Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Por que o Brasil precisa de um Estado gastador

» A empregada de Guedes e a cozinheira de Lênin

» Esquerda e governo: ideias e lições históricas (2)

» Evo: Como reconstruir o Socialismo Comunitário

» Educação Pública: E se Bolsonaro destruir o Fundeb?

» Cinema: quando o vazio é combustível à vida

» Boaventura: o desenvelhecimento do mundo

» Coronavírus: por que a ameaça persiste

» Quem tem medo de Bernie Sanders

» A nova face das corporações modernas (2)

Rede Social


Edição francesa


» L'enfance, une espèce en danger ?

» Progrès technologique et régression sociale

» La recolonisation du plus pauvre pays de l'hémisphère occidental

» Taïwan, ou l'indépendance dans le brouillard

» Sur les causes de la pauvreté des nations et des hommes dans le monde contemporain

» La criminalité en « col blanc », ou la continuation des affaires…

» Les manœuvres à l'intérieur du parti de M. McGovern diminuent les chances d'un candidat démocrate

» Un réseau élargi et solidaire

» Images strictement contrôlées

» La leçon de Cro-Magnon


Edição em inglês


» US ideologues in the ascendant?

» US ideologues in the ascendant?

» Rojava, a fragmented territory

» Australia's angriest summer

» February: the longer view

» African national parks managed by African Parks

» Genetic medicine makes the world less fair

» From apartheid to philanthropy

» Who is the land for?

» Belarus, the industrious state


Edição portuguesa


» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»


Comentários sobre esse texto:

A voz pálida da França

Quem me dera se o Brasil tivesse força política, e resolvesse acordar para o que acontece no mundo! Vemos Estados Unidos, França, Alemanha, Grã-Bretanha, exercendo de sua influência, e o Brasil sem conseguir resolver pendengas, de Evo Morales ou Hugo Chaves! Acorda Brasil. Está claro que ter um exército forte, e setores de inteligência é muito importante. A reação árabe, e a busca por tecnologia nuclear é um exemplo de países que lutam por suas soberanias. A bomba é estratégica. É a forma que os árabes, e norte coreanos acharam para terem mais peso no mundo, e terem internamente menos interferência de países ocidentais. Vivemos diariamente a luta por um espaço no mundo, mas nos deixamos "deitados eternamente em berço esplêndido".


Henrique de Senna
2006-07-08 19:30:07

A voz pálida da França

Programas como "petróleo por comida" não é terrorista??? Quando a matéria-prima, que mais gera riquesas no mundo desenvolvido é adquirida trocando-se por comida não é fazer terrorismo contra este país???
Que pena que a França resolveu assumir esta posição, porque, ao que tudo indica, o Oriente Médio está cançado do terrorismo Ocidental!!! Fica a pergunta, porque não estabelecer relações realmente vantajosas para todos os lados???
E mais, alguém, por um acaso, se lembra que antes da criação de Israel, esta era uma região tranquila??? Quem foram os responsáveis mesmo por este fato???
Saudações!!!


Adonai G. Sancho
2006-07-08 18:34:50

A voz pálida da França

Finalmente parece que a França está abrindo os olhos para o perigo que é o mundo árabe.
Já não era sem tempo.


Augusto
2006-07-08 14:40:37

A voz pálida da França

Paulo Francis, disse que o sonho dos

franceses é morrer na quantidade americana e que o sonho dos americanos é morrer na qualidade francesa.


Gloria
2006-07-08 14:32:11

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.