Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Como a Estônia concretizou o passe livre

» Marielle Vive! e a lógica do condomínio

» Quando os ditadores despencaram da parede

» Dois caminhos para as Novas Ciências

» Paulo Guedes pego na mentira

» Depois do senhor Guedes e de seu capitão

» Amazônia: caminho para o pós-Bolsonaro

» Tarifa Zero, a experiência europeia

» Marielles na Amazônia: apontar, fogo!

» Na África do Sul, a xenofobia não tem cor

Rede Social


Edição francesa


» Richesse et population, un monde à double face

» Machines hostiles

» Refaire le monde à coups de bistouri

» Libye, l'appel du devoir

» La gauche française bute sur l'Europe

» Fédéralisme à l'allemande et évolutions politiques

» « Métro, boulot, tombeau »

» Plus haute sera la prochaine tour

» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil


Edição em inglês


» The logs of war

» Benjamin Netanyahu, best friend of the far right

» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


LITERATURA

Uma revista com rumo firme e novos horizontes

Imprimir
Enviar
Compartilhe

Em 2008, com a publicação de sua 8ª edição, a ser lançada no próximo dia 17 de abril, a Cadernos de Literatura em Tradução introduz duas mudanças editoriais. Uma delas é a periodicidade, que passa de anual a semestral. A segunda é a introdução de edições temáticas, que serão alternadas com volumes de tema livre

John Milton, Marina Della Valle, Telma Franco - (11/04/2008)

Há 11 anos a revista Cadernos de Literatura em Tradução, ligada ao Departamento de Letras Modernas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), nascia como uma nova opção em uma área extremamente carente no Brasil, a saber, publicações acadêmicas voltadas para a tradução literária.

O primeiro número – que destaca na capa uma entrevista com Berthold Zilly, tradutor de Os Sertões, de Euclides da Cunha, para o alemão – já apresentava a linha editorial que marcaria a próxima década da revista: periodicidade anual e ênfase na publicação de traduções comentadas de textos curtos e, principalmente, de poesia. Artigos e entrevistas também estão sempre presentes, mas são publicados em menor escala, pois contam com outros espaços acadêmicos para divulgação.

Ao longo dos anos, a revista se consolidou como um meio de propagação e incentivo da produção de literatura em tradução, atraindo um número maior e mais variado de colaboradores. A presença de comentários sobre as dificuldades encontradas em cada tradução e de explicações para as soluções encontradas fez com que a publicação começasse, inclusive, a ser utilizada em salas de aula.

Dentro do universo do mercado editorial, a publicação de traduções de poesia é restrita, embora não possa ser desprezada – por exemplo, a Revista da Biblioteca Nacional regularmente publica uma seção de poesia traduzida. Nesse cenário, a Cadernos de Literatura em Tradução também buscou atenuar lacunas importantes, como a falta de um volume dedicado à obra do poeta Phillip Larkin, que teve poemas traduzidos por Alípio Correia de Franca Neto, publicados nos números 2 e 4.

Franca Neto, ganhador de dois prêmios Jabuti na categoria tradução – por Pomas, um tostão cada, de James Joyce (Editora Iluminuras, 2002) e A Balada do Velho Marinheiro, de S. T. Coleridge (Ateliê Editorial, 2006) – também participou do primeiro número da revista com comentários sobre a tradução de Música de Câmara, de Joyce (Editora Iluminuras, 1998).

Outras colaborações que fizeram parte da Cadernos foram posteriormente publicadas em livros, como “Priapéia Grega: imitação e emulação em 5 poemas marítimos traduzidos da Priapéia Grega”, de João Angelo Oliva Neto, que antecipou a publicação do livro Falo no jardim: Priapéia Grega, Priapéia Latina (Editora Hedra, 2006), e traduções de poemas de John Keats por John Milton e Alberto Marsicano, que integram o volume Nas invisíveis asas da poesia (Editora Iluminuras, 1998).

Mudanças e planos para 2008

Neste ano, com a publicação de sua oitava edição, a ser lançada no próximo dia 17 de abril [1], a Cadernos introduz duas mudanças editoriais. Uma delas é a periodicidade, que passa de anual a semestral. A segunda é a introdução de edições temáticas, que serão alternadas com volumes de tema livre.

A edição número 8 é dedicada a traduções de textos escritos por mulheres, e traz autoras como Gwendolyn Brooks, Sylvia Plath, Jamaica Kincaid, Masha Kaléko, Joyce Mansour, Emily Brontë e Delmira Augustini, entre outras. O número 9, de tema livre, está sendo editado e deve ser lançado em julho.

O número 10 da Cadernos, a ser lançado no fim deste ano, será a próxima edição temática – Especial Erótica – com textos erótico-pornográficos. A chamada de textos já está sendo veiculada, e a data-limite para enviar colaborações é 29 de junho. Interessados podem escrever para o email cadernosdetraducao@yahoo.com.br.

Apesar de mudanças substanciais, essas alterações não afastam a Cadernos de Literatura em Tradução do objetivo que motivou seu lançamento há uma década: publicar e incentivar a produção de traduções literárias.



[1] A partir das 19h, no Finnegan’s (Rua Cristiano Viana, 358, Pinheiros, São Paulo).

Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Cultura
» Literatura
» Seção {Palavra}


Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos