Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Seriam os QR Codes microespiões do capital?

» A complexa relação entre os neoliberais e a dor

» Boaventura: o poder cru e o poder cozido

» A poesia das mulheres que alumiam noites

» 21 de outubro de 2021

» Para desvendar as lógicas do capital e da guerra

» Teatro Oficina reabre em celebração de reexistência

» Cinema: o que não perder no grande festival

» 20 de outubro de 2021

» Como narrei a ditadura brasileira

Rede Social


Edição francesa


» Etes-vous heureux, ravi ou enchanté de travailler dans un institut de sondage ?

» Infernal manège des sondages

» Droit du travail : vers des « jugements automatiques »

» Mes vacances en Terre sainte

» Les bonnes recettes de la télé-réalité

» Mme Michèle Alliot-Marie emportée par la foule

» Jusqu'où obéir à la loi ?

» Ces « traîtres » qui sauvèrent l'honneur de la France

» A la recherche d'un destin commun en Nouvelle-Calédonie

» L'école algérienne face au piège identitaire


Edição em inglês


» Millennial Schmäh

» UK: what happened to the right to food?

» Taiwan at the heart of the US-China conflict

» October: the longer view

» What do we produce, and why?

» Hunger in France's land of plenty

» In search of a good food deal

» Georgia's love-hate affair with Russia

» Latin America faces tough choices

» Recognising the PRC


Edição portuguesa


» Edição de Outubro de 2021

» Um império que não desarma

» Convergir para fazer que escolhas?

» O mundo em mutação e o Estado - em crise?

» Edição de Setembro de 2021

» Transformação e resiliência

» O caminho de Cabul

» Edição de Agosto de 2021

» Ditadura digital

» Desigualdades digitais


Comentários sobre esse texto:

Capitalistas, sim, mas zen...

Prezados editores do "Le monde diplomatique":

Achei importante a exposição desse artigo de Zizek na medida em que evidencia a fraqueza teórica e a mediocridade de um dos piores demagogos de nossa época. Zizek parace viver para reeditar mitos intelectuais indefensáveis como a retórica lacaniana e as posturas neo-stalinistas. Não conheço nenhum autor mais medíocre no cenário de nossa época. Nesse artigo que evidencia toda sua ignorância, obscurantismo e falta de preparo ele provoca uma confusão intencional entre o conteúdo normativo do pensamento budista e as bobagens da "nova era" com intenções obscurantistas que já se tornaram evidentes. Em artigo recente publicado no dia 13 d3 abril de 2008 no "mais" da folha de São Paulo intitulado
"O Tibete não é tudo isso" Zizek apresenta uma justificação grotesca do genocídio do povo tibetano promovido pelo governo de Beijing. É curioso que um pensador com pretensões críticas referende integralmente a visão da história do governo fascista de Beijing, visão essa que não resiste a nenhuma análise crítica mais séria. Acho curioso, pois no debate público sobre a questão tibetana realizado na câmara dos vereadores do Rio de Janeiro, o Cônsul geral da China, SR.Li Baojun apresentou uma visão da história idêntica à de Zizek o que comprova a meu ver que Zizek pouco mais é do que um ideólogo medíocre a serviço de um estado genocida. A única coisa deplorável nesse contexto é a falta de um espaço público de discussão em que se possa derrubar através dos debates esse representante do niilismo fascista de nossa época.

Sem mais, atenciosamente.

Joaquim Monteiro.
Monge Shaku Shoshin.


Joaquim Monteiro
2008-06-03 21:18:37

sobre o ducumentario citado

Boa Noite! Gostaria de saber onde encontro para alugar ou comprar ou reproduzir ou emprestar o documentario de Alexander Oye: Castelos de Areia. Budismo e as finanças mundiais??
Preciso com bastante urgencia
Danúbia
danubia_ivanoff@yahoo.com.br

Ficaria extremamente grata se alguém me ajudasse..


Site: Capitalistas sim, mas zen...
Danubia
2008-05-11 23:24:42

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.