Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» 5 de julho de 2022

» PEC do Desespero: E o dinheiro apareceu…

» Cidades: uma possível saída ao nó da terra

» Roubini: assim será a próxima crise capitalista

» Trabalhadores informais protestam em três capitais

» Como a mídia constrói a alienação econômica

» Argentina e Chile: por que a esquerda está em apuros

» 4 de julho de 2022

» Como a esquerda quer governar a Colômbia

» Direito ao aborto: “A mulher não é um hospedeiro”

Rede Social


Edição francesa


» Transformer la population en électorat

» Dans les cuisines du marché électoral

» Le poids des pamphlets, le choc des classes

» En Russie, réprimer plus et enfermer moins

» Apprendre à nager n'est plus donné à tout le monde

» Bouillonnement de l'art contemporain africain

» Les Sri-Lankais défient le pouvoir

» Clarice Lispector, l'étoile de Rio

» Séparatismes ukrainiens

» Les mineurs, la mer et autres histoires


Edição em inglês


» Ankara's interests in Afghanistan

» Fragmented Yemen

» Ukraine's logistical crisis

» Tensions and blackmail over Western Sahara

» Migrants still risk their lives to reach England

» Africa: agribusiness or diversity?

» Poisoning our oceans

» UN Earth Summits: how the rot set in

» In Mexico, will slow and steady win the day?

» Sri Lanka plunges into crisis


Edição portuguesa


» Recortes de Imprensa

» Será a caneta mais poderosa do que a espada?

» Poção mágica

» Os habitantes do Sri Lanka desafiam o poder

» O cruzeiro diverte-se, o mar é que paga

» Os bárbaros à nossa porta!

» Para automatizar a censura, clique aqui

» A efervescente arte contemporânea africana

» Na Argélia, a procura de horizontes

» Será o presidente mexicano o joguete dos patrões?


Comentários sobre esse texto:

"Transparência Internacional" ou cortina de fumaça?

Operação Pacajá II

Combater a prática delitos nas regiões de fronteira no extremo norte do Brasil, crimes ambientais, contrabando de armas, garimpo e tráfico de drogas são objetivo da operação Pacajá II, que acontece nos estados do Pará e Amapá, desde o dia 7 de novembro. Homens da Polícia Federal, Receita Federal, Corpo de Bombeiros e Ibama(Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) participam da operação, que não tem data para acabar.

Ao todo a ação envolve mil servidores, sendo 800 militares da23ª Brigada de Infantaria (Pará e Amapá). A primeira parada da equipe de agentes federais foi no povoado de Ilha Bela, dentro do Parque Nacional ’Montanhas do Tumucumaque’. A área é fronteira com a Guiana Francesa e apenas o rio Oiapoque separa os dois países. Lá foi constatada a prática ilegal de garimpo e houve destruição demateriais usados ilegalmente nesta exploração. Foram duas espingardas calibre 12 e um revólver 38.

Ação tem como meta garantir a soberania nacional na região,coibir principalmente a extração ilegal de minério e combater a ocupação ilegal da área, por ser considerada área de reserva nacional e deve continuar sem data prevista para encerramento



2008-11-19 03:07:28

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.