Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Capital, pandemia e os papéis do feminismo

» Na pandemia, fermenta o Comum

» Literatura periférica, borbulhante e singular

» Epidemias e a queda do céu

» A Quarentena, o desencanto e os homens de gravata

» Contra o cinismo de 1%, a Reforma Tributária

» O fantasma de 1929 está vivo

» Contra a pandemia, a opção solidária

» Pandemia implodirá a Segurança Pública?

» Filmes para desembrutecer o coração

Rede Social


Edição francesa


» Hobsbawm (1917-2012), un itinéraire dans le siècle

» L'Afrique, cobaye de Big Pharma

» Dépeçage des libertés publiques

» Punir le viol

» Stefan Zweig ou l'horreur de la politique

» Le refus de Sartre

» Une guerre tous azimuts

» Parrain privé, chaîne publique

» « Big Pharma », ou la corruption ordinaire

» Ravages cachés du sous-emploi


Edição em inglês


» To our readers

» Bangsamoro: Philippines' new Muslim-majority region

» Artist and filmmaker

» Looking without blinking

» Politics of city diplomacy

» Politics of city diplomacy

» The return of the city-state

» Philippines revives self-rule for Bangsamoro

» Marawi, the Philippines' ruined city

» Impasse in Morocco


Edição portuguesa


» Edição de Março de 2020

» Um Brexit para nada?

» A precariedade não é só dos precários

» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?


Comentários sobre esse texto:

Juventude, estupro e AIDS

Não penso dessa maneira, vejo mais como apécto cultural, pois a informação nos leva a concientização, que fomos gerados para sermos racionais!o amor, o respeito humano faz parte da alma e do espirito, desse ser tão complexo que é o homem!é só mostrar o caminho.

um pouquinho mais de interesse dos países industralizados, atenuaria em muito esse triste quadro.

o maior problema do globo não são as epidemias ou a pobreza, mais sim o individualismo das grandes nações.

Sidnei 20/08/2006.


SIDNEI
2006-08-20 18:24:05

Juventude, estupro e AIDS

Li todo seu texto. Achei muito bom.
Quando Vs. escrevem sobre a atitude dos homens em relação às mulheres, parece que está muito ligado ao fato do "macho provedor" incapaz (devido a conjuntura sócio-econômica em que seu país se encontra) fazer o papel esperado, o que leva à baixa auto-estima que Vs. citam.

Se isto ocorre, um dos fatores para as mulheres passarem a sofrer todo o tipo de violência masculina é a compensação por parte homens. Como eles não se sentem mais como os "provedores da espécie", compensam estuprando, espancando e tudo o mais para voltar a fazer o papel de "macho da espécie".

Outro fator é que qdo. um homem age assim, nenhuma mulher cobrará nada dele e assim ele evita que se lhe cobre soluções para resolver os problemas do ambiente em que está inserido.

Com isto, podemos concluir que estes agressores são pessoas com um medo muito grande do ambiente em que vivem e descarregam este medo nas mulheres e crianças, conseguindo vender a imagem de pessoas que nada temem.

Estes são apenas alguns motivos, há outros naturalmente.


Antares
2006-07-24 08:51:02

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.