Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Boaventura: para que o futuro seja de novo possível

» Seis elementos da conjuntura brasileira

» Trump quer a guerra – e conquista o establishment

» Sob Temer, a grilagem volta sem freios

» Tiradentes, herói sem nenhum caráter?

» Como pulsa hoje nosso desejo de rua?

» França: a esquerda vive, quando não se rende

» A indispensável Reforma Política

» Quilombolas: a longa batalha pelo território

» Bem-vindo à escola do século 19

Rede Social


Edição francesa


» Sodexo, une histoire de casseroles

» Trafics d'influence en Afrique

» « Terra nullius », une fiction tenace

» Le choc des mémoires au mépris de l'histoire

» « Le Parisien » enchaîné

» Quelque part au sud de Paris

» Errements de la politique migratoire de Bruxelles

» Mondialisons la solidarité !

» Le fantôme de la guerre d'Espagne

» La Grèce en première ligne


Edição em inglês


» Climate change as genocide

» How to lose the next war in the Middle East

» Trump, a symptom of what?

» Found in Cuba: the American dream (and nightmare)

» Through the bars

» Resurrecting the unholy trinity

» War in the Gulf (no, not that Gulf!)

» Demobilizing America

» The bloodstained rise of global populism

» Montreal global city


Edição portuguesa


» Militarismo: uma paixão francesa

» Edição de Abril de 2017

» A liberdade e o medo

» Outra vez a armadilha do voto útil?

» Canto Livre e Canção de Protesto

» União Europeia: para onde vai o pelotão da frente?

» A literatura, cimento que constrói mundos

» Tendências recentes do emprego dos jovens diplomados portugueses

» Edição de Março de 2017

» Offshores, defeitos e feitios


Jean-Pierre Olivier de Sardan

Diretor de estudos da Ecole des hautes études em sciences sociales(EHESS).e Diretor de pesquisa do Centre national de la recherche scientifique(CNRS) e do IRD(LASDEL, Niamey, Nigéria)


Seus artigos nesse site:

Raízes do caos da saúde pública na África

Com taxas de mortalidade nitidamente mais elevadas que no resto do mundo, a população do continente africano padece não só de epidemias como a Aids, mas também com o desprezo pelos doentes de grande parte dos funcionários da saúde

1º de fevereiro de 2004

Decadência dramática dos Estados africanos

Quatro golpes de Estado, em apenas um ano, voltam a expor os limites de uma "democratização" que gerou pluripartidarismo e alguma liberdade de imprensa, mas não admite alternância no poder

12 de fevereiro de 2000

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos