Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Edgar Morin: “Maio de 1968 reaparecerá”

» Greve: desmonte da Petrobrás levou país ao caos

» Quando novos atores entram na outra cena

» A centralidade do petróleo no golpe de 2016

» As novas vítimas da crise civilizatória

» As novas vítimas da crise civilizatória

» Texto do Paulo Kliass

» Por que não salva nada?

» Venezuela, eleições e sabotagem

» O processo: golpe e claustrofobia

Rede Social


Edição francesa


» Le recours au droit de vote à l'ONU

» Eternelle récupération de la contestation

» Le commerce international des moyens de répression

» Des enfants au front

» Cette casse délibérée des solidarités militantes

» Au Congo, de la rébellion à l'insurrection

» Besoin d'utopie

» Les « dix commandements » de la préférence citoyenne

» Retour des rebelles

» Zapata, Guevara, Allende... San Carlos


Edição em inglês


» In West Texas, the US-Mexico border disappeared for a day

» A Labour code for the 21st century

» Stateless, and at risk of the weather

» Playing Trump for peace

» ‘We want a civil state, not a civil war!'

» Gearing up for the third Gulf war

» Iran nuclear deal: what does US withdrawal mean for the Middle East?

» The caliphate of Trump

» Why can't the world's best military win its wars?

» Brazil goes back to an oligarch past


Edição portuguesa


» Jerusalém: o erro crasso do presidente americano

» Edição de Maio de 2018

» Direitos, não incentivos

» Maio, uma esperança de oceano

» Cuba quer o mercado… sem capitalismo

» Como assinar o Le Monde diplomatique - edição portuguesa

» O duplo desafio da esquerda brasileira

» No Brasil, a crise galvaniza as direitas

» Edição de Abril de 2018

» Licença para matar


Armand Mattelart

Professor de ciências da informação e da comunicação na universidade Paris 8. Autor de vários livros,Diversité culturelle et mondialisation, La Découverte, Paris, 2005. Citam-se, em especial, Histoire de l`utopie planétaire (1999) e Histoire de la société de l`information (2001), ambos editados por La Découverte, Paris.


Seus artigos nesse site:

A batalha das palavras

O que está em jogo é a arquitetura da “rede” como base de uma nova ordem mundial. Mas que controla a rede? Na disputa, o sentido das palavras desempenha papel decisivo. Pois quem domina as palavras domina as construções mentais que induzem as políticas

14 de agosto de 2007

Quem tem medo da diversidade cultural

Uma nova convenção da Unesco pode estabelecer o direito das sociedades a defender suas culturas – inclusive contra as ameaças da homogenização e do mercado. Como seria de se esperar, os EUA são contra...

1º de outubro de 2005

O difícil denominador comum

Antes da realização da Cúpula de Genebra, em dezembro, as três conferências preparatórias já anunciavam o confronto entre os governos, as agências das Nações Unidas, o setor privado e a sociedade civil a ponto de abalar a credibilidade dos discursos encantados sobre a chamada “revolução da informação”

1º de dezembro de 2003

Uma questão da nova ordem internacional

A preparação da Cúpula Mundial da sociedade de informação de Genebra, a ser realizada em dezembro, aviva os enfrentamentos entre diferentes projetos de sociedade no que se refere à diversidade cultural, direito à comunicação e modo de acesso às tecnologias da informação

1º de agosto de 2003

A hora do livre-comércio

De maneira premonitória, desde o fim da década de 1920, o italiano Antonio Gramsci vê no progresso dessas técnicas de gestão da cultura um projeto de reestruturação global das relações sociais, que denomina “americanismo”

1º de setembro de 2001

Uma “modernização” liberal

Um documento da Comissão Européia, datado de 1977, define o “setor cultural” como “o conjunto sócio-econômico formado pelas pessoas e empresas que se dedicam à produção e à distribuição de bens e serviços culturais”

1º de setembro de 2001

A origem do mito da Internet

A guerra fria implanta o cenário que antecipa a construção dos conceitos encarregados de anunciar, e mesmo explicar, que a humanidade se encontra no limiar de uma nova era da informação, rumo a um novo universalismo

12 de agosto de 2000

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos