris, 2002.
4 - N.T.: Os franceses chamam “co-habitação” a existência de um governo em que o presidente pertence ao Rassemblement pour la République (RPR, direita) e o primeiro-ministro, ao Partido Socialista (PS, esquerda).




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Senegal
» Recolonização da África
» África
» Ajustes Estruturais

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos