Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Frugalidade, opção anticapitalista

» Henrique Meirelles e o Consenso de Washington

» Rio Doce, a farsa da “recuperação”

» Boaventura: a ilusória “Desglobalização”

» Boaventura: a ilusória “Desglobalização”

» O pós-capitalismo particular de Mahatma Gandhi

» Catalunha: Madri exige rendição total

» Mensagem de Rosa Luxemburgo ao século 21

» Superar a pecuária, imperativo ético

» Wallerstein: tempos de incerteza caótica

Rede Social


Edição francesa


» Révolte silencieuse pour sauver l'Unesco

» La France condamnée à désarmer

» Ces grandes puissances, obstacles à un monde non nucléaire

» Des champs pétrolifères contestés

» Les frontières incertaines du Kurdistan

» Pour un nouvel ordre économique mondial

» Une voie nouvelle : enrichir la revendication

» En finir avec le franc CFA ?

» Nihilisme et radicalisation

» Togo, une dictature à bout de souffle


Edição em inglês


» “Enemy Combatants” again?

» The empire comes home

» The scandal of Pentagon spending

» Autopilot wars

» The Trump presidency

» Trump is in your head

» China's new Silk Road

» Slovakia: severe interregional disparities

» North Korea: a nuclear world

» Infotainment sites only in it for the clicks


Edição portuguesa


» Edição de Outubro de 2017

» Trabalho à esquerda

» O século de Lenine

» «Nova rota da seda»: um trunfo geopolítico para a Rússia

» Edição de Setembro de 2017

» Blocos de actividades para o Estado e para o mercado

» Donald Trump ultrapassado pelo partido anti-russo

» Edição de Agosto de 2017

» Media queixam-se: a chuva molha

» O logro dos 99%


Nira Reyes Morales

Jornalista.


Seus artigos nesse site:

Uma literatura claustrofóbica

De 1973 a 1983, o Chile viveu a década do ’apagón’ cultural. Toque de recolher e estado de sítio permitiram à ditadura esconder os crimes e os fantasmas que, 30 anos mais tarde, ainda assombram o imaginário coletivo da literatura chilena

1º de setembro de 2003

Uma brecha no controle da mídia

Passada a ditadura, a quase totalidade dos meios de comunicação continua controlada por dois grandes grupos empresariais, no Chile. Mas há exceções, como jornais satíricos e uma experiência, inédita, de um canal de televisão popular, ’Señal 3’

1º de novembro de 2002

Por trás do mito chileno

Após duas décadas de governo democrático, o Chile é um país bem visto e respeitado no mundo inteiro. No entanto, o custo do sucesso econômico implicou na adoção de uma política de “justiça na medida do possível”, que engessou o progresso social

1º de novembro de 2002

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.

Destaques

» A “América profunda” está de volta
» Armas nucleares: da hipocrisia à alternativa
» Do "Le Monde Diplomatique" a "Outras Palavras"
» Dossiê ACTA: para desvendar a ameaça ao conhecimento livre
» Escola Livre de Comunicação Compartilhada
» Finanças: sem luz no fim do túnel
» Israel: por trás da radicalização, um país militarizado
» O planeta reage aos desertos verdes
» Para compreender a encruzilhada cubana
» Teoria Geral da Relatividade, 94 anos