Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Rio: o que esperar das UPPs recauchutadas

» 24 de janeiro de 2021

» Ucrânia: quem atiça a guerra em zona crítica

» Brasil: assim surge um “novo” clientelismo

» Honduras: a nova presidente diante do colapso

» Honduras: a nova presidente diante do colapso

» 21 de janeiro de 2020

» Amor, desconcerto anticapitalista

» Torto Arado e o direito da mulher camponesa

» ¿Adónde va Chile?: Um olhar afetivo e político

Rede Social


Edição francesa


» L'armée mexicaine de l'Union européenne

» Les candidats parlent de moi

» À gauche… mais proches des milieux d'affaires

» Argent public, fortunes privées

» Le Roi sans nuages ni soleil

» Le Maghreb central

» Conséquences du changement climatique au Maghreb

» Alphabétisation & scolarisation

» Développements comparés des pays du Maghreb

» Taux de croissance annuel de la population


Edição em inglês


» January: the longer view

» United States: the black hole of Guantanamo

» Transnistria: a pro-Russian enclave in Europe

» The Chinese take to the slopes

» Japanese women find their voice

» The open-source world is more and more closed

» Transnistria, relic of a frozen conflict

» The Algeria-Morocco standoff

» Chile's victorious ‘new left' brings hope, but it's all to play for

» Europe's secretive system to keep out migrants


Edição portuguesa


» A orquestra do caos

» Recortes de Imprensa

» Será a caneta mais poderosa do que a espada?

» A pilhagem da comunidade do software livre

» Braço-de-ferro entre Marrocos e a Argélia

» Transnístria: o vestígio de um conflito congelado

» As japonesas já não querem ficar caladas

» O regresso da chantagem da dívida

» Homenagem do vício à virtude

» Impor uma visão do mundo


FRANÇA

Histórico e atual

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

O programa do Conselho Nacional de Resistência, aplicado após a libertação da França, preconiza medidas que hoje são mais atuais do que nunca

Serge Wolikoff - (01/03/2004)

Hoje a pobreza e o desemprego se expandem e a maioria dos meios de comunicação estão nas mãos de comerciantes de armas

Lendo a parte do programa do Conselho Nacional da Resistência (CNR) sobre as medidas a aplicar desde a libertação da França, nem sempre se tem a impressão de que se trata de uma época ultrapassada. Algumas dessas medidas são conjunturais: confisco dos bens dos traidores e dos traficantes do mercado negro, imposto progressivo sobre os lucros da guerra. Muitas outras constituem desde então conquistas democráticas: sufrágio universal, liberdade de consciência e de expressão, liberdade de associação, de reunião e de manifestação etc. Há uma terceira série de medidas que encontraram as primeiras aplicações na segunda metade dos anos 1940, mas que depois dos trinta gloriosos1, começaram a ser corroídas até serem frontalmente questionadas pelo neoliberalismo e com um zelo todo especial pelo governo de Jean-Pierre Raffarin. Os princípios de ação que se seguem não são um catálogo tirado de um navio incendiário esquerdista, mas princípios decididos por um CNR reunido pelo general De Gaulle:

- independência da imprensa em relação ao Estado e ao poder do dinheiro;

- igualdade absoluta de todos os cidadãos diante da lei;

- retorno à nação dos grandes meios de produção monopolizados, frutos do trabalho comum, das fontes de energia, das riquezas do subsolo, das companhias de seguro e dos grandes bancos;

- garantia de um nível de salário e proventos que assegure a cada trabalhador e sua família a segurança, a dignidade e a possibilidade de uma vida plenamente humana;

- um plano completo de seguridade social;

O programa do CNR não previa que, sessenta anos mais tarde, num país imensamente mais rico, existiria uma Renda Mínima de Inserção (RMI), os Restaurantes do Coração2 , os Sem-Domicílio Fixo (SDF); que a pobreza, o desemprego e a precariedade estariam em plena expansão e que a maioria dos grandes meios de comunicação franceses estariam nas mãos de comerciantes de armas...

(Trad. Betty Almeida)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» França
» Segunda Guerra Mundial

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos