Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Como derrotar a “direita Trump-Bolsonaro”

» As pedras da contracultura (ainda) rolam

» Corporações: já vivemos uma distopia…

» Olhai a nova geração de ativistas

» Rússia e China: fim do mundo unipolar?

» Está aberta a nova temporada de privatizações

» Direito à privacidade e o cinismo de Moro

» Boaventura: o avanço da direita e a causa oculta

» Fiori: Danação da História e disputa pelo futuro

» O sinistro lobby sionista

Rede Social


Edição francesa


» Les pompiers pyromanes de l'antisémitisme

» Menace iranienne, menace sur l'Iran

» Comme si l'école était une entreprise…

» Voyage au bout de la peur avec les clandestins du Sahel

» Chanter le devenir du monde

» A qui profite Paris ?

» Quand la ville se perd dans une métamorphose planétaire

» M. Jesse Jackson et l'ouverture du Parti démocrate

» Les aspirations des citoyens dans une structure étatique taillée sur mesure

» Comment la finance a tué Moulinex


Edição em inglês


» The Spaniards who liberated Paris

» Fighting for communication control

» June: the longer view

» Niger, a migration crossroads

» Niger, a migration crossroads

» Whatever happened to Bob Woodward?

» Europe in space

» The Corbyn controversy

» The invisible people

» Agadez, city of migrants


Edição portuguesa


» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu

» Chernobil mediático

» Edição de Abril de 2019

» A nossa informação, as vossas escolhas


Capital, propriedade e gestão

Imprimir
Enviar

Ler Comentários
Compartilhe

Há mais de um século, o capitalismo separou os proprietários jurídicos dos meios de produção de quem os administra. Diversos autores dedicaram-se ao estudo dessa cisão

Gérard Duménil, Jacqes Bidet - (16/10/2007)

Jürgen Habermas estabelece uma relação entre dois “subsistemas”, um do mercado e do dinheiro (a economia), outro da administração e do poder (a política). Ele retoma assim uma divisão bastante tradicional do campo social, que, ao definir a economia pelo mercado, acaba por favorecer o liberalismo. Em seu esquema das classes dominantes, Pierre Bourdieu distingue dois grupos mais ou menos antagônicos: um mais bem dotado de capital econômico e o outro de “capital cultural”, de “competência”. Ele não relaciona esta especificamente às relações de produção, mas ressalta seu caráter socialmente arbitrário e seu papel na reprodução do sistema de classes. A referência a um capital cultural evoca vários trabalhos que utilizam o conceito de intelligentsia para definir a classe dominante no “socialismo real”. Mas Moshe Lewin demonstrou que, na União Soviética, as relações de classe se articulavam primordialmente a partir das hierarquias dos grupos diretivos.

No início do século 20, nos Estados Unidos, a separação entre a propriedade e a gestão das empresas suscitou inquietação nos proprietários, ameaçados de perder o controle do sistema produtivo. A partir de então, desenvolveram-se as teses relativas ao “capitalismo gerencial” ou capitalismo dos gerentes (ver a obra de síntese de Alfred Chandler, The Visible Hand, de 1977, uma alusão à “mão invisível do mercado” de Adam Smith, à qual Chandler opõe a decisão consciente do gerente). Essas teses tiveram seu auge nos anos 60, especialmente nos trabalhos de John Kenneth Galbraith relativos à “tecnoestrutura”, quando o compromisso social-democrata parecia reinar na gestão das empresas, nas políticas econômicas e nas práticas culturais. Ainda que as funções gerenciais não tenham deixado de ser reforçadas, inclusive no setor financeiro, a nova ascendência dos capitalistas no neoliberalismo provocou o declínio dessas teorias.




Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Imperialismo
» Neoliberalismo
» Poder Mundial
» Balanços do “Socialismo Real”
» Globalização

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos