'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: De quando a literatura se despede de suas histórias
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» E se as startups pertencessem a seus funcionários?

» Boaventura vê Lula Livre

» América Latina: a ultradireita contra-ataca

» O Mercado, os economistas e outros seres transcendentais

» Nem todo Uber é capitalista

» Comuns, alternativa à razão neoliberal

» “Nova” ultradireita, filha dos neoliberais

» Como os PMs são formados para a incivilidade

» Cinema: três filmes para olhar além da fronteira

» Pacote Guedes (1): Uma distopia cujo tempo passou

Rede Social


Edição francesa


» A Berlin, le face-à-face des intellectuels de l'Est et de l'Ouest

» Réveil politique à l'Est

» Les Allemands de l'Est, sinistrés de l'unification

» Le difficile chemin de la démocratie espagnole

» Il y a cent cinquante ans, la révolte des cipayes

» Hôpital entreprise contre hôpital public

» Dernières nouvelles de l'Utopie

» Très loin des 35 heures

» Qui a profité de l'unification allemande ?

» Chantages ordinaires chez General Motors


Edição em inglês


» November: the longer view

» Ibrahim Warde on the rise and fall of Abraaj

» Fighting ISIS: why soft power still matters

» Life as a company troll

» The imperial magazine

» Setting Socrates against Confucius

» Price of freedom on the road

» Global business of bytes

» A firm too good to be true

» In the GDR, old debts and big profits


Edição portuguesa


» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário

» Edição de Novembro de 2019

» Sempre uma coisa defronte da outra

» OTAN: até quando?

» Alojamento local-global: especulação imobiliária e desalojamento

» Rumo a uma governança participativa da vida nocturna de Lisboa

» A Expo'98 e o Parque das Nações: Estado, gentrificação e memória urbana

» Uma história do Habita

» «Ficar sem Tecto»: as demolições no Bairro 6 de Maio

» Gentrificação e turistificação: o caso do Bairro Alto em Lisboa


LITERATURA

De quando a literatura se despede de suas histórias

Imprimir
enviar por email
Compartilhe

Como o escritor brasileiro escolhe escrever seus livros? Geralmente se apegando a somente uma forma de sofrer

Renata Miloni - (14/11/2008)

Verdade seja dita: os escritores que realmente fazem sucesso são os roteiristas de seriados, especialmente americanos. Afinal, o que eles escrevem são livros em série (alguns maiores, dependendo do tempo que o programa resiste no ar) adaptados para a televisão, assim como tantos livros são para o cinema. Mas por que uma ficção funciona melhor com o público do que a outra? Penso que a literatura perde seu lugar de ficção na vida das pessoas para a televisão pelo simples fato de ser mais fácil ver do que ler. Só não sei se tem alguma relação com preguiça, costume ou algo assim.

Há outros fatores que ultimamente têm feito tanta diferença quanto este, que considero o principal, e com isso a ficção audiovisual ganha um certo poder de tirar algo que também pertence ao literário. Nisso, os escritores (nem todos, claro) trabalham em perfeita harmonia com os roteiristas. Enquanto estes escrevem as séries com o objetivo de fazer o telespectador ter sua atenção completamente voltada para a televisão, aqueles fazem o mesmo por outro caminho: não conquistam o suficiente para que as pessoas tirem seus olhos do aparelho, desliguem-no e vão ler um livro. Verdade ou mentira? Um pouco de cada.

Os tempos mudaram, mas as pessoas continuam a querer histórias. E, creio eu, a literatura tem um poder incrivelmente maior do que a televisão, o problema é não ser usado. Um escritor tem recursos não só para atingir a imaginação do leitor profundamente como, principalmente, aproveitá-la em maior escala. Claro que, às vezes, os autores pecam por preferirem vomitar palavras em vez de contar uma história. E claro, também, que é dar todos os passos para trás insistir em considerar que literatura não é para qualquer um. Ou todos sabem que o qualquer um que pode aparecer numa livraria por engano é incapaz de entender as complexidades de uma obra literária? Este tipo de pensamento não vale o drama que causa.

"Samba de uma nota só"

Em matéria para o jornal espanhol El País, Alex Martínez Roig escreveu exatamente sobre o fascínio que a ficção das séries provoca nas pessoas, muito acima do que os livros têm feito. Não digo que há culpa e que ela é unicamente da literatura. Mas até os próprios escritores têm visto na televisão oportunidades melhores, e não só por conseguirem viver melhor dela do que somente de livros. Com os seriados, eles mantêm a vontade do espectador de continuar a acompanhar sempre no mesmo nível, aguardando ansiosamente o próximo episódio. Com os livros, analisando ambos como objetos, é tudo de uma vez. Talvez seja por isso também que Harry Potter conseguiu ter tamanho sucesso. Além de provavelmente entender que qualquer gênero da ficção não se limita a determinado número de campos, J. K. Rowling, assim como tantos outros autores, pode ter percebido que, hoje em dia, o melhor caminho para publicar o que escrevia era fazê-lo em série. Será este o segredo: perceber como todas essas mudanças podem beneficiar um livro?

E como o escritor brasileiro escolhe escrever seus livros? Geralmente se apegando a somente uma forma de sofrer. Sim, a maioria dos romances, por exemplo, precisa ter um repertório vasto de sofrimento para que seja considerado literatura pura. O que o escritor faz muitas vezes é insistir num "samba de uma nota só". Ou são só desastres, ou são só desgraças, ou é só tristeza, ou é só verborragia confessional, etc. Dificilmente se encontra um escritor que, considerando estes e outros aspectos bons para seus livros, consiga distribuí-los em harmonia. E isso porque não contei com o que provavelmente mais falta aos autores, especialmente os mais jovens: humor. Não qualquer humor que faça rir automaticamente, mas aquele que faz sorrir ao mesmo tempo em que a história faz o leitor se preocupar com a vida de algum personagem. Exatamente como se sente aquele que acompanha um seriado como Lost ou até os fãs do Seinfeld.

Mas e o leitor? Talvez ele procure essa harmonia, que resulta num equilíbrio para a história, não deixando que apenas um ponto reine sobre a consideração de outro. Pensando assim, se a busca de um possível leitor for por textos que consigam misturar as tais variadas emoções e os tais inúmeros sentimentos que todos somos capazes de ter (com a exceção de alguns escritores, pois eles só conhecem a dor do sofrimento underground), o melhor que ele tem a fazer é ver uma novela ou um seriado. Lá, poderá encontrar toda a ficção que o ser humano pode produzir e, em muitos casos e mais em seriados, a qualidade chega a beirar os clássicos da literatura. Verdade ou mentira?



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Leia mais sobre

» Literatura
» Seção {Palavra}


Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos