'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: As 50 vozes da Resistência
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Chile conquista Constituinte – mas qual?

» O peculiar totalitarismo do século XXI

» Quem poderá salvar Veneza?

» Bolívia: não despreze a resistência

» O adereço de Guedes e o sentido do governo

» O Chile Rebelde quer ir além

» É possível pensar o Brasil após o neoliberalismo?

» América Latina: Povo sem pernas, mas que caminha

» Cinema: Entre a cruz e o maracatu rural

» Atingida por barragem e acossada pelos poderosos

Rede Social


Edição francesa


» Séisme sur les retraites en Argentine et au Chili

» Ce nouveau parti qui bouscule le paysage politique allemand

» La figure imposée du dernier poilu

» Les dossiers enterrés de Tchernobyl

» Une femme à la barre de l'Argentine

» La Chine au miroir de l'Occident

» « Choc des civilisations », à l'origine d'un concept

» Les Allemands de l'Est saisis par l'Ostalgie

» A Berlin, le face-à-face des intellectuels de l'Est et de l'Ouest

» Réveil politique à l'Est


Edição em inglês


» The fall of liberal triumphalism

» Sarah Seo on Americans, their cars and the law

» November: the longer view

» Ibrahim Warde on the rise and fall of Abraaj

» Fighting ISIS: why soft power still matters

» Life as a company troll

» The imperial magazine

» Setting Socrates against Confucius

» Price of freedom on the road

» Global business of bytes


Edição portuguesa


» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário

» Edição de Novembro de 2019

» Sempre uma coisa defronte da outra

» OTAN: até quando?

» Alojamento local-global: especulação imobiliária e desalojamento

» Rumo a uma governança participativa da vida nocturna de Lisboa


EDITORIAL

As 50 vozes da Resistência

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Na grande festa de comemoração dos 50 anos do Le Monde diplomatique, 5 mil pessoas se reuniram e ecoaram a reflexão de 50 personalidades comprometidas com a transformação do mundo, como João Pedro Stédile, José Bové, José Saramago, Eduardo Galeano, Naomi Klein e Noam Chomsky

Dominique Vidal - (01/06/2004)

Ignácio Ramonet dedicou a Pierre Bourdieu sua reflexão sobre a generalização das mentiras do Estado, que colocam nossas sociedades em “estado de insegurança informacional

Há algo curioso no silêncio da maior parte das grandes mídias em relação à grande festa organizada pelo Le Monde Diplomatique, em 8 de maio de 2004, no Palais des sports na porta de Versailles, em Paris, em comemoração a seu 50º aniversário1. Como se a ausência de televisões e de rádios pudesse ocultar o evento. O fato, no entanto, é esse: 5 000 pessoas reuniram-se, durante dez horas, em torno de cinqüenta “vozes da resistência” – as das personalidades que vieram da França e do mundo inteiro, e também as de cantores e músicos, franceses e estrangeiros, todos estavam lá gratuitamente. Filósofos, escritores, ensaístas, sindicalistas, militantes: esses reencontro de intelectuais engajados foram um eco dos grandes movimentos pela paz do pós-guerra, até mesmo dos Congressos anti-fascistas do anos 1930. Nesse dia, houve muitos discursos, tão diversos quanto os oradores. Todos tinham, porém, um ponto em comum: não eram palavras de circunstância, eram reflexões, refinadas e profundas, sobre o mundo saído da guerra-fria e sobre a melhor maneira de transformá-lo. Era como um diálogo entre participantes – europeus, americanos do Norte e do Sul, africanos, israelenses e palestinos, asiáticos – na mesma onda, com suas convergências e suas divergências.

“Novo internacionalismo”

Depois de uma entrevista de vídeo dada por Noam Chomsky que, dos Estados Unidos, analisou os fundamentos da hiperpotência americana. Ignácio Ramonet dedicou a Pierre Bourdieu sua reflexão sobre a generalização das mentiras do Estado, que colocam nossas sociedades em “estado de insegurança informacional”. Companheiro de Jean Moulin, Raymond Aubrac começou construindo uma ponte entre os Resistentes de hoje e aqueles de ontem, e cujo apelo mais recente, com o qual concluiu é: “Criar, é resistir. Resistir, é criar.” Como, por exemplo, o sul-africano Zackie Achmat, que, como seu Treatment Action Campaign (TAC) fez uma bela batalha contra a AIDS e pelo acesso igual aos tratamentos, o coração das novas lutas sociais. Para o filósofo Etienne Balibar, o “fim das utopias” pede um “novo internacionalismo”; e incitou o Le Monde diplomatique a trabalhar para isso, dar mais espaço à “contradição” e rejeitar o discurso ininteligível (tecniquês). Graças ao vídeo, tivemos o rosto magro, mas o olhar brilhante e a voz elegante de Edward W. Said, prematuramente desaparecido no final de setembro de 2003: “Eu talvez não seja um bom profeta, mas não penso que o processo de Oslo nos levará longe2”, diz ele. Em seguida o escritor uruguaio Eduardo Galeano: “Se não podemos adivinhar o que será a época, ao menos temos o direito de imaginar o que queremos que ela seja”. Esse direito, ele o tomou, e sua poesia entusiasmou o público que o escutou em silêncio. Impressionante. De volta aos combates cotidianos, com José Bové, para quem os camponeses constituem, na escala planetária, uma força determinante – ele concluiu conclamando à manifestação contra a “Fazenda celebridades”, expressão do desprezo pelo mundo rural! Depois da canadense Naomi Klein, que denunciou a guerra americana no Iraque, o sindicalista Claude Debons enfatiza o novo élan das lutas sociais, com seus fracassos (e seus recuos) e seus sucessos (os recalculé-e-s3) – o realismo deve rimar com voluntarismo...

Uma conclamação à “impaciência”

José Saramago conclamou à “impaciência contra a resignação e o conformismo. A impaciência contra todo os que nos fazem perder a paciência”

“Antes de ontem, eu era tratado como comunista, ontem, como narcotraficante e hoje, sou terrorista”, contou o índio boliviano Evo Morales, líder e deputado dos camponeses produtores da coca: o que Washington e seus aliados não suportam, são simplesmente as reivindicações populares, a começar pela moratória da dívida. O antigo dirigente de esquerda e filósofo italiano, Toni Negri, antes de arrasar o Império e as nações, fez uma bela homenagem ao Diplô: “Quando ele chegava na prisão, sua leitura coletiva era um momento de luta eficaz contra a repressão e a depressão”. De Régis Debray veio uma sugestão original e simbólica: a transferência da sede das Nações Unidas para Jerusalém. Ao final de uma severa crítica da democracia ocidental, esvaziada de seu sentido, o Premio Nobel português José Saramago conclamou à “impaciência”: “O momento chegou de perguntarmo-nos se a salvação da democracia não reside, exatamente, na impaciência dos cidadãos. A impaciência contra a resignação e o conformismo. A impaciência contra todo os que nos fazem perder a paciência”. Depois vieram várias mulheres, em abundância. Christine Delphy construiu, do ponto de vista misto um balanço, sem complacência, das aquisições do movimento das mulheres, antes de lembrar essa “simples idéia”: “A auto-emancipação é uma luta levada pelos opimidos e para os oprimidos.” Ex- ministra da cultura do Mali, Aminata Dramane Traoré não se esquivou das questões postas pelos erros cometidos na África desde as independências, mas insistiu: “Se a África é ingovernável, é porque ela é governada do exterior por atores anônimos que não têm que prestar contas a nossos povos”. A Secretária-Geral da Anistia Internacional, a bangladeshiana Irene Khan evocou os crimes cometidos em Guantanamo e em Abou Graib, nos quais ela vê “a conseqüência da impiedosa ‘guerra contra o terrorismo’ conduzida por governos independentemente do preço em matéria de valores e princípios”.

Contra o anti-semitismo e todos os racismos

Espantosa a imagem de Jacques Derrida, um dos maiores intelectuais franceses, cuja língua é muitas vezes qualificada de “difícil” e que, no entanto, foi seguida por um impressionante silêncio e por milhares de rostos atentos. Seu chamado à mobilização contra o anti-semitismo e contra todos os racismos foi aplaudido vigorosamente. Depois, João Pedro Stédile, porta-voz dos sem-terra do Brasil, conclama a Europa a resistir à hegemonia norte-americana. Com o prefeito de Caracas, Freddy Bernal, que com um pequeno livro azul nas mãos (a constituição da Venezuela), defende a obra da revolução bolivariana, o Palais des sports vai atingindo o seu fim. Ele se conclui em cima de uma causa cara ao coração de todas e todos: Israel e a Palestina. O historiador israelense Gadi Algazi, um dos animadores da associação judeu-árabe Taayoush, e Leila Shahid, delegada geral da Palestina na França, não se contentaram em convocar à solidariedade: eles pensaram em voz alta, com a sala ainda cheia, nessa hora adiantada. O primeiro mostrou como o movimento pacifista israelense, em outros tempos, grande apreciador de imagens e de símbolos, busca, hoje, no terreno, tateando, formas de ação mais concretas e por isso, mais duradouras. A segunda, após ter convocado Gadi para ficar a seu lado, explica que, nesses tempos de “choque de civilizações”, “israelenses e palestinos ganharão em conjunto ao coexistirem, finalmente, cada um em seu Estado – ou perderão em conjunto, e o mundo inteiro com eles”. De mãos dadas, eles foram interminavelmente aplaudidos.

Uma canção para cada um

Os artistas também souberam reunir um público de grande diversidade de idades, de origem e de horizontes. Os mais jovens – exatamente esses que escutaram com atenção os discursos dos convidados – se encontraram diante do palco para dançar ao ritmo das canções de Gnawa difusão, Tyken Ja Fakoly e Bonga. Os mais antigos vibram com Paco Ibanez – comovendo com Temps des cerises, retomado por 5000 vozes – e com os auxiliares no vídeo Juliette Gréco e Jean Ferrat. Todos os gêneros se expressaramm para que cada um se encontrasse em uma canção (Sapho, Kent, Gilles Non, Tryo), o rap (La Rumeur), o jazz (Manu Dibango, Bernard Lubat, Akosh S), o humor (Plagiat), em um programa aberto para as áreas revolucionárias da companhia Jolie Môme e concluiu com Marcel Khalifé acompanhado por seus filhos... Por volta de 23 horas, com a equipe do Diplô no palco, foi marcado o 100 º aniversário. E antes disso, caso uma outra ocasião permitir aos amigos do Monde diplomatique de se reencontrarem para uma outra festa?... O Palais des sports deixou com vontade...

(Trad.: Teresa Van Acker)

1 - TV5, France Inter, France Info e France Culture forma as únicas mídias a darem a notícia. Notamos, contudo, que antes do Palais des sports, a agência France Presse, a Associated Press, Radio France internationale, TSF, L’Humanité, Libération, La Tribune et Le Monde haviam dedicado um artigo ao 50º aniversário do Monde diplomatique.
2 - Era um trecho de se discurso de conclusão no Colóquio dos historiadores israelenses e palestinos, organizado em 14 de maio de 1998 pelo Le Monde diplomatique e pela La Revue d’études palestiniennes.
3 - Essa palavra refere-se aos desempregados que se mobilizaram para garantir direitos que estavam sendo cortados e estão tendo alguns ganhos, por isso o nome recalculé.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Imprensa
» Nova Cultura Política
» Outra Comunicação
» Construção do Pós-Capitalismo

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos