Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Para pensar a Amazônia após o pesadelo

» EUA: Os campos de detenção da Era Trump

» Parasita: o cheiro ao redor

» Chile conquista Constituinte – mas qual?

» O peculiar totalitarismo do século XXI

» Quem poderá salvar Veneza?

» Bolívia: não despreze a resistência

» O adereço de Guedes e o sentido do governo

» O Chile Rebelde quer ir além

» É possível pensar o Brasil após o neoliberalismo?

Rede Social


Edição francesa


» Wikipédia ou la fin de l'expertise ?

» En Espagne, bataille pour la mémoire républicaine

» Séisme sur les retraites en Argentine et au Chili

» Ce nouveau parti qui bouscule le paysage politique allemand

» La figure imposée du dernier poilu

» Les dossiers enterrés de Tchernobyl

» Une femme à la barre de l'Argentine

» La Chine au miroir de l'Occident

» « Choc des civilisations », à l'origine d'un concept

» Les Allemands de l'Est saisis par l'Ostalgie


Edição em inglês


» The fall of liberal triumphalism

» Sarah Seo on Americans, their cars and the law

» November: the longer view

» Ibrahim Warde on the rise and fall of Abraaj

» Fighting ISIS: why soft power still matters

» Life as a company troll

» The imperial magazine

» Setting Socrates against Confucius

» Price of freedom on the road

» Global business of bytes


Edição portuguesa


» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário

» Edição de Novembro de 2019

» Sempre uma coisa defronte da outra

» OTAN: até quando?

» Alojamento local-global: especulação imobiliária e desalojamento

» Rumo a uma governança participativa da vida nocturna de Lisboa


LITERATURA

Palavra 23

Imprimir
enviar por email
Compartilhe

Criando fama sem cama
É terrível e fascinante sujeitar-se à objetividade de si mesmo. Há volúpia e desânimo em sair de si e olhar-se como um objeto midiático, um produto, uma possibilidade. Posicionar-se em relação aos outros idiotas cheios de som e fúria.
Aqui

Ação de sobra – e poucas descrições
Agnóstico e influenciado por aventuras policiais, Philip Pullman sonega ao leitor informações sobre acontecimentos que se desenrolam em paralelo aos passos de Lyra, a protagonista de “A bússola de ouro”
Aqui

“Soneto a Satã”, de Sylvia Plath
No segundo número de nossa seção dedicada à tradução de poesia e prosa em língua inglesa, coordenada pela jornalista e tradutora Marina Della Valle, apresentamos um poema que se encontra entre os primeiros de Sylvia Plath
Aqui

Cinco aspectos do conto na era virtual
Na internet, a proximidade do escritor com as opiniões dos leitores é tão instantânea quanto a reação deles ao ler cada linha de suas próprias narrações.
Aqui

Rodrigo Gurgel - (04/04/2008)

As angústias de um escritor na era da autopromoção a qualquer custo são enfocadas por Simone Campos e seu humor ácido. Vivendo sob o império do marketing, o artista deve pagar o preço de, exaustivamente, promover a própria imagem? E quantos, colocando em prática os mais diversos ardis, conseguem vencer graças à propaganda enganosa? Em mais um texto sem subterfúgios, Simone Campos explora a seara dos escritores.

Dida Bessana analisa o primeiro volume – A bússola de ouro, recentemente transformado em filme – da famosa trilogia de Philip Pullman, Fronteiras do universo. Primeira de uma série de três resenhas, nesta Dida Bessana inicia sua resposta à pergunta fatídica: depois de uma leitura crítica, o que sobra desse representante do lucrativo filão dos romances de fantasia?

Poema que se encontra entre os primeiros de Sylvia Plath, “Sonnet to Satan”, de evidente influência baudelairiana, é traduzido por Ivan Justen Santana para o segundo número da seção Vice-Verse, dedicada à tradução da literatura em língua inglesa.

Renata Miloni vê com bons olhos a publicação de contos e outras narrativas curtas na Internet. Na opinião da autora, a web permite ao escritor, dentre outros aspectos positivos, conhecer melhor suas limitações e estar mais próximo das reações dos leitores.

Boa leitura e até a próxima semana!

Rodrigo Gurgel, editor de Palavra



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos