Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Para entender o fascismo dos impotentes

» Previdência, o retrato de um país desigual — e cruel

» Quando os cientistas enfrentam o sistema

» Moro tenta escapulir em latim

» Dinheiro: o novo sonho de controle do Facebook

» Mulheres na política: uma nova onda a caminho

» Sertanejo, brasilidade e Nelson Pereira Santos

» A crise do Brexit e o capitalismo impotente

» Pilger: é hora de salvar o jornalismo

» Missão: extinguir o BNDES

Rede Social


Edição francesa


» Pauvre et femme : la double peine

» M. Sarkozy déjà couronné par les oligarques des médias ?

» La Cisjordanie, nouveau « Far Est » du capitalisme israélien

» Protester avec l'électrochoc de la musique

» Canicule, médias et énergies renouvelables

» Autopsie d'une canicule

» Quand la gauche renonçait au nom de l'Europe

» Un « New Deal » pour l'école

» La Chine bouscule l'ordre mondial

» L'affirmation homosexuelle


Edição em inglês


» US against Iran: war by other means

» How US climate deniers are working with far-right racists to hijack Brexit for Big Oil

» Confessions of a map-maker

» The Spaniards who liberated Paris

» Fighting for communication control

» June: the longer view

» Niger, a migration crossroads

» Niger, a migration crossroads

» Whatever happened to Bob Woodward?

» Europe in space


Edição portuguesa


» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu

» Chernobil mediático

» Edição de Abril de 2019

» A nossa informação, as vossas escolhas


LIVROS

Uma política imoral e ineficaz

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

O autor coloca a política do governo Bush como o ’continuum’ do modo de agir dos Estados Unidos durante o século passado e lamenta amargamente que Washington não saiba tirar qualquer lição da história, persistindo por uma via desastrosa

Gilbert Achcar - (01/09/2002)

Gabriel Kolko, professor emérito da Universidade de York, em Toronto, é o autor de um dos melhores livros sobre a guerra do Vietnã (Anatomy of a War), que ele coroou com um trabalho sobre o Vietnã do pós-guerra. Também escreveu um trabalho notável de reflexão sobre as guerras do século XX.

Foi esse último livro que inspirou o título de sua nova obra, um pequeno livro vigoroso, escrito ainda sob o impacto dos acontecimentos do 11 de setembro e em resposta à reação do governo dos Estados Unidos. Uma reação que deixa prever mais um século de guerra, segundo o autor, contrariando as expectativas otimistas que se seguiram ao fim da Guerra Fria. Colocando a política do governo Bush como o continuum do modo de agir dos Estados Unidos durante o século passado, Kolko lamenta amargamente que Washington não saiba tirar qualquer lição da história, persistindo por uma via desastrosa – tanto para os Estados Unidos como para o resto do mundo. “Uma política externa simultaneamente imoral e ineficaz não é apenas imbecil; é cada vez mais perigosa para os que a adotam e a apóiam”, diz ele.

(Trad.: Jô Amado)

Referência

Un siècle de guerre, de Gabriel Kolko, ed. Les Presses de l’Université de Laval, 2002.

Another Century of War?, de Gabriel Kolko, ed. The New Press, Nova York, 2002, 157 páginas, 15,95 dólares (50 reais).




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Estados Unidos
» História
» Poder Imperial dos EUA

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos