Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» A l'assaut du sommeil

» Feu le citoyen ?

» La guerre des chaînes d'information

» Deux nouveaux gendarmes : l'Iran et l'Afrique du Sud

» Le devoir de paresse

» Ainsi nos jours sont comptés

» Au Brésil, des collectionneurs d'art très courtisés

» Fantômes russes dans l'isoloir ukrainien

» Bernard Madoff, à la barbe des régulateurs de la finance

» Les famines coloniales, génocide oublié


Edição em inglês


» Rojava's suspended future

» Biden's Middle East challenges

» April: the longer view

» Africa's oil-rich national parks

» Montenegro's path to independence

» Japan's bureaucrats feel the pain

» Who's who in North Africa

» Being Kabyle in France

» Who wins in Chile's new constitution?

» Senegal's five days of anger


Edição portuguesa


» "Catarina e a beleza de matar fascistas": o teatro a pensar a política

» Edição de Abril de 2021

» A liberdade a sério está para lá do liberalismo

» Viva o «risco sistémico!»

» Pandemia, sociedade e SNS: superar o pesadelo, preparar o amanhecer

» A maior mentira do fim do século XX

» Como combater a promoção da irracionalidade?

» A Comuna de Paris nas paredes

» Como Donald Trump e os "media" arruinaram a vida pública

» Edição de Março de 2021


QUESTÃO CURDA

Oitenta anos depois…

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

(01/10/2002)

10 de agosto de 1920: O tratado de Sèvres, assinado entre os Aliados da I Guerra Mundial e a Turquia, prevê a criação de um Curdistão autônomo no leste da Anatólia e na província de Mossoul. Este tratado nunca seria aplicado.

8 de julho de 1937: Pacto de Saadabad, entre a Turquia, o Iraque, o Irã e o Afeganistão. Prevê, entre outras cláusulas, uma coordenação da luta contra a “subversão” curda.

Setembro de 1961: Início de uma rebelião, no norte do Iraque, dirigida por Mustapha Al Barzani sob a palavra de ordem: “Autonomia para o Curdistão, democracia para o Iraque”.

1970: O Ba’ath, partido que chegou ao poder no Iraque em 1968, autoriza a criação de uma região curda autônoma e lhe concede alguns direitos: a língua curda torna-se a segunda língua do país.

6 de março de 1975: O acordo de Argel, entre Bagdá e Teerã, põe fim ao conflito de fronteiras entre os dois países e acarreta a suspensão de qualquer ajuda iraniana à rebelião curda, que é aniquilada.

1988: Repressão contra os curdos no fim da guerra Iraque-Irã. Em março, Bagdá utiliza gases químicos contra o vilarejo de Halabja. Cem mil curdos fogem para a Turquia.

5 de abril de 1991: A ONU aprova a Resolução 688 que exige o fim da repressão contra os curdos e solicita que Bagdá facilite o encaminhamento de ajuda humanitária.

19 de maio de 1992: Eleições livres no Curdistão iraquiano, mas nenhuma autoridade estável é empossada. O Partido Democrático do Curdistão (PDK) controla o Norte da região até a fronteira com a Turquia, e o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK) controla o Sul até a fronteira com o Irã.

Setembro de 1998: Acordo de Washington, entre o PDK e o PKK, sobre a formação de um governo e de um Parlamento provisório no Curdistão iraquiano.

Outubro de 1998: O Irak Liberation Act norte-americano prevê aumentar o apoio à oposição iraquiana, que inclui os partidos curdos, com o objetivo de desestabilizar o presidente Saddam Hussein.

8 de setembro de 2002: Os dirigentes do PDK e do PKK assinam um acordo de paz, reativando o Parlamento unificado. Esta unificação intervém no momento em que Washington se prepara para atacar o Iraque a fim de derrubar seu governo. Cronologia completa em: http://www.monde-diplomatique.fr/ca...

(Trad.: Iraci D. Poleti)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Iraque
» Curdistão
» Guerras
» Turquia
» Nações sem Estado

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos