Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Paulo Guedes pego na mentira

» Depois do senhor Guedes e de seu capitão

» Amazônia: caminho para o pós-Bolsonaro

» Tarifa Zero, a experiência europeia

» Marielles na Amazônia: apontar, fogo!

» Na África do Sul, a xenofobia não tem cor

» Uma semana contra o Capitalismo de Desastre

» Na Argentina, algo além de Macri começa a cair

» Transportes: a atualidade da Tarifa Zero

» Aos super ricos, os super genes?

Rede Social


Edição francesa


» Richesse et population, un monde à double face

» Machines hostiles

» Refaire le monde à coups de bistouri

» Libye, l'appel du devoir

» La gauche française bute sur l'Europe

» Fédéralisme à l'allemande et évolutions politiques

» « Métro, boulot, tombeau »

» Plus haute sera la prochaine tour

» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil


Edição em inglês


» The logs of war

» Benjamin Netanyahu, best friend of the far right

» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


DOSSIÊ MÍDIA & NEGÓCIOS

Os dois "canais Plus"

Serge Halimi*

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

Até sua transformação em grande empresa, uma emissora "discordante". Depois de controlada pela Vivendi, um local de fidelidade entre patrão e "criadores"

(01/05/2002)

Há sete anos, um documentário de Pierre Carles, que expunha a conivência entre os jornalistas de renome e o poder político, foi censurado pelo Canal Plus. Na época, o fato surpreendeu: afinal, não era esse o canal de televisão "discordante"? Uma das principais atrações da irreverência codificada, Karl Zéro, deu uma explicação pedagógica ao cineasta censurado: "É o seguinte: você tem que compreender um negócio que eu já compreendi. Existem dois Canal Plus. Existe o primeiro, com um decodificadorzinho, e pronto. Mas depois há o Canal Plus do agora: é uma holding, com satélite e essas coisas. Não tem nada a ver. É outro espírito de empresa ."

Há alguns meses, a direção do Canal Plus enchia a bola de Jean-Marie Messier. Diretor-geral da emissora, Denis Olivennes dizia, entusiasmado: “Não existe aventura industrial mais excitante do que aquela em que embarcamos com Jean-Marie Messier. É a ventania, uma viagem em alto-mar (...). Fidelidade a toda prova. Fidelidade recebida e fidelidade retribuída. Esse é o caráter de Messier1 ”.

Ingenuidade e evidência

"Não existe aventura industrial mais excitante do que aquela em que embarcamos com Messier", dizia, entusiasmado, o diretor-geral do Canal Plus

Pierre Lescure também louvou a “aventura apaixonante de conquista e crescimento. (...) A fusão Vivendi-Universal deixa-nos perante um grupo dirigido por um patrão, Jean-Marie Messier, audacioso na concepção estratégica e corajoso em suas realizações2 .” Atualmente, o mesmo Pierre Lescure avalia, desiludido: “Um grande projeto industrial com um camarada como Messier nunca será sempre impossível para todos os que se lançarem a ele.” E adverte: “O que mais me preocupa é sua determinação exclusivamente financeira e econômica”.

E não se deve esquecer o lado dos programas burlescos. Um de seus idealizadores dizia, no mês passado: “O Canal Plus é uma família em que todos foram cooptados, escolhidos. E quem escolheu Messier? Ninguém. Ele comprou”. Uma brincadeira ingênua que não deixa de ser uma evidência.
(Trad.: Jô Amado)

* Editor-assistente de Le Monde Diplomatique.

1 - L’Express, 29 de março de 2000.
2 - Le Monde, 16 de novembro de 2000.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos