Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Para compreender a “Améfrica” e o “pretuguês”

» O sofisticado descolonialismo de Roberto Retamar

» A era dos eleitores cínicos

» Pós-capitalismo na era do algoritmo (final)

» Contingenciamentos: a barbárie nos números

» O horror como mera constatação

» João Gilberto pra acabar com a apatia

» Boaventura: Descolonizar o saber e o poder

» Morte e gozo sobre rodas

» Morte e gozo sobre rodas

Rede Social


Edição francesa


» Quand l'Espagne révolutionnaire vivait en anarchie

» Il y a soixante ans, l'aube de la guerre d'Espagne

» Mourir pour des images

» L'évêque aux côtés des tueurs

» Quand les intellectuels s'enflammaient pour une cause…

» La France favorable à un système international de gérance

» Les savants, le public et la sonde Rosetta

» Les mondes perdus de l'anticipation française

» L'ordre mondial selon John Maynard Keynes

» L'offensive des intellectuels en Iran


Edição em inglês


» Voting advice applications in Ukraine

» July: the longer view

» An interview with Franco ‘Bifo' Berardi

» Learning the lessons of the Arab Spring

» May 2019 parliamentary election

» A religious map of India

» Universal access to care

» Benin's fight against tuberculosis

» Towards an equal and healthy Africa

» Ivorians mobilise against AIDS


Edição portuguesa


» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu


LITERATURA

Palavra 44

Imprimir
Enviar
Compartilhe

Anjos e crianças
Não são poucos os poemas em que Bandeira aborda a infância como região idealizada, cuja simples rememoração pode amenizar o espaço presente da solidão, dor, perda, doenças e aporias que todo adulto precisa lidar
Aqui

A heroína do Novo Mundo
“Maria de Sanabria – a lendária expedição das mulheres que atravessaram o Atlântico no século XVI”, do ítalo-uruguaio Diego Bracco, é um romance histórico sobre a aventura dessa nobre sevilhana que, em 1550, chegou ao litoral de Santa Catarina
Aqui

Quando o labirinto é o mundo
A trama de Saramago é simples mas não é agradável. Seus personagens abandonaram toda a esperança, como se diz no pórtico do inferno dantesco
Aqui

O fazedor de humanos
As lições de um velho mestre incluem algo que deveria ser essencial para todos: a literatura
Aqui

Rodrigo Gurgel - (12/09/2008)

Especialmente para esta edição, Pedro Marques nos oferece trechos de seu último livro – Manuel Bandeira e a música: com três poemas visitados –, recentemente publicado, em co-edição, pela Editora Ateliê e pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Os trechos foram editados por Marques, de maneira a transformá-los num ensaio que é não apenas uma introdução a Bandeira, mas também um estudo sobre o tema da infância em sua obra. Saliente-se a sutil, minuciosa análise do poema “Sacha e o poeta”.

Dida Bessana escreve sobre o romance histórico Maria de Sanabria – a lendária expedição das mulheres que atravessaram o Atlântico no século XVI, do ítalo-uruguaio Diego Bracco. Mais que uma resenha, o texto dialoga com o autor – que participou do Salão de Idéias da última Bienal do Livro de São Paulo –, explicitando as relações entre ficção e história.

Fábio Fernandes aproveitou a estréia do filme Ensaio sobre a cegueira para reler a obra homônima de José Saramago. Recuperando Jorge Luis Borges e H. P. Lovecraft, Fábio resgata o tema do labirinto, introjetado, tornado imaterial, parte da consciência humana, na ficção que Fernando Meirelles reconta. Quando não há mais lugar para a esperança, o que resta ao homem, além do labirinto?

Renata Miloni analisa o infanto-juvenil O fazedor de velhos, de Rodrigo Lacerda, publicado pela Cosac Naify. A literatura como meio de superação das incertezas e das decepções, de encontro com o outro e de abertura para o amor: todos esses elementos se encontram na história de Pedro, o jovem protagonista, e na relação que ele manterá com Nabuco, o velho mestre, seu guia nessa jornada de autoconhecimento.

Boa leitura – e até a próxima semana.

Rodrigo Gurgel, editor de Palavra.



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos