'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Abundância desastrosa
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 4 de agosto de 2020

» Eletrobrás, privatização humilhante

» Chile: a rebeldia retomada e o sistema em xeque

» Rusgas no casamento entre Bolsonaro e Guedes

» Cinema: Minimalismo vazio ou superação do consumismo?

» 3 de agosto de 2020

» Enfim, o direito humano a imprimir dinheiro

» Despotismo algorítmico, outra faceta da exploração

» Por que a pandemia afasta mulheres da ciência

» 31 de julho de 2020

Rede Social


Edição francesa


» Algérie : Les réformes de 1947 et l'intégration

» « The Economist », le journal le plus influent du monde

» L'avènement du tourisme de masse... Près de chez soi

» Babel jeune et innocente

» Des usages de Bach

» Rendez-vous avec Frantz Fanon

» Dans la jungle de Bornéo, des visiteurs en quête d'authenticité

» « Il nous faut tenir et dominer Athènes »

» Égalité, identités et justice sociale

» D'autres pistes pour la santé publique


Edição em inglês


» August: the longer view

» Hagia Sophia in Turkey's culture wars

» Pilgrimage routes

» Bolivia's shrinking glaciers

» It's the healthcare system, stupid

» The Twenty Years' war

» Government by the worst

» The eternal Johann Sebastian

» Wake up! I have things to say!

» Newspapers without borders


Edição portuguesa


» Edição de Agosto de 2020

» Prisioneiros do paradigma

» A guerra dos vinte anos?

» Offshores: paraíso para alguns, inferno para todos

» Edição de Julho de 2020

» Metáforas bélicas

» Alguém disse «sistémico»?

» Dois ou três lugares a preencher – a propósito de José Saramago

» A Jangada de Saramago

» Um homem chamado Saramago


ÍNDIA

Abundância desastrosa

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

A euforia da “melhor safra dos últimos vinte anos” transformou-se num pesadelo: o mercado oferece aos lavradores um preço que corresponde a um terço do custo de produção. E assim, a Índia consolida seu trágico lugar entre os recordistas da miséria absoluta

Roland-Pierre Paringaux - (01/09/2002)

Após dois meses de inércia, o governo fixou um preço – insuficiente e difícil de conseguir: “A burocracia desanima”, explica um agricultor

No distrito de Sikar, Estado de Rajashan, a colheita do sorgo em setembro de 2001 foi excepcional. “A melhor dos últimos vinte anos”, dizem os camponeses. Uma bênção depois de três anos de seca durante os quais milhões de pessoas tiveram que se privar de tudo e se endividar. Principalmente porque, na década de 90, os encargos e os custos de produção dos agricultores não pararam de aumentar enquanto os subsídios se tornavam raros. Mas a euforia não demorou em virar pesadelo. A demanda e os preços de mercado continuaram muito baixos. Segundo Dayal Singh, um camponês do distrito, os comerciantes ofereciam inicialmente 250 rúpias por quintal, um terço do custo de produção. “A esse preço”, protesta Singh, “é melhor guardar a colheita para alimentar os animais”. Depois de dois meses de inércia, o governo fixou um preço garantido de 480 rúpias. Não somente é insuficiente, esclarece Subkaran Bhuria, um agricultor do vilarejo de Chalasi, como também difícil de conseguir: “A quantidade de trâmites burocráticos e de documentos desanima muita gente”. O sorgo conserva-se durante seis meses e os menos endividados podem esperar. Os outros vendem com prejuízo uma colheita que vai inchar estoques já consideráveis. Muitos vão, então, aumentar as fileiras dos que vegetam abaixo do limiar da pobreza. Ou seja, um quarto dos 1.500 habitantes do vilarejo.

Muito criticada, a política governamental – que combina a compra de cereais alimentares a um preço mínimo garantido e a redução de sua distribuição pelo SPD (Sistema Público de Distribuição) – levou, nos últimos anos, a uma situação escandalosa em relação à segurança alimentar de milhões e milhões de pessoas vulneráveis. Alimentados pelas boas colheitas de 2000 e 2001, mas também pela redução da distribuição gratuita ou a preço baixo e pelo fraco poder aquisitivo de uma parte da população, os estoques pertencentes ao governo não pararam de aumentar. Eram avaliados, no ano passado, em mais de 60 milhões de toneladas de grãos (trigo e arroz) para uma capacidade de armazenagem inferior a 30 milhões. E a montanha de cereais, com a qual parece que não se sabe bem o que fazer, cresce. A desnutrição e a fome também. Segundo o Banco Mundial, a Índia tem mais de 250 milhões de pobres - mais de um quarto de sua população. Outros falam em mais de 300 milhões.

O paradoxo da abundância

A montanha de cereais armazenados – com a qual o governo parece não saber bem o que fazer – cresce. A desnutrição e a fome também

Para alguns, o governo faz demais; para outros, não o suficiente. “O resultado desastroso de uma boa colheita”, declarou S. Swaminathan, especialista em questões agrícolas1, “é que os pequenos fazendeiros têm que enfrentar uma derrubada dos preços [...]. Devido a pressões políticas, o governo se precipita para comprar o trigo de má qualidade a preço alto. Isto é caridade, não comércio. Mas é a mentalidade que prevalece no país, o governo é considerado uma vaca leiteira. Seca, inundação, problemas comerciais - ele voa em socorro de uns e de outros [...]. Não é assim que se constrói um sistema agrícola dinâmico.”

E acrescentou: “Continuaremos a viver o paradoxo de uma abundância num oceano de miséria e de uma subutilização do SPD enquanto as pessoas não tiverem poder de compra. Atualmente, esse é o desafio nº 1 da Índia. Um emprego e meios de existência para cada indiano – isso deve ser a base de qualquer política nacional e global.”

(Trad.: Maria Elisabete de Almeida)

1 - “The farming crisis”, Frontline Magazine, Chennai, 2 de fevereiro de 2001.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» India
» OMC
» Livre Comércio e Desigualdade
» Soberania Alimentar
» Comércio Internacional

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos