Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


Rede Social


Edição francesa


» Agriculture : traire plus pour gagner moins

» Petits secrets entre amis à Sciences Po

» Alexeï Navalny, prophète en son pays ?

» Dissoudre pour mieux régner

» La Commune prend les murs

» La gauche, histoire d'un label politique

» Peter Watkins filme la Commune

» Faillite de la mission européenne au Kosovo

» Les Nations unies face au conservatisme des grandes puissances

» Ces musulmans courtisés et divisés


Edição em inglês


» The UAE's seven emirates

» Sahel: shifting enemies, enduring conflict

» How much of a threat is Alexey Navalny?

» Myanmar's military coup

» France cosies up to the UAE

» Little Sparta: the growing power of the UAE

» France's unwinnable Sahel war

» Latin America's feudal castle

» The reader becomes king

» The circus leaves town


Edição portuguesa


» Pagamento com cartão de crédito / PayPal

» Edição de Fevereiro de 2021

» Combates pela igualdade

» "Calem-se!"

» Como reorganizar um país vulnerável?

» Edição de Janeiro de 2021

» O presidente, a saúde e o emprego

» Quem será o próximo inimigo?

» Edição de Dezembro de 2020

» A democracia desigual e os neoliberais autoritários


Arundhati Roy

Escritora indiana. Autora, em especial, de Ben Laden, secret de famille de l’Amérique, ed. Gallimard, Paris, 2001, e de Le Dieu des petits riens, ed. Gallimard, Paris, 2000 (Prêmio Booker 1997). Este artigo consiste de trechos da conferência da autora no dia 27 de janeiro de 2003, durante o Forum Social Mundial de Porto Alegre.


Seus artigos nesse site:

A resistência sob o risco da "ONGuização"

Atualmente, as ONGs são o que os botânicos chamariam um indicador de espécie. Quanto maior a devastação causada pelo neoliberalismo, mais elas proliferam. Mas esses missionários seculares do mundo moderno também representam um risco para os movimentos de massa

1º de outubro de 2004

Enfrentar o Império

Os países do Hemisfério Norte zelam pela globalização do capital, dos bens, das patentes e dos serviços. Mas não pela globalização dos direitos humanos, ou pelo fim da discriminação racial, ou das armas químicas e atômicas, ou da justiça

1º de março de 2003

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos