'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> 'Enviar matéria', 'envoyer' => 'Enviar', 'reference_de' => 'a referência de', 'par_courriel' => 'por email', 'a_destination' => 'Enviar para:', 'donnees_optionnelles' => 'Dados opcionais', 'separe_virgule' => 'separe com vírgulas se escrever mais de um', 'sujet' => 'Assunto', 'titre_vouloir' => 'Título da mensagem', 'nom' => 'Seu nome', 'adresse' => 'Seu e-mail', 'texte' => 'Texto que irá junto com a mensagem', 'envoi' => 'Enviar', 'annuler' => 'Cancelar', 'enviar_title' => 'Enviar referência deste documento por email', 'enviar_por_email' => 'Enviar', 'referencia' => 'A referencia de', 'enviado' => 'foi enviado a:', 'sentimos' => 'Sentimos muito', 'problema' => 'Houve um problema e não se pôde enviar a mensagem', 'hola' => 'Olá. Talvez esta informação possa lhe interessar.', 'leer' => 'Leia mais...', 'enviado_por' => 'Enviado por: ', 'direction' => 'mas sem um endereço eletrônico válido', 'podemos' => 'não podemos enviar a mensagem', 'fermer' => 'fechar', 'documento' => 'Olá. Talvez este documento de', 'interesar' => 'possa lhe interessar.', 'descargarte' => 'Na página web poderá fazer o download de:', 'source' => 'fonte', ); ?> 'Envoyer l\'article', 'envoyer' => 'Envoyer', 'reference_de' => 'la référence de', 'par_courriel' => 'par courrier électronique', 'a_destination' => 'Envoyer á l\'adresse:', 'donnees_optionnelles' => 'Données optionnelles', 'separe_virgule' => 'séparer les adresses par des virgules si vous écrivez á plusieurs personnes', 'sujet' => 'Sujet', 'titre_vouloir' => 'Titre du message', 'nom' => 'Nom', 'adresse' => 'Adresse mail', 'texte' => 'Vous pouvez ajouter un texte', 'envoi' => 'Envoyer', 'annuler' => 'Annuler', 'enviar_title' => 'envoyer l\'article par mail', 'enviar_por_email' => 'envoyer par mail', 'referencia' => 'La référence de ', 'enviado' => 'a été envoyé à:', 'sentimos' => 'désolé', 'problema' => 'Il y a eu un problème et le courrier n\'a pas pu être envoyé', 'hola' => 'Salut. Cet article t\'interéssera peut-être ', 'leer' => 'Lire la suite...', 'enviado_por' => 'Envoyer par : ', 'direction' => 'mais sans une adresse de courrier électronique valable', 'podemos' => 'nous ne pouvons pas envoyer le message', 'fermer' => 'fermer', 'documento' => 'Salut, les documents de', 'interesar' => 'pourraient t\'intéresser', 'descargarte' => 'Si vous visitez le site vous pourrez télécharger les documents suivants :', 'source' => 'Source', ); ?> Diplô - Biblioteca: Aquém das expectativas
Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Ce que s'abstenir veut dire

» Engouement latino pour les séries turques

» Devoir de réserve, un effet d'intimidation

» La Pologne s'accroche à son charbon

» Le miasme et la jeune fille

» L'énigme de « La Coubre »

» Au Canada, la fin de la résignation pour les peuples autochtones

» Jean Cavaillès, une pensée explosive

» Au Rwanda, la tradition instrumentalisée

» Les municipalités laissent mourir les centres de santé


Edição em inglês


» China: its rise and rise

» China leads the 5G race

» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth

» The Huawei war

» Moscow's Active Citizens

» Greater Moscow's unsure future

» Golden age of coal turns to black dust

» For those in peril on the sea

» China's outlaw fishermen


Edição portuguesa


» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA

» Edição de Setembro de 2020

» Cuidar dos mais velhos: por uma rede pública e universal

» Restauração em Washington?

» Cabo Delgado: névoa de guerra, tambores de internacionalização


Aquém das expectativas

Imprimir
enviar por email
Compartilhe

Coletânea de artigos escritos ao longo de trinta anos, “Elementares – notas sobre a história da literatura policial” carece de unidade estrutural.

Gregório Dantas - (13/03/2009)

A publicação de Elementares – notas sobre a história da literatura policial (Editora Odisséia), de Mário Pontes, é muito oportuna. Medeiros e Albuquerque, Álvaro Lins e José Paulo Paes foram alguns dos intelectuais que já de dedicaram com seriedade ao assunto; mas hoje em dia, salvo engano, o mercado editorial brasileiro não parece contar com muitos títulos nesta área, com exceção feita ao trabalho da professora Sandra Reimão, que vem se dedicando com competência ao mapeamento e análise dos romances policiais brasileiros (Reimão é autora de Literatura policial brasileira – pela Editora Jorge Zahar, e O que é romance policial, pela Brasiliense).

Mas o tema poderia render mais. Não apenas porque, aos poucos, uma certa tradição de romances policiais vem se afirmando no Brasil, mas também porque os bons exemplares do gênero têm muito a nos ensinar, principalmente que é possível haver literatura de entretenimento de qualidade. Além do inegável fato de que procedimentos e temas associados ao gênero são cada vez mais populares dentro da literatura dita “culta”.

Elementares, portanto, deveria ser recebido com entusiasmo pelos aficionados. Infelizmente, porém, o resultado final ficou aquém das expectativas. Em parte devido a sua própria organização: coletânea de artigos escritos ao longo de trinta anos, Elementares carece de unidade estrutural. Não que uma estrutura fragmentada não possa ser produtiva (e reproduzir, por exemplo, os percalços sempre pouco lineares da história de qualquer leitor), ou que as inevitáveis repetições entre os artigos não possa ser útil aos leitores que optarem por ler os capítulos fora de ordem (o que é absolutamente legítimo, principalmente neste tipo de volume). Mas faltou a esse conjunto de artigos uma proposta mais clara: são ensaios em torno de um mesmo tema ou partes separadas de um grande panorama sobre a história do romance policial, como indica o subtítulo do livro?

Nem uma coisa nem outra. À grande maioria dos artigos faltou objetividade para que pudessem ser considerados ensaios. Representativos dessa carência são os finais em aberto, com interrogações ou exclamações beirando o clichê, como “Então viva o Pequeno Detetive!” ou “Elementar!”. São desfechos que, na verdade, espelham a superficialidade dos textos, muitos dos quais são apenas perfis, apresentações de autores e temas da tradição policial, sem uma tese ou uma opinião final a ser defendida. Assim, termina, por exemplo, o primeiro capítulo:

— Por que a ficção policial criada no Brasil destes últimos setenta, oitenta anos cabe inteirinha em uma prateleira da menor estante que temos em nossa casa?

O travessão simula a informalidade de um diálogo entre amigos, e a questão é de fato provocadora. Mas caberia ao jornalista criar algumas hipóteses para respondê-la. O mesmo acontece no último artigo, sobre a legitimação do romance policial. Pontes descreve um conjunto de opiniões de autores e teóricos da literatura a respeito do tema para, ao final, perguntar:

Seria possível tomar esses fatos como indício de que está chegando à sua etapa definitiva o lento e gradual processo de legitimação da literatura policial, iniciado há quase uma centena de anos?

A questão fica em aberto. O autor se limita a comentar a obviedade de que, para que “a porta da arte” se abra para o policial, é preciso que seus “autores sejam artistas”.

Trabalho de edição

Elementares não é, também, uma história da literatura policial, nem uma “tentativa inédita no Brasil de sistematização das regras do romance policial”, como indica o texto da contracapa. Para tanto, faltou um trabalho de edição dos artigos, que suprimisse as repetições mais evidentes e unisse textos que fossem mais afins, conferindo ao livro um rigor na organização que ele não tem. Não há, por exemplo, a indicação de fontes de pesquisa, inclusive os locais e as datas exatas em que foram publicados os artigos. Faltou rigor, enfim.

Por exemplo: faltam algumas referências importantes, como a do texto de Julian Symons, publicado no The Times de Londres, e no qual Pontes baseou toda sua exposição do “pequeno detetive”, no capítulo 2. Como faltam também a referência bibliográfica e uma descrição mais detalhada do romance Um espelho distante (1978), de Barbara Tuchman, comparado a O nome da rosa, de Umberto Eco. Já que a comparação foi indicada com ênfase — Pontes chega a se perguntar se Eco teria lido Tuchman —, seria importante desenvolvê-la para além do comentário superficial de que ambos os ficcionistas teriam a “intenção de descobrir a existência de paralelismos entre o passado e o presente da civilização ocidental”.

São lacunas importantes, porque impedem que os artigos se desenvolvam para além do comentário superficial. E a bibliografia final do volume não basta para garantir rigor ensaístico aos textos.

Mas justiça seja feita a Mario Pontes. Trata-se, sem dúvida, de um leitor voraz de histórias policiais, com um repertório de leitura invejável. Também é verdade que alguns capítulos de Elementares são informativos e divertidos. Em “Um certo culto à personalidade”, Pontes descreve e recomenda alguns textos interessantes sobre o mito de Sherlock Holmes: Rex Stout, por exemplo, chegou a criar a insólita hipótese de que o dr. Watson era, na verdade, uma mulher, com quem Holmes se casou. Interessante também é “Édipo, Di & Cia”, em que se descreve a carreira de escritores como o Isaías Pessotti e John Dickson Carr, autor de um inusitado romance histórico-policial protagonizado por alguns dos mais importantes escritores do século XVIII, como Henry Fielding e Laurence Sterne. São capítulos interessantes porque vão além do conhecimento mais usual do leitor do gênero, e funcionam como valiosas indicações de leitura.

Tais qualidades se perdem, porém, em livro que parecia promissor, mas que, infelizmente, não ultrapassou a superficialidade dos textos de divulgação mais apressados. E que não faz justiça à evidente paixão que seu autor tem dedicado à narrativa policial.



Fórum

Leia os comentários sobre este texto / Comente você também

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» O planeta reage aos desertos verdes
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» A “América profunda” está de volta
» Finanças: sem luz no fim do túnel
Mais textos