Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Pós-capitalismo na era do algoritmo (final)

» Contingenciamentos: a barbárie nos números

» O horror como mera constatação

» João Gilberto pra acabar com a apatia

» Boaventura: Descolonizar o saber e o poder

» Morte e gozo sobre rodas

» Tecnologia, Ignorância e Violência

» Universidades: a “nova” estratégia do governo

» Pós-capitalismo na era do algoritmo (2)

» Por uma Reforma Tributária Solidária

Rede Social


Edição francesa


» L'évêque aux côtés des tueurs

» Quand les intellectuels s'enflammaient pour une cause…

» La France favorable à un système international de gérance

» Les savants, le public et la sonde Rosetta

» Les mondes perdus de l'anticipation française

» L'ordre mondial selon John Maynard Keynes

» L'offensive des intellectuels en Iran

» Les charniers de Franco

» Sabra et Chatila, retour sur un massacre

» La résistance de George Orwell


Edição em inglês


» July: the longer view

» An interview with Franco ‘Bifo' Berardi

» Learning the lessons of the Arab Spring

» May 2019 parliamentary election

» A religious map of India

» Universal access to care

» Benin's fight against tuberculosis

» Towards an equal and healthy Africa

» Ivorians mobilise against AIDS

» Health for all, a global challenge


Edição portuguesa


» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu


HISTÓRIA

Dinastias, golpes e... insurreições

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

Desde a constituição de seus Estados nacionais, o mundo árabe tem sido marcado por governos que se eternizam (muitas vezes apoiados por potências estrangeiras) e por fortes sobressaltos políticos. O período pós-67 manteve esta tendência

Bassma Kodmani - (21/06/2007)

1968

Julho: Golpe de Estado do partido Bass, em Bagdá (Iraque).

1969

Fevereiro: Yasser Arafat torna-se presidente do Comitê Executivo da Organização para a Libertação da Palestina (OLP).

Maio: Gaafar Al-Nemeiry toma o poder de Kartum (Sudão).

Setembro: O coronel Muammar Kadhafi derruba a monarquia em Trípoli (Líbia).

1970

Setembro: Morre Gamal Abdel Nasser no Egito. É substituído por Anuar El-Sadat.

Novembro: Hafez Al-Assad torna-se o número um de Damasco (Síria).

1979

Fevereiro: Retorno do aiatolá Rudollah Khomeini a Teerã (Irã), e instauração da República Islâmica.

1981

Outubro: Assassinato do presidente Sadat, substituído por Hosni Moubarak.

1985

Março-abril: Manifestações populares resultaram no deslocamento de Nemeiry para o exército do Sudão. e na constituição de um regime parlamentar.

1989

Junho: Morre Khomeini no Irã. No Sudão, ocorre um golpe de Estado dirigido pelo general Omar Hassan Al-Bachir, aliado dos islâmicos.

1999

Fevereiro: Morte do rei Hussein da Jordânia. Foi sucedido por seu filho, o rei Abdallah II.

2000

Junho: Morte do presidente sírio Hafez Al-Assad, substituído por seu filho Bachar.

2004

Novembro: Arafat, líder da Autoridade Palestina, morre na França. Substituído por Mahmoud Abbas.

Tradução: Carolina Gutierrez
carol@diplo.org.br

Leia mais:

Nesta edição, sobre o mesmo tema:

A batalha que incendiou o Oriente Médio
Quarenta anos depois, um retorno “Guerra dos Seis Dias” revela: o conflito que envenenou as relações entre Israel e Palestina não teve como origem a disputa entre os dois povos. Seria um sinal de que a paz é possível?

Sob o signo da frustração
A derrota no conflito de 1967 transtornou o mundo árabe. É a partir dos traumas associados a ela que crescem a influência da religião, a tentação da violência, o conservadorismo moral como forma de “purificação” e os governos cada vez mais afastados de seus povos

Como a ocupação invadiu Israel
Após seu triunfo retumbante contra os três maiores exércitos árabes, o país encheu-se de orgulho, dinheiro e ilusão. Quarenta anos depois, a sociedade está mais frágil, atemorizada e desigual. Há quem tema por suas chances de sobrevivência

O interminável Sétimo Dia
Cronologia dos conflitos provocados pela ocupação da palestina. Por ter mantido e aprofundado a opressão sobre eles, a Guerra dos Seis Dias acabou deflagrando uma série de choques, que se arrasta até hoje




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Israel
» Palestina
» Ocupação da Palestina
» Mundo Árabe

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos