Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» L'énigme de La Coubre

» Au Canada, la fin de la résignation pour les peuples autochtones

» Jean Cavaillès, une pensée explosive

» Au Rwanda, la tradition instrumentalisée

» Les municipalités laissent mourir les centres de santé

» Samsung ou l'empire de la peur

» Main basse sur l'eau des villes

» Percées et reflux en Europe

» Délire partisan dans les médias américains

» L'Amérique latine a choisi l'escalade révolutionnaire localisée


Edição em inglês


» Nagorno-Karabakh conflict: its meaning to Armenians

» How will the US counter China?

» October: the longer view

» America, year 2020

» The ministry of American colonies

» America, the panic room

» Independent only in name

» An election result that won't be accepted

» Into the woods, it's nearly midnight

» Canada's cancel culture


Edição portuguesa


» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA

» Edição de Setembro de 2020

» Cuidar dos mais velhos: por uma rede pública e universal

» Restauração em Washington?

» Cabo Delgado: névoa de guerra, tambores de internacionalização


Sopa_de_ossos@Neruda.com

Imprimir
enviar por email
Compartilhe

Régis Bonvicino - (27/10/2007)

O cânone agora
– fotografado por uma Canon ou Nikon –
é um edifício de estilo texano
– magnifique –
em frente à varanda íntima
do quarto de Matilde, a viúva,
na Chascona, de onde se via os Andes
se vê agora Clark
Kent voando
e se vende um tipo de vento, escasso
no mês do golpe e da morte de Neruda
Pinochet queimou um quadro de Pablo
Picasso num ateliê obscuro
do mercado negro de arte
e destroçou também
uma cerâmica de Léger
da casa
do “comunista acomodado”
como me disse ontem
David Bustos
autor de Zen para Peatones
na Librería Metales Pesados
Marinheiros chilenos
tomavam ayahuasca
enquanto ouviam poemas
dos peruanos Hinostroza e Zapata
no navio de guerra Huáscar
Desarmado e enfermo,
José, o “terrorista” mapuche
foi ao cabo capturado
A CIA fez o serviço
caíram também os líderes
do narcoterrorismo islâmico
Um peruano me disse ainda,
nesse dia alucinado,
que seu tio chileno, chamado Pablo,
nascido em Pisagua,
negociante de salitre,
rico e avaro,
se reencarnou num rato



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Seção {Palavra}


Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos