Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Bolívia: não despreze a resistência

» O adereço de Guedes e o sentido do governo

» O Chile Rebelde quer ir além

» É possível pensar o Brasil após o neoliberalismo?

» América Latina: Povo sem pernas, mas que caminha

» Cinema: Entre a cruz e o maracatu rural

» Atingida por barragem e acossada pelos poderosos

» Como o Google favorece a manipulação política

» Por um novo Pacto das Catacumbas

» Chantagem do governo aos desempregados

Rede Social


Edição francesa


» La figure imposée du dernier poilu

» Les dossiers enterrés de Tchernobyl

» Une femme à la barre de l'Argentine

» La Chine au miroir de l'Occident

» « Choc des civilisations », à l'origine d'un concept

» Les Allemands de l'Est saisis par l'Ostalgie

» A Berlin, le face-à-face des intellectuels de l'Est et de l'Ouest

» Réveil politique à l'Est

» Les Allemands de l'Est, sinistrés de l'unification

» Le difficile chemin de la démocratie espagnole


Edição em inglês


» The fall of liberal triumphalism

» Sarah Seo on Americans, their cars and the law

» November: the longer view

» Ibrahim Warde on the rise and fall of Abraaj

» Fighting ISIS: why soft power still matters

» Life as a company troll

» The imperial magazine

» Setting Socrates against Confucius

» Price of freedom on the road

» Global business of bytes


Edição portuguesa


» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário

» Edição de Novembro de 2019

» Sempre uma coisa defronte da outra

» OTAN: até quando?

» Alojamento local-global: especulação imobiliária e desalojamento

» Rumo a uma governança participativa da vida nocturna de Lisboa


URSS

Sete anos

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

O curto e intenso período histórico em que a União Soviética ruiu

(01/06/2005)

1985 - Mikhail Gorbatchev é eleito secretário-geral do Partido Comunista da União Soviética (PCUS) no dia 12 de março e apresenta seu relatório no dia 12 de abril ao plenário do Comitê Central.

1986 - Fevereiro-março: XXVII Congresso do PCUS. Rumo à “reforma radical”. Abril: explosão do reator 4 da central nuclear de Tchernobil, na Ucrânia.

1987 - Autonomia das empresas estatais. Desenvolvimento das “cooperativas” privadas.

1988 - Conferência do PCUS que preconiza a democratização política. Início da retirada das tropas soviéticas do Afeganistão.

1989 - Guinada liberal nas reformas. Queda do Muro de Berlin em 9 de novembro.

1990 - O G7 pede ao Fundo Monetário Internacional (FMI) que “aconselhe” as reformas na URSS.

1991 - Boris Ieltsin é eleito presidente da Rússia. Dissolução da URSS. Gorbatchev se demite no dia 25 de dezembro de 1991.

1992 - “Terapia de choque” e início das privatizações. Em junho, a Rússia adere ao FMI.

(Trad.: Iraci D. Poleti)




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Rússia
» Balanços do “Socialismo Real”
» Ex-URSS

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos