Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Por que revogar a Emenda Constitucional 95

» Que esperar do #OcupaPolítica

» Assim o jornalismo quer diminuir as mulheres

» Surge a Frente Inter-Religiosa por Justiça e Paz

» Previdência: a Argentina também resiste

» O julgamento de Lula e um 2018 provocador

» Luta de classes na era do Uber

» A Bela da Tarde após o escândalo

» Revolução e Democracia, reencontro incerto

» Revolução e Democracia, reencontro incerto

Rede Social


Edição francesa


» Le gouvernement de M. Nétanyahou contre la paix

» Violences colombiennes dans les rues et dans les têtes

» En attendant la reconstruction du Temple...

» Jérusalem, la ville sainte qui devient ville-forteresse

» Stratégie pétrolière ou politique de paix ?

» Washington possède d'énormes réserves de puissance pour sauvegarder ses intérêts économiques dans le monde

» Les Etats-Unis face au risque de guerre

» Jérusalem perdra-t-elle son caractère œcuménique ?

» Le Laos est devenu un champ d'expérimentation des techniques de lutte anti-insurrectionnelle

» La question des Lieux saints se pose depuis plusieurs siècles


Edição em inglês


» A Harvey Weinstein moment for America's wars?

» A Harvey Weinstein moment for America's wars?

» Julien Brygo on India's vast army of servants

» What's the matter with eastern Europe?

» Unfounding Father

» The Trump blame game

» Israel's quest for influence in Africa

» Yemen: humanitarian disaster of Saudi intervention

» Religious wars

» Yemen's dangerous war


Edição portuguesa


» O eixo Washington-Riade-Telavive

» Edição de Dezembro de 2017

» O Orçamento, o presente e o futuro

» Guerras de religião

» Assinatura de 6 meses: só €18

» Edição de Novembro de 2017

» O Estado e as catástrofes normais

» Chamar uma vitória pelo nome

» Para onde vão a educação e a ciência no pós-Troika?

» Que SNS temos? Que SNS queremos?


Armand Mattelart

Professor de ciências da informação e da comunicação na universidade Paris 8. Autor de vários livros,Diversité culturelle et mondialisation, La Découverte, Paris, 2005. Citam-se, em especial, Histoire de l`utopie planétaire (1999) e Histoire de la société de l`information (2001), ambos editados por La Découverte, Paris.


Seus artigos nesse site:

A batalha das palavras

O que está em jogo é a arquitetura da “rede” como base de uma nova ordem mundial. Mas que controla a rede? Na disputa, o sentido das palavras desempenha papel decisivo. Pois quem domina as palavras domina as construções mentais que induzem as políticas

14 de agosto de 2007

Quem tem medo da diversidade cultural

Uma nova convenção da Unesco pode estabelecer o direito das sociedades a defender suas culturas – inclusive contra as ameaças da homogenização e do mercado. Como seria de se esperar, os EUA são contra...

1º de outubro de 2005

O difícil denominador comum

Antes da realização da Cúpula de Genebra, em dezembro, as três conferências preparatórias já anunciavam o confronto entre os governos, as agências das Nações Unidas, o setor privado e a sociedade civil a ponto de abalar a credibilidade dos discursos encantados sobre a chamada “revolução da informação”

1º de dezembro de 2003

Uma questão da nova ordem internacional

A preparação da Cúpula Mundial da sociedade de informação de Genebra, a ser realizada em dezembro, aviva os enfrentamentos entre diferentes projetos de sociedade no que se refere à diversidade cultural, direito à comunicação e modo de acesso às tecnologias da informação

1º de agosto de 2003

A hora do livre-comércio

De maneira premonitória, desde o fim da década de 1920, o italiano Antonio Gramsci vê no progresso dessas técnicas de gestão da cultura um projeto de reestruturação global das relações sociais, que denomina “americanismo”

1º de setembro de 2001

Uma “modernização” liberal

Um documento da Comissão Européia, datado de 1977, define o “setor cultural” como “o conjunto sócio-econômico formado pelas pessoas e empresas que se dedicam à produção e à distribuição de bens e serviços culturais”

1º de setembro de 2001

A origem do mito da Internet

A guerra fria implanta o cenário que antecipa a construção dos conceitos encarregados de anunciar, e mesmo explicar, que a humanidade se encontra no limiar de uma nova era da informação, rumo a um novo universalismo

12 de agosto de 2000

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos