Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Mudar o mundo sem desprezar o poder

» Seria a Medicina moderna uma ilusão?

» Pós-capitalismo na era do algoritmo (1)

» Uma “potência acorrentada”

» Sobre jeans, trabalho insano e folia

» Sobre jeans, trabalho insano e folia

» A política como arte do impossível

» O enigma da sobrevivência neoliberal

» Violência policial: o problema não está nos soldados

» Eleições na Bolívia: o que está em jogo?

Rede Social


Edição francesa


» L'ordre mondial selon John Maynard Keynes

» L'offensive des intellectuels en Iran

» Les charniers de Franco

» Sabra et Chatila, retour sur un massacre

» La résistance de George Orwell

» Mémoires et malmémoires

» Keynes, ou l'esprit de responsabilité

» Un milliardaire à l'assaut de la Maison Blanche

» Comment les sociétés multinationales du textile renforcent leur emprise sur le marché mondial

» À la recherche des « disparus » d'Algérie


Edição em inglês


» July: the longer view

» An interview with Franco ‘Bifo' Berardi

» Learning the lessons of the Arab Spring

» May 2019 parliamentary election

» A religious map of India

» Universal access to care

» Benin's fight against tuberculosis

» Towards an equal and healthy Africa

» Ivorians mobilise against AIDS

» Health for all, a global challenge


Edição portuguesa


» Edição de Julho de 2019

» Inconsistências (ou o sono da razão?)

» Comércio livre ou ecologia!

» Edição de Junho de 2019

» As pertenças colectivas e as suas conquistas

» A arte da provocação

» 20 Anos | 20% desconto

» EUROPA: As CaUsas das Esquerdas

» Edição de Maio de 2019

» Os professores no muro europeu


Comentários sobre esse texto:

DOSSIÊ IRÃ

Senhores,

Não acredito que o Irã tenha interesses militares na tecnologia nuclear. Se assim o fosse, com certeza o programa nuclear Iraniano teria sido conduzido com muito mais sigilo, sem alardes, até a obtenção e domínio completo desta tecnologia.

Além disso, durante o período comunista que dominou Moscou, os persas tiveram tempo mais que suficiente para, juntamente aos homens de vermelho, obterem tecnologia nuclear, pois dinheiro não lhes faltava.

Quanto as dissidências entre o Presidente e os Clérigos Iranianos, penso que são dissidências presentes em qualquer pais.

Elas são óbvias e não penso que o ocidente veja de forma diferente. O Presidente tem seu próprio site na internet cujas interpretações são completamente diferentes da interpretação do "Supreme Leader". Maior loucura ainda: Divergem os dois da agência irna. www.irna.ir.

Eles estão Isolados? De forma alguma. Nós, brasileiros, inclusive somos parceiros deles. Em 1994 construimos TODAS as redes de drenagem de água de Teera, pela construtora Andrade Gutierrez.

África do Sul, Países Nórdicos, Russos: Com petrodólares os iranianos tem o que quer, inclusive permitindo-se ser a terceira maior comunidade do orkut, perdendo apenas para nós e para os ianques.

Não obstante a isso vale dizer que Teerã é, como toda capital de grande influência no pais e sendo seu prefeito reformista, porque não pensar que este prefeito será o proximo presidente?

Formas de pensar complexas, arranjos políticos intrigantes: Eles têm alguma coisa em comun conosco?

João Antônio Defense Analyst


João Antônio de Almeida Júnior
2006-12-26 13:57:15

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.