'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Um naufrágio esquecido
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» La Pologne s'accroche à son charbon

» Le miasme et la jeune fille

» L'énigme de « La Coubre »

» Au Canada, la fin de la résignation pour les peuples autochtones

» Jean Cavaillès, une pensée explosive

» Au Rwanda, la tradition instrumentalisée

» Les municipalités laissent mourir les centres de santé

» Samsung ou l'empire de la peur

» Main basse sur l'eau des villes

» Percées et reflux en Europe


Edição em inglês


» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth

» The Huawei war

» Moscow's Active Citizens

» Greater Moscow's unsure future

» Golden age of coal turns to black dust

» For those in peril on the sea

» China's outlaw fishermen

» The Great Lockdown hits the Third World hard

» A question of borders


Edição portuguesa


» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA

» Edição de Setembro de 2020

» Cuidar dos mais velhos: por uma rede pública e universal

» Restauração em Washington?

» Cabo Delgado: névoa de guerra, tambores de internacionalização


LIVROS

Um naufrágio esquecido

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

A principal preocupação do escritor Günter Grass é com a releitura acrítica do nacional-socialismo pelas jovens gerações que, após quatro décadas de República Democrática Alemã, não se deixaram influenciar pelo antifascismo comunista

Dominique Vidal - (01/02/2003)

n trem

Quem diz naufrágio, pensa no Titanic. No entanto, houve outros mais trágicos, no século XX. A começar pelo do navio alemão Wilhelm Gustloff, que foi afundado no dia 30 de janeiro de 1945, perto de Dantzig, por um submarino soviético, o S-13. A bordo dele amontoavam-se vários milhares de civis alemães, temeroso da vingança do Exército Vermelho, que naquele momento estava em plena ofensiva, em direção da Alemanha - como também, é bom lembrar, os 1.336 marinheiros e auxiliares do submarino e os torpedos. Como não foi possível encontrar lista alguma dos passageiros, seu número continua desconhecido – exceto o de crianças e adolescentes: mais de 4 mil. Apenas algumas centenas de passageiros sobreviveram ao naufrágio. Entre os milagrosos sobreviventes, o narrador, nascido durante essa trágica viagem e que, quase seis décadas depois, relembra essa história para os leitores.

Em janeiro de 1945, um submarino soviético afundou um navio alemão, o Wilhelm Gustloff, com vários milhares de civis a bordo

Ou melhor, essas histórias. A história do barco propriamente dito, o mais prestigioso navio de cruzeiro da Kraft durch Freude1, entidade voltada para o lazer, fundada pelo dirigente nacional-socialista Robert Ley com o objetivo de “cooptar” a classe operária. A história do comandante do S-13, Alexander Marinesko, condecorado com uma medalha de herói da União Soviética por aquele torpedo, dedicado a Stalin, mas que também passou vários anos num Gulag. A história do homem que deu o nome ao navio, Wilhelm Gustloff, um chefete do partido nazista da Suíça que se tornou um “mártir” do nazismo e de sua cidade natal, Schwerin, após ter sido assassinado, no dia 4 de fevereiro de 1936, por um estudante judeu. A história deste último, David Frankfurter, que imaginava que, com seu gesto, iria “despertar seu povo”. A história de Herschel Grynspan que, para vingar seus companheiros, faria o que seria a senha para a “Noite de Cristal”, matando, em Paris, o diplomata Ernst von Rath. A história do narrador, jornalista free-lance após ter passado pelas redações dos jornais de Axel Springer2 e ter feito algumas matérias para o jornal Tageszeitung3. E, finalmente, a história do internauta que decidiu reabilitar o “mártir” Wilhelm Gustloff e revelar o martírio dos náufragos do navio do mesmo nome...

Uma comunista saudosista do III Reich

Günter Grass supera-se nesses labirintos onde se perde a linearidade das narrativas tradicionais: ele gosta de passar de uma personagem para outra e de um tema para outro, além de multiplicar as idas e vindas entre o passado e o presente. Daí o título, En crabe (Como caranguejo) 4, mais revelador da iniciativa do escritor do que do romance propriamente dito.

Günter Grass supera-se nos labirintos das várias histórias da tragédia – que se entrelaçam e onde se perde a linearidade das narrativas tradicionais

O livro nada tem a ver com um simples exercício de estilo. O autor se entrega ao tema, deliciado, para melhor enfiar, e tornar a enfiar, a faca na velha ferida, mal cicatrizada, que ele tanto gosta de fuçar há várias décadas: a relação – tão dolorosa quanto contraditória – que a Alemanha mantém com seu passado. Exemplo dela é a imagem dessa personagem incrível que é a mãe do narrador, a marceneira Tulla Pokriefke, originária de uma família muito popular de refugiados da Kochnévia, boa comunista da República Democrática Alemã e, apesar de tudo, saudosista das “boas” coisas do III Reich...

O caminho estreito para a verdade

Mas a principal preocupação de Günter Grass é com a releitura acrítica do nacional-socialismo pelas jovens gerações que, após quatro décadas de República Democrática Alemã (RDA), não se deixaram influenciar pelo antifascismo comunista. Como se sabe, os grupos neo-nazistas proliferam mais do lado oriental do que do ocidental, após a unificação alemã. Uma descoberta dilacerante do narrador: o responsável pelo site neo-nazista e anti-semita que glorifica o “mártir” Wilhelm Gustloff não é senão seu próprio filho, Konny, de 16 anos, que ele abandonou – ou quase – à guarda de sua ex-mulher após o divórcio e que sua avó literalmente recrutou. Se a Alemanha abandona seus filhos, como o narrador fez com o seu, pode esperar por uma tragédia.

Entre uma narrativa “politicamente correta” – que silencia, por exemplo, sobre crimes de guerra representados pelo assassinato dos milhares de passageiros do Wilhelm Gustloff ou pelo monstruoso bombardeio de Dresden – e a releitura hagiográfica da barbárie nazista como a negação do genocídio, sobra um caminho estreito para a verdade histórica. E para o seguir, sem dúvida, será necessário caminhar como um caranguejo...

(Trad.: Jô Amado)

1 - “A Força pelo Prazer”.
2 - N.T.: Proprietário da maior rede de jornais sensacionalistas (“imprensa marrom”) da Alemanha.
3 - Herdeiro do movimento estudantil alemão da década de 60, o Tageszeitung publica mensalmente a edição alemã do Monde diplomatique.
4 - En crabe, de Günter Grass, traduzido por Claude Porcell, ed. Seuil, Paris, 2002, 240 páginas, 19 euros (75 reais)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Literatura
» Romance
» Alemanha

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos