'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: O novo muro da vergonha
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» No Equador, a insurreição tem rosto indígena

» A instigante experiência da “comuna” originária

» Alcântara, acordo indigno

» Marxismo cultural, hora de um resgate

» Conheci Santa Dulce dos Pobres

» Finanças: antes da tempestade, o mormaço

» O amargo sabor da fruticultura brasileira

» O Mugica que era padre

» O flerte do “lugar de fala” com a brutalidade israelense

» Equador: os componentes da rebeldia andina

Rede Social


Edição francesa


» Gauche latino-américaine, version Uruguay

» Fascisme, islam et grossiers amalgames

» Intellectuels est-allemands sur la sellette

» Le malheur kurde

» La Turquie dans le grand jeu

» Fiasco américain au Proche-Orient

» Le paradis sur terre des intellos précaires

» Ces territoires méconnus de l'économie sociale et solidaire

» Ces visages multiples de l'islamisme

» La santé, malade de l'argent


Edição em inglês


» October: the longer view

» Socialism resurgent?

» Power to decide who's guilty

» East Germany's loyal returnees

» Ankara realpolitik

» South Africa's lands must be shared

» Turkey's rival Islamists

» Argentina's unlikely presidential duo

» Reversing the polarities

» Value chains: who takes the profits?


Edição portuguesa


» Edição de Outubro de 2019

» Estabilidade para quem?

» Washington contra Pequim

» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019


PALESTINA

O novo muro da vergonha

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

O governo israelense está construindo um muro – uma fortificação com arame farpado, espessura de oito metros de concreto e torres de controle a cada 300 metros – em torno da Cisjordânia e de Jerusalém Oriental, encurralando, de forma definitiva, dezenas de milhares de palestinos

Matthew Brubacher - (01/11/2002)

n ten

O “muro de segurança” que o governo israelense está construindo em torno da Cisjordânia e de Jerusalém vai modificar radicalmente a paisagem geográfica e política do Oriente Médio. Edificando uma muralha três vezes mais alta e duas vezes mais larga do que o muro de Berlim – que a Alemanha Oriental chamava de “muro da paz” e a Alemanha Ocidental, de “muro da vergonha” –, Israel vai anexar unilateralmente uma parte substancial da Cisjordânia e aumentar as barreiras militares em torno das cidades palestinas, encerrando eficazmente aí os habitantes.

Um primeiro muro havia sido construído em torno de Gaza durante a primeira Intifada (1987-1993), quando o Estado hebreu cercou essa faixa de terra com uma barreira eletrificada e hermeticamente fechada. Esta lhe permitiu manter a autoridade sobre suas 16 colônias assim como controlar os movimentos dos palestinos. Atualmente, Israel mantém controle sobre 50% de Gaza e confina seu 1,2 milhão de habitantes num espaço apenas duas vezes maior do que a cidade de Washington.

Uma “fronteira política”

O muro representa a anexação unilateral de uma parte substancial da Cisjordânia e aumenta as barreiras militares em torno das cidades palestinas

Os palestinos da Cisjordânia vão ter o mesmo destino que os de Gaza. A primeira etapa consiste em separar Israel da maior parte do norte da Cisjordânia. A muralha acompanha as fronteiras de 1967, anexando várias colônias; cerca estritamente vários territórios-chave palestinos e corta outros. Zonas palestinas, como a aldeia de Qaffin, se vêem privadas de 60% de suas terras agrícolas, enquanto outras, como a cidade de Kalkilya, não somente são privadas de suas terras, mas cortadas tanto da Cisjordânia como de Israel. Essa parte do muro custa ao governo israelense mais de um milhão de dólares o quilômetro e é fortificada com paredes de concreto de oito metros, torres de controle a cada 300 metros, trincheiras com profundidade de dois metros, arame farpado e estradas de contorno.

A primeira parte desse muro “do Norte” se estende por 95 quilômetros, de Salem a Kafr Kassem, e vai chegar efetivamente a uma anexação de 1,6% da Cisjordânia, incluindo 11 colônias israelenses e 10 mil palestinos. O Estado hebreu projeta incorporar essa zona a Israel de tal maneira que, quando forem retomadas as negociações sobre a situação final, um retorno teria um custo tão alto do ponto de vista político, que essa incorporação será considerada como irreversível. Estamos, portanto, diante de uma estratégia para deslocar a linha verde.

A construção do muro em torno de Jerusalém Oriental é ainda mais devastadora para as aspirações palestinas de se tornar um Estado. Enquanto ao norte, o muro nunca se estende para além de oito quilômetros no interior das terras, em Jerusalém avança bem mais profundamente. Essa diferença mostra que a lógica israelense varia conforme se trate do muro do norte ou o de Jerusalém. As aspirações mínimas de Israel, que correspondem às proposições formuladas nas reuniões de Camp David (julho de 2000) e de Taba (janeiro de 2002), provam que o Estado hebreu pretende conservar as colônias situadas ao norte e que estão atualmente para além do muro. Isso confirma, como repetiu o primeiro-ministro Ariel Sharon e o então ministro da Defesa, Benyamin Ben Eliezer1, que nessa região o muro não representa uma fronteira política. Por outro lado, em Jerusalém, sua construção reflete as aspirações israelenses e representa desta maneira uma fronteira política.

Uma barreira eletrificada em Jerusalém

Atualmente, Israel mantém controle sobre 50% de Gaza e confina seu 1,2 milhão de habitantes num espaço apenas duas vezes maior do que Washington

A fim de consolidar o controle sobre a Grande Jerusalém, o Estado hebreu concentra suas construções nessa região. No “plano de envolvimento de Jerusalém”, ao qual Sharon deu sinal verde no início do ano, o muro deveria acompanhar as fronteiras da cidade tal como os israelenses as haviam definido depois da anexação de Jerusalém Oriental em 1967, e incluir, além disso, os dois grandes blocos de colônias de Givon e Adumin, que estão fora do território anexado.

Essa anexação da Grande Jerusalém ao Estado hebreu coloca muitos e graves problemas, uma vez que acaba por incorporar um grande número de palestinos, destacando as contradições entre os imperativos da demografia e dos da segurança. A fim de resolver esse problema, Israel tenta construir dois muros em torno de Jerusalém. O primeiro é uma separação interna, construída principalmente em torno das fronteiras municipais, definidas por Israel. O segundo será uma separação externa em torno dos blocos de colônias. Ao contrário das fortalezas medievais, esses muros de Jerusalém serão compostos por uma barreira eletrificada, uma estrada de contorno e, em determinados lugares, trincheiras, de paredes de concreto e detectores de movimento.

Os dois muros se apresentam como um colar que forma uma espécie de fio ligando as colônias israelenses existentes e os locais militares. Trata-se de ligar colônias já protegidas por cordões de segurança e de reforçar, dessa forma, o controle sobre todos os espaços que as separam.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Israel
» Palestina
» Barreiras Físicas de Segregação Social
» Ocupação da Palestina

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos