Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Aos super ricos, os super genes?

» A Ideologia da Mineração está em xeque

» Orçamento 2020 expõe o Bolsonaro das elites

» A esquecida questão da desigualdade energética

» Crônica de Cuba, em incerta transição

» “Direitos Já”: Uma perigosa contradição

» Cinema: Espelhos deformantes

» As mentiras da ciência a serviço do mercado

» Anatomia da próxima recessão global

» Passo a passo para frear a devastação da Amazônia

Rede Social


Edição francesa


» Le Media Lab aux avant-postes du cybermonde

» Echec à la corruption au Brésil

» Les beaux jours de la corruption à la française

» Parler français ou la « langue des maîtres » ?

» Au Portugal, austérité et contestation

» Le piège du 11-Septembre

» Quand la gomme arabique fait tanguer l'Amérique

» Au Kosovo, la « sale guerre » de l'UCK

» L'école publique à l'encan

» Le régime de Khartoum bousculé par la sécession du Sud


Edição em inglês


» September: the longer view

» Afghan peace talks: Trump tweets, Taliban fights

» An inexhaustible myth in times of extreme adversity

» What happened to social solidarity?

» Sudan: conflict, violence and repression

» Russia's appointed billionaires

» Another end is possible

» Arms sales: the Swedish model

» Soft power influence in the Arabian Gulf

» Life with bribes and kickbacks


Edição portuguesa


» Edição de Setembro de 2019

» Portugal não pode parar?

» Quem elegeu Ursula von der Leyen?

» Edição de Agosto de 2019

» Plural e vinculado à esquerda

» Os talibãs de São Francisco

» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019


Comentários sobre esse texto:

"Transparência Internacional" ou cortina de fumaça?

Operação Pacajá II

Combater a prática delitos nas regiões de fronteira no extremo norte do Brasil, crimes ambientais, contrabando de armas, garimpo e tráfico de drogas são objetivo da operação Pacajá II, que acontece nos estados do Pará e Amapá, desde o dia 7 de novembro. Homens da Polícia Federal, Receita Federal, Corpo de Bombeiros e Ibama(Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) participam da operação, que não tem data para acabar.

Ao todo a ação envolve mil servidores, sendo 800 militares da23ª Brigada de Infantaria (Pará e Amapá). A primeira parada da equipe de agentes federais foi no povoado de Ilha Bela, dentro do Parque Nacional ’Montanhas do Tumucumaque’. A área é fronteira com a Guiana Francesa e apenas o rio Oiapoque separa os dois países. Lá foi constatada a prática ilegal de garimpo e houve destruição demateriais usados ilegalmente nesta exploração. Foram duas espingardas calibre 12 e um revólver 38.

Ação tem como meta garantir a soberania nacional na região,coibir principalmente a extração ilegal de minério e combater a ocupação ilegal da área, por ser considerada área de reserva nacional e deve continuar sem data prevista para encerramento



2008-11-19 03:07:28

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.