Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Hummocks, sentinelles de notre planète

» Gaz et litige frontalier

» Diaspora libanaise

» Liban : comparaison régionales

» Communautés religieuses au Liban

» Empereurs des médias, de Springer à Murdoch

» « L'Avenir prisonnier »

» Oran, 5 juillet 1962...

» « Mes voisins sont de drôles de types »

» Eternel retour des bandes de jeunes


Edição em inglês


» Back to the JCPOA?

» China's outlaw armada

» Timidity in New Zealand

» November: the longer view

» The defeats of Golden Dawn

» Border tensions

» China: its rise and rise

» China leads the 5G race

» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth


Edição portuguesa


» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal

» Requisição civil

» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA


Comentários sobre esse texto:

Retratos do Império, quando decadente

Que pena isto está acontecendo por lá...Não está muito diferente de nossa realidade! Com uma diferença: Lá ainda tem muito dinheiro, aqui, eles tiram do pobre aposentado, das viúvas, dos órfãos, dos pequenos assalariados e de nossa escassa saúde.Assim como a maioria de lá se deixa levar,vendo os cargos públicos com enormes salários, nós não ficamos muito atrás, estamos todos passivos, parecendo até mesmo zumbis, sem nenhuma posição, deixando nossa nação nas mãos de muitos que só querem afundá-la.È uma pena! O que podemos fazer? Vê passivamente e calar-nos? Cadê os advogados e juizes para entrar com uma ação legal e colocar esta nossa nação no eixo? EU acho que para melhorar, teria que trocar todos os politicos em uma vez só, e não em 2 vezes, para que não dê tempo de ensinar falcatruas para os novos.



2007-10-08 23:12:36

Retratos do Império, quando decadente

Não é novidade a História mais uma vez registrar o poder de seus ciclos, e revelar aos mais atentos que algo de muito grave para a sociedade dos EUA está para acontecer.

Fiz há alguns anos umas professias para uns amigos, na tentativa de indicar uma data para o declínio social do império que fez Roma parecer uma "casinha de bonecas", e visionei a indestrutibilidade do império americano por mais três séculos; mas me enganei. Começo agora a ver que a decadência já começou e que está acelerada: “Numa velocidade muito maior a que imaginei outrora.”

Resta-nos agora acompanhar e aguardar que o povo dos EUA retome as rédeas do poder entregue nas mãos da minoria, abandone o fundamentalismo da política e da religião, e entendam que o planeta Terra é a nossa casa comum, pois somos todos irmãos; caso contrário só Deus sabe onde isso irá parar.


Robson Vasconcellos
2006-11-13 19:36:47

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.