Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Au travail, les enfants

» En Afrique, la démocratie entravée

» Le grand partage du globe

» La France et son espace maritime de souveraineté économique

» Villes et comptoirs hanséatiques

» Le sultanat de Malacca à la fin du XVe siècle

» Les grandes poubelles de plastique

» Feu vert à la surveillance de masse

» G8 : policiers italiens condamnés... et promus

» L'Italie saisie par la tentation autoritaire


Edição em inglês


» The rift in the AfD

» The forgotten chapter of the women's movement

» The battle for narrative in Afghanistan

» Work less, pollute less

» July: the longer view

» Ethiopia's failed experiment in ethno-federalism

» What press freedoms for North Africa?

» The Balkans rediscover socialism

» China's balancing act: power or prosperity?

» The immovable Assad clan


Edição portuguesa


» O direito à alimentação no mundo continua por cumprir

» Filho da Preguiça

» Boca de Cena

» Pandemónio Pandomínio

» Em Cuba, rumo ao fim do mais longo embargo da história

» Edição de Julho de 2021

» «Ajude um caloiro»: requiem por um direito

» Acalmia em França?

» Edição de Junho de 2021

» O jornalismo no novo negócio dos "media"


CONGO

O difícil caminho para a paz

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

Após a independência, e o assassinato de Patrice Lumumba, uma sucessão de ditadores e guerras. Com a União Nacional e a Constituição, haverá, agora, esperança?

(01/07/2006)

Junho de 1960: Independência da colônia belga com o nome de República do Congo.

17 de janeiro de 1961: Assassinato do primeiro ministro Patrice Lumumba.

1965: Golpe de Estado de Joseph Mobutu.

1971: O país passa a chamar-se Zaire.

1991: A transição democrática é iniciada em uma Conferência Nacional. Acontecem saques e revoltas na capital Kinshasa.

Maio de 1997: As tropas da Aliança das Forças Democráticas para a Libertação (AFDL) derrubam o presidente. Fim da primeira guerra do Congo. Laurent-Désiré Kabila proclama-se presidente da República Democrática do Congo (RDC).

2 de agosto de 1998: Militares banyamulenge (congoleses tutsis de origem ruandesa) lançam um movimento de rebelião no Kivu. Segunda guerra do Congo.

24 de fevereiro de 2000: A ONU envia 5.537 capacetes azuis para garantir o cessar fogo.

16 de janeiro de 2001: Laurent-Désiré Kabila, assassinado, é substituído por seu filho Joseph.

Fevereiro de 2002 a abril de 2003: Diálogo intercongolês em Sun City (África do Sul) entre o governo, os rebeldes, a sociedade civil e a classe política.

Julho a setembro de 2002: Acordos de paz entre a RDC, Ruanda e Angola.

4 de abril de 2003: Promulgação da Constituição de Transição.

30 de junho de 2003: Formação de um governo de transição chamado de União Nacional, composto pelo presidente Joseph Kabila e de quatro vice-presidentes de diferentes tendências políticas do país.

18 de fevereiro de 2006: O projeto de Constituição é aprovado por um referendo.

30 de julho de 2006: Eleições presidenciais, legislativas e provinciais previstas.

Tradução: Sílvia Pedrosa silvia@zeapinc.com




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos