Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Para entender o fascismo dos impotentes

» Previdência, o retrato de um país desigual — e cruel

» Quando os cientistas enfrentam o sistema

» Moro tenta escapulir em latim

» Dinheiro: o novo sonho de controle do Facebook

» Mulheres na política: uma nova onda a caminho

» Sertanejo, brasilidade e Nelson Pereira Santos

» A crise do Brexit e o capitalismo impotente

» Pilger: é hora de salvar o jornalismo

» Missão: extinguir o BNDES

Rede Social


Edição francesa


» Pauvre et femme : la double peine

» M. Sarkozy déjà couronné par les oligarques des médias ?

» La Cisjordanie, nouveau « Far Est » du capitalisme israélien

» Protester avec l'électrochoc de la musique

» Canicule, médias et énergies renouvelables

» Autopsie d'une canicule

» Quand la gauche renonçait au nom de l'Europe

» Un « New Deal » pour l'école

» La Chine bouscule l'ordre mondial

» L'affirmation homosexuelle


Edição em inglês


» US against Iran: war by other means

» How US climate deniers are working with far-right racists to hijack Brexit for Big Oil

» Confessions of a map-maker

» The Spaniards who liberated Paris

» Fighting for communication control

» June: the longer view

» Niger, a migration crossroads

» Niger, a migration crossroads

» Whatever happened to Bob Woodward?

» Europe in space


Edição portuguesa


» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu

» Chernobil mediático

» Edição de Abril de 2019

» A nossa informação, as vossas escolhas


UNIÃO EUROPÉIA

Mera propaganda?

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

Vários corredores interessam diretamente aos Bálcãs, mas somente o X (Décimo), que liga a Alemanha à Grécia através da Croácia e da Sérvia, parece destinado a um desenvolvimento rápido

Jean-Arnault Dérens - (01/11/2002)

Os corredores de desenvolvimento constituem um vasto projeto de ampliação das comunicações e do comércio através de todo o continente europeu. Reunirão vias terrestres, ferroviárias e, quando isso não for possível, fluviais. Não existe orçamento algum para a realização desses corredores, que devem encontrar financiamentos específicos para esse fim. O Pacto de Estabilidade para a Europa do Sudeste, fundado em 10 de junho de 1999, no dia seguinte à assinatura dos acordos militares de Kumanovo – que puseram fim à guerra do Kosovo – pode destinar recursos aos projetos do corredor, mas em escalas que continuam limitadas.

Muitos corredores interessam diretamente aos Bálcãs: o Vc e o VII (Quinto C e Sétimo), que correspondem ao eixo do Danúbio, o VIII (Oitavo), que liga Sofia a Skopje, na Macedônia, e a Durrës, na Albânia, e o X (Décimo), que liga a Alemanha à Grécia através da Croácia e da Sérvia. Só este último parece destinado a um desenvolvimento rápido. Para a Grécia, o objetivo é que a via rodoviária seja inteiramente acabada antes dos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2004.

(Trad.: Maria Elisabete de Almeida)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Transportes
» União Européia
» Balcãs

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos