Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» O prisioneiro que não cede ao Grande Irmão

» Previdência: a fábula da República das Laranjas

» A difícil arte de superar o senso comum

» Os mapas do poder dos ruralistas

» Petrobrás: assim Paulo Guedes planeja o desmonte

» O neoliberalismo periférico e a oportunidade perdida

» Nunca fomos tão pequenos

» Caro coxinha, nossa bandeira já é vermelha…

» O mundo encantado da Previdência privada

» A lógica senil da propriedade privada

Rede Social


Edição francesa


» « Différenciés », les Albanais du Kosovo

» Que cessent les vents chauvins

» Ainsi s'élargit le gouffre entre pouvoir capitaliste et réalités sociales

» Le poids du lobby pro-israélien aux États-Unis

» Tradition et qualité françaises

» Batna dans le vertige des peurs et des frustrations

» Vingt ans après, les plaies ouvertes du Kosovo

» Le champ sémantique du populisme

» Les dangers d'une monnaie unique

» L'Algérie sous le choc


Edição em inglês


» White supremacists worm their way into the West's mainstream

» Kosovo's open wounds, twenty years on

» Retiring the Statue of Liberty

» Iraq's choice: US air strikes or Iranian air conditioners?

» Gilets jaunes: the French uprising

» March: the longer view

» Rwanda now sets its own aid rules

» The rise of the hardliners

» Should we be combatting sexism to stimulate economic growth?

» Julia Buxton on Venezuela's ongoing crisis


Edição portuguesa


» O caso do Novo Banco: nacionalizar ou internacionalizar?

» Edição de Março de 2019

» Sabe bem informar tão pouco

» O presidente e os pirómanos

» Edição de Fevereiro e 2019

» As propinas reproduzem as desigualdades

» Luta de classes em França

» Das propinas ao financiamento do Ensino Superior

» Na Venezuela, a lógica do pior

» Vale a pena (re)ler John Kenneth Galbraith?


Em favor de Bové

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

(01/08/2002)

Porta-voz da Confederação Camponesa, José Bové foi o primeiro dirigente sindical a ser preso após a reeleição de Jacques Chirac. E preso devido a uma ação sindical coletiva: o desmonte do restaurante McDonald’s de Millau, em agosto de 1999, num protesto simbólico contra as sanções impostas por Washington aos produtores de queijo roquefort (em represália à recusa, por parte da União Européia, em importar carne bovina com hormônios dos Estados Unidos). É importante frisar que, nesse caso, a ação não foi interposta pela cadeia de restaurantes norte-americana, mas pelo Ministério Público francês!

Estaria o Movimento dos Sem Terra (MST) brasileiro tão longe da verdade quando considera José Bové um “preso político”? Teria a punição o significado de “dar um exemplo” no sentido de desencorajar quem luta, como Bové, contra a globalização liberal? Essa é uma opinião amplamente partilhada, e reforçada pela impunidade de que gozam, por outro lado, os distribuidores de farinhas animais ilegalmente importadas – e potencialmente transmissoras da doença da vaca louca –, assim como os dirigentes do sindicato camponês majoritário, a FNSEA (que pediu votos para Chirac desde o primeiro turno da eleição presidencial), por suas ações violentas contra bens e pessoas, como foi o caso da invasão e saque do escritório de Dominique Voynet, ministra do Meio Ambiente.

Isso sem mencionar essa aflitiva “exceção francesa” que é a imunidade judicial concedida pelo Conselho Constitucional ao presidente da República quando, em qualquer outra democracia ocidental, a suposição dos graves delitos de que é acusado deveria obrigá-lo a explicar-se perante os juízes.

A redação do Monde diplomatique manifesta sua indignação com esse exemplo de “justiça” sob encomenda, contrária a todos os valores que defende nosso jornal.

(Trad.: Jô Amado)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» OMC
» Soberania Alimentar
» Reforma Agrária e Agricultura Familiar

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos