Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Lockdown com justiça social, Já! (2)

» Esse é o início do século asiático?

» O que Felipe Neto ensina sobre revisionismo histórico

» Escancara-se o projeto miliciano de Bolsonaro

» Cinema: brancura da neve e sua melancolia

» “Lockdown” com justiça social, já! (1)

» Equívocos de Marcos Nobre sobre a Frente Ampla

» Tatuagem: não há pecado ao Sul do Equador

» Bolsonaro, síndico de um condomínio em chamas

» Entre a Ciência e a cultura mundana

Rede Social


Edição francesa


» Shaw ou l'engagement ironique

» Cinquante ans de « dé-mesure » à l'anglo-saxonne

» Le magot de l'industrie musicale

» Les urnes et le peuple

» La démondialisation et ses ennemis

» La patrie littéraire du colonisé

» Intégrismes et laïcité

» Le mouvement social britannique sort de sa léthargie

» Extension du domaine de la régression

» Les chances d'un accord sino-américain dépendent uniquement des Etats-Unis


Edição em inglês


» Miami: flood risk and development

» Texas opens again for business

» US in the spring of the pandemic

» Florida's flooded future

» Oman struggles to stay neutral

» Syria's quiet return

» UK coexists with coronavirus

» Austerity is the killer

» UK, a new leader for Labour

» New Zealand's super-fast lockdown


Edição portuguesa


» Edição de Maio de 2020

» Defender os trabalhadores

» Todos crianças

» Há um problema com a representação jornalística da violência doméstica

» Chile, o oásis seco

» Edição de Abril de 2020

» O tempo é agora

» Achatar as desigualdades

» O olhar dos artistas

» Assine por 3 meses (€10) ou 6 meses (€18)


Comentários sobre esse texto:

Lições da história

As bombas atômicas lançadas no Japão são a história mais negra da 2 Guerra Mundial. Não recordo a ordem, mas a primeira bomba era de um tipo de minério radiativo [urânio ?] e a outra de outro tipo de minério [plutônio ?]. De má-fé ou por ignorância da imprensa e pesquisadores, este dado crucial é totalmente suprido. Os EUA fizeram a sangue frio um teste para ver qual minério radiativo causa mais estragos. Usaram os japoneses como cobaias. E ninguém fala nada. Além dos japoneses já estarem negociando sua rendição, os EUA não tiveram "democracia" e jogaram a segunda bomba. Isto para intimidar a URSS, dando um recado dizendo quem manda no mundo daqui para frente. Isto explica o "esquecimento" destes governos atuais, Pois nunca tiveram interesses sociais, somente de seu poder sendo perpetuado. nem que isto represente distorcer a história, fatos, matar civis, crianças, etc. Esta guerra como todas tem fundamentação econômica e não os mencionados no texto. Veja a invasão ao Iraque [pura guerra petrolífera].



2008-05-26 22:25:46

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.