Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 26 de maio de 2022

» Colômbia: como esquerda reavivou esperanças

» Getninjas: o perverso leilão digital de trabalho humano

» Cinema: Em Tantas almas, a contracorrente da guerra suja

» 25 de maio de 2022

» Chacinas: O pacto de sangue na origem das PMs

» A Big Pharma e o relógio do apartheid pandêmico

» Rentismo: o parasita que alimentamos sem saber

» A fome e o colapso da “Revolução Verde”

» 24 de maio de 2022

Rede Social


Edição francesa


» Comment ça marche ? Les structures de fonctionnement de l'OTAN

» L'avancée vers l'est

» Ventes d'armes des États-Unis à leurs partenaires

» Opérations militaires de l'OTAN

» Mario Vargas Llosa, Victor Hugo et « Les Misérables »

» Des médias en tenue camouflée

» Jénine, enquête sur un crime de guerre

» Le monde arabe en ébullition

» Au Proche-Orient, les partis pris de la Maison Blanche

» L'abolition du territoire


Edição em inglês


» France's new vocation

» Lawfare in the Mediterranean

» Lebanon: ‘Preserving the past in hope of building the future'

» May: the longer view

» Fragmented territories

» A clash of memories

» Alsace's toxic time bomb

» The poisonous problem of France's nuclear waste

» Can Medellín change its image?

» Venezuela: a ‘country without a state'


Edição portuguesa


» Morrer em Jenin

» Recortes de Imprensa

» Será a caneta mais poderosa do que a espada?

» A Hipótese Cinema

» Um projecto ecofeminista em Aveiro

» David Bowie em leilão

» Como Pequim absorveu Hong Kong

» Na Colômbia, o garrote Medellín

» Face ao colapso, o Líbano quer preservar a sua memória

» Continua a Inglaterra a ser britânica?


PRECARIZAÇÃO

O preço do trabalho na França

Imprimir
enviar por email

Ler Comentários
Compartilhe

O mito de que os assalariados europeus são bem-remunerados não resiste à análise dos números

Michel Husson - (29/04/2007)

Em 2002, a metade dos assalariados (com exceção dos assalariados do Estado) ganhava um salário médio de menos de 1.220 euros por mês.

• Esse salário líquido mediano era de 1.360 euros por mês para os homens e 1.054 euros para as mulheres, com uma diferença de 22,5%.

• Um terço dos assalariados ganhava menos que o salário-mínimo (SMIC [1]) mensal líquido (936 euros).

• 10% dos assalariados ganhavam menos de 182 euros por mês.

• 20%, menos de 512 euros.

• 30%, menos de 869 euros.

• 40%, menos de 1.064 euros.

Em 2005, o custo do trabalho na indústria foi um pouco mais baixo na França que no Reino Unido (–4%) e na Bélgica (–2%). Porém, mais elevado que na Holanda (+2 %) e na Alemanha (+4%). Os salários franceses situam-se em patamar próximo ao dos países europeus cujo nível de desenvolvimento é comparável.

Fontes: Conselho do Emprego, da Renda e da Coesão Social (CERC), La France en transition 1993-2005, La Documentation française, Paris, 2006; Agência Estatística das Comunidades Européias – Eurostat.

Tradução: Leonardo Teixeira da Rocha leorocha2003@yahoo.com.br

Leia mais:

Nesta edição, sobre o mesmo tema:

Trabalhar mais, para ganhar menos Um balanço da políticas neoliberais "de emprego" na França revela: além de rebaixarem salários, elas ampliaram as diferenças de rendimento entre homens e mulheres, a precariedade e a necessidade de trabalhos complementares. Que mais será preciso para uma mudança de rumos?

Estamos condenados aos salários? Um documentário catalão explora, além da crítica à mercantilização do trabalho, alternativas para um mundo em que se consuma de forma consciente e se reserve tempo e energia para o que de fato vale a pena...



[1] SMIC é a sigla, na França, de Salário Mínimo Interprofissional de Crescimento), reajustado todos os anos, em 1º de julho. O valor atual bruto do SMIC é 8,27 euros por hora. Numa jornada de 35 horas por semana, equivale a 1.254,28 euros mensais brutos. (Nota da edição brasileira)


Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» França
» Neoliberalismo
» Precarização do Trabalho
» União Européia

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos