Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» “Não esqueçam Julian Assange”

» Índia ocupa a Caxemira muçulmana

» Portugal, o novo alvo da extrema-direita

» Portugal, o novo alvo da extrema-direita

» E quando nos levantaremos contra os rentistas?

» “Quem tá na rua nunca tá perdido”

» Eles querem organizar a população de rua

» Municipalismo, alternativa à crise da representação?

» A China tem uma alternativa ao neoliberalismo

» Marielle, Moa, Marley, Mineirinho

Rede Social


Edição francesa


» Population, subsistance et révolution

» Une nouvelle classe de petits potentats domine les villages

» Vers une « révolution agricole »

» En dehors de la « Petite Europe » d'autres débouchés s'offriront aux produits tropicaux

» Dans le domaine agraire il serait dangereux de vouloir brûler toutes les étapes

» L'expérience de M. Fidel Castro pourrait être mise en péril par une socialisation trop rapide de l'industrie cubaine

» Au Japon, le ministre de la défense s'inquiète

» Les soucoupes volantes sont-elles un sous-produit de la guerre froide ?

» Ovnis et théorie du complot

» Boulevard de la xénophobie


Edição em inglês


» Manufacturing public debate

» August: the longer view

» Trump returns to the old isolationism

» Yellow vests don't do politics

» Kurdish territories in northern Syria

» The changing shape of the Balkans: 1991 / 2019

» Minorities in Kosovo

» Borders 1500-2008

» Man with a mission or deranged drifter

» The Louise revolution


Edição portuguesa


» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto


LITERATURA

Palavra 7

Imprimir
Enviar
Compartilhe

Os buracos da máscara
As histórias de Karen Blixen – em Sete narrativas góticas – negam as obviedades da tradição que evocam no título. Antes, sugerem novas sombras, disfarces e duplos. A começar por aquele que é o grande tema do livro, a identidade.
Aqui

Três canções
De Marco Catalão
Aqui

A morte sólida e terrível
Em A estrada não há gratidão ou reconhecimento, mas apenas o impacto causado pelo encontro entre seres de uma raça que se aproxima da extinção, num pessimismo similar ao de Samuel Beckett.
Aqui

O caso dos pensadores mortos
"O corpo de um matemático de renome, professor de cursos disputados, pesquisador das equações mais abstrusas, foi encontrado sentado em seu gabinete, a cabeça sobre uma pilha de papéis, os olhos arregalados, fixos, a boca escancarada, os dedos ainda apertando a caneta"
Aqui

Rodrigo Gurgel - (17/11/2007)

O insólito sempre será um instrumento útil à literatura. É o que comprova a resenha de Gregório Dantas, na qual ele analisa os contos da escritora Karen Blixen reunidos no volume Sete narrativas góticas. O exotismo, os sonhos, as referências a superstições e bruxarias – Blixen utiliza todos os conhecidos elementos que compõem o fantástico para criar as histórias que, segundo Dantas, “negam as obviedades da tradição que evocam no título”.

Os três poemas de Marco Catalão, escolhidos pelo autor para iniciar sua participação em Palavra, evocam um lirismo singular. O delicado ritmo, a precisão das imagens e, no poema “Amor, não palavras”, a verdade sobre o inevitável limite dos vocábulos, tudo conflui na direção de uma leitura mais que prazerosa.

O mais recente lançamento do norte-americano Cormac McCarthy, A estrada, romance vencedor do Prêmio Pulitzer de 2007, é comentado por Leandro Oliveira, que ressalta o cenário no qual pai e filho descobrem que os valores da civilização ocidental soçobraram: não há mais direito, o cristianismo desapareceu e os princípios da filosofia estão deturpados pelo crime e pelo cinismo.

Na crônica bem-humorada de Diego Viana, os intelectuais estão sendo assassinados. De quem é a culpa? A sociedade deve ficar alarmada? Como a mídia se comporta? Matemáticos, historiadores, físicos e antropólogos – ninguém escapa do misterioso assassino. Haverá salvação para os intelectuais? O Estado poderá protegê-los?

Estes são os textos desta semana. Boa leitura!

Rodrigo Gurgel



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos