Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Reino Unido: razões de um fracasso provisório

» Óleo nas praias: a tragédia tem a marca Bolsonaro

» O cimento familiar que faz A vida invisível

» Manifesto Feminista por uma Renda Cidadã

» Cinco livros para entender a polícia brasileira

» Fernando Meirelles vê Dois Papas e igreja em crise

» Em busca da funda de Davi

» Outras Palavras prepara nova travessia

» Argentina: o que esperar de Fernández e Cristina

» 2019, o ano do Pibinho do Guedes

Rede Social


Edição francesa


» Paradoxale modernisation de la Chine

» La grande mystification des fonds de pension

» Cinq leviers pour l'emploi…

» L'instinct de résistance des Réunionnais

» Comment la pensée devint unique

» Résister à l'insécurité sociale

» La pêche, une guerre mondiale ignorée

» L'homme et les robots

» Le crépuscule de la raison

» Mystiques violentes et stratégie non violente


Edição em inglês


» Scotland decides

» UK's austerity election

» December: the longer view

» ‘No one was listening'

» Shattering the conspiracy of silence

» This must be called murder

» Bolivia's coup

» Algeria's massive movement for change

» Islamists make common cause with the Hirak

» Grenfell's untold story


Edição portuguesa


» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»

» Assinatura de 6 meses: só 18 €

» Golpe de Estado contra Evo Morales

» Será que a esquerda boliviana produziu os seus coveiros?

» A era dos golpes de Estado discretos

» Pequeno manual de desestabilização na Bolívia

» No Brasil, os segredos de um golpe de Estado judiciário


Comentários sobre esse texto:

Gastronomia, direito humano

Esse discurso político é muito interessante, porém não podemos esquecer que o cerne do Slow Food é o comer bem, isto é, comer com prazer, valorizando a cultura gastronômica regional.


Site: Manalais!!!

2006-08-16 16:55:48

Gastronomia, direito humano

Achei o artigo interessante mas, para quem não sabe o que é o movimento do “slow food”, a pessoa fica perdida e não consegue fazer as conexões que o autor do artigo pretende fazer.
Para se ampliar algum conceito como faz o autor, é preciso primeiramente se definir bem o conceito, mesmo tendo-se um link, para saber de que se trata. Há um livro que trata desse assunto de uma forma mais abrangente chamado DEVAGAR (título em português) de Carl Honoré, Editora Record.
Este tema é extremamente importante tanto para os nossos desvarios ambientais e de saúde quanto para fazer um contraponto à nossa vida agitada e de corrida desenfreada sabe-se lá para onde.
DE qualquer forma gostei bastante da matéria principamente pelo fato de já conhecer algo sobre o assunto e estar estudando para aprender mais para poder aplicar na minha vida de relação.


Renato Lee
2006-08-16 11:00:38

Gastronomia, direito humano

Excelente o artigo. Gastronomia é um fenômeno político e cultural. Comer é um hábito de cultura e de compreensão das diferenças entre os diversos povos, a tão propalada pluralidade, que muito enriquece a experiência humana.

Temos que varrer essa cultura proveniente da globalização e calcada em valores dos Estados Unidos, segundo a qual, os hábitos de alimentação devam ser padronizados e a alimentação ser tratada apenas como um apêndice da saúde física. Se assim procedermos, ou seja se uniformizarmos a alimentação, deixaremos de lado e perderemos talvez para sempre grande parte da história do homem e das culturas. Porque muito da história foi feita, decidida e debatida em torno de uma mesa ou de um salão de festas.


João dos Santos
2006-08-15 23:41:20

Gastronomia, direito humano

Foi extremamente feliz a autora do artigo, começando pelo título que amplia o conceito e os horizontes do ’’comer’’ diferente do ’’alimentar’’. A indução à reflexão é seu grande mérito. PRECISAMOS, como nos indica o movimento Slow Food ... parararmos um pouco para pensar em nossos modos de vida e no, tão falado custo X benefício desta corrida vida que levamos nos grandes centros ! E por que não pararmos para pensar ...em torno de uma mesa, degustando um bom vinho e a saborosa comida feita, quem sabe, num pequeno fogão de uma casa ou restaurante ... Mas, feita por GENTE ...que ’sabe das coisas’ e que a nossa companhia seja de ... GENTE fina...
Enfim vamos voltar a prestar mais atenção, não na gente, mas, nas GENTES ... ao nosso redor !!!
Parabéns Slow Food !!!!!!


Paulo Chanel
2006-08-15 00:51:00

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.