Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Caetano Veloso, 80: O avesso do avesso do avesso

» 5 de agosto de 2022

» Revolução sexual, projeto feminista

» O dia em que Caio Prado aportou em Buenos Aires

» Ucrânia: as dores que o Ocidente não vê

» Por que aliar a saúde pública e às lutas ecológicas

» Em busca das origens do declínio ocidental

» 4 de agosto de 2022

» Boxe e escravidão: a história de Tom Molineaux

» Cinema: A arte brasileira sitiada num show de horrores

Rede Social


Edição francesa


» L'Europe en retard d'une guerre industrielle

» La naissance de Dracula

» Un barrage peut en cacher un autre

» Quand le bio dénature le bio

» CFDT, un syndicalisme pour l'ère Macron

» La Palestine, toujours recommencée

» Prêcher la haine au nom du Bouddha

» Petite histoire des grands moments de la science-fiction

» Au Japon, fausse audace économique, vrai nationalisme

» Quand une respectable fondation prend le relais de la CIA


Edição em inglês


» America's ageing nuclear facilities

» Julian Assange, unequal before the law

» Wuhan: the Covid diary

» The high price of becoming a student in Russia

» Why Parisians fear and loathe Saint-Denis

» Kosovo's problematic special status

» Summer in Moldova: will the party have to stop?

» Three little letters the world came to hate: IMF

» Will the FARC accords finally work under Petro?

» A tiny piece of Palestine, not quite forgotten


Edição portuguesa


» Dos lucros dos oligarcas aos vistos dos pobres

» Em defesa da água e do futuro do Algarve

» A escrita delas, África em Portugal (ou Donde sou)

» Vozes femininas e o livre imaginar

» O Comité de Salvamento Privado

» A burguesia francesa recompõe-se em Versalhes

» Que país pode ser independente?

» O fim do desencanto para os ex-guerrilheiros?

» Acarinhar Pinochet, destruir Assange

» Ardósia mágica


Comentários sobre esse texto:

Retratos do Império, quando decadente

Que pena isto está acontecendo por lá...Não está muito diferente de nossa realidade! Com uma diferença: Lá ainda tem muito dinheiro, aqui, eles tiram do pobre aposentado, das viúvas, dos órfãos, dos pequenos assalariados e de nossa escassa saúde.Assim como a maioria de lá se deixa levar,vendo os cargos públicos com enormes salários, nós não ficamos muito atrás, estamos todos passivos, parecendo até mesmo zumbis, sem nenhuma posição, deixando nossa nação nas mãos de muitos que só querem afundá-la.È uma pena! O que podemos fazer? Vê passivamente e calar-nos? Cadê os advogados e juizes para entrar com uma ação legal e colocar esta nossa nação no eixo? EU acho que para melhorar, teria que trocar todos os politicos em uma vez só, e não em 2 vezes, para que não dê tempo de ensinar falcatruas para os novos.



2007-10-08 23:12:36

Retratos do Império, quando decadente

Não é novidade a História mais uma vez registrar o poder de seus ciclos, e revelar aos mais atentos que algo de muito grave para a sociedade dos EUA está para acontecer.

Fiz há alguns anos umas professias para uns amigos, na tentativa de indicar uma data para o declínio social do império que fez Roma parecer uma "casinha de bonecas", e visionei a indestrutibilidade do império americano por mais três séculos; mas me enganei. Começo agora a ver que a decadência já começou e que está acelerada: “Numa velocidade muito maior a que imaginei outrora.”

Resta-nos agora acompanhar e aguardar que o povo dos EUA retome as rédeas do poder entregue nas mãos da minoria, abandone o fundamentalismo da política e da religião, e entendam que o planeta Terra é a nossa casa comum, pois somos todos irmãos; caso contrário só Deus sabe onde isso irá parar.


Robson Vasconcellos
2006-11-13 19:36:47

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.