Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Cinema: Os últimos soldados da Guerra Fria

» A eleição mais árdua de Evo Morales

» Reviravolta no Oriente Médio: os curdos podem resistir

» Atualismo: assim percebemos o tempo no século XXI

» Porto ameaça cartão-postal amazônico

» Banco Mundial, parceiro de maldades de Bolsonaro

» Por que os EUA traíram a guerrilha curda

» Franz Kafka: como sair do labirinto

» Por trás do iPhone, o Estado e os militares

» Equador: bastidores e sentidos da notável vitória

Rede Social


Edição francesa


» Ces dures grèves des ouvriers américains

» 17 octobre 1961 : rendez-vous avec la barbarie

» La gauche dans son ghetto, la droite à la radio

» Les médias américains délaissent le monde

» Fruits et légumes au goût amer

» La Bolivie dans l'étau du néolibéralisme

» La crise suscite de sérieux remous en Irak et relance la guerre froide en Proche-Orient

» Les rivalités entre Washington, Moscou et Pékin

» Gauche latino-américaine, version Uruguay

» Fascisme, islam et grossiers amalgames


Edição em inglês


» Iraq's demographic time bomb

» October: the longer view

» Socialism resurgent?

» Power to decide who's guilty

» East Germany's loyal returnees

» Ankara realpolitik

» South Africa's lands must be shared

» Turkey's rival Islamists

» Argentina's unlikely presidential duo

» Reversing the polarities


Edição portuguesa


» A crise catalã nasceu em Madrid

» Quantas divisões há entre os curdos?

» Edição de Outubro de 2019

» Estabilidade para quem?

» Washington contra Pequim

» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda


Comentários sobre esse texto:

Capitalistas, sim, mas zen...

Prezados editores do "Le monde diplomatique":

Achei importante a exposição desse artigo de Zizek na medida em que evidencia a fraqueza teórica e a mediocridade de um dos piores demagogos de nossa época. Zizek parace viver para reeditar mitos intelectuais indefensáveis como a retórica lacaniana e as posturas neo-stalinistas. Não conheço nenhum autor mais medíocre no cenário de nossa época. Nesse artigo que evidencia toda sua ignorância, obscurantismo e falta de preparo ele provoca uma confusão intencional entre o conteúdo normativo do pensamento budista e as bobagens da "nova era" com intenções obscurantistas que já se tornaram evidentes. Em artigo recente publicado no dia 13 d3 abril de 2008 no "mais" da folha de São Paulo intitulado
"O Tibete não é tudo isso" Zizek apresenta uma justificação grotesca do genocídio do povo tibetano promovido pelo governo de Beijing. É curioso que um pensador com pretensões críticas referende integralmente a visão da história do governo fascista de Beijing, visão essa que não resiste a nenhuma análise crítica mais séria. Acho curioso, pois no debate público sobre a questão tibetana realizado na câmara dos vereadores do Rio de Janeiro, o Cônsul geral da China, SR.Li Baojun apresentou uma visão da história idêntica à de Zizek o que comprova a meu ver que Zizek pouco mais é do que um ideólogo medíocre a serviço de um estado genocida. A única coisa deplorável nesse contexto é a falta de um espaço público de discussão em que se possa derrubar através dos debates esse representante do niilismo fascista de nossa época.

Sem mais, atenciosamente.

Joaquim Monteiro.
Monge Shaku Shoshin.


Joaquim Monteiro
2008-06-03 21:18:37

sobre o ducumentario citado

Boa Noite! Gostaria de saber onde encontro para alugar ou comprar ou reproduzir ou emprestar o documentario de Alexander Oye: Castelos de Areia. Budismo e as finanças mundiais??
Preciso com bastante urgencia
Danúbia
danubia_ivanoff@yahoo.com.br

Ficaria extremamente grata se alguém me ajudasse..


Site: Capitalistas sim, mas zen...
Danubia
2008-05-11 23:24:42

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.