Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» A desigualdade brasileira posta à mesa

» Fagulhas de esperança na longa noite bolsonarista

» 1 de setembro de 2020

» O fim do mundo e o indiscreto racismo das elites

» O milagre da multiplicação de bilhões — para os bancos

» Movimento sindical em tempos de tormenta

» 31 de agosto de 2020

» A crucificação de Julian Assange

» Nuestra America: os cinco séculos de solidão

» Ir além do velho mundo: lições da pandemia

Rede Social


Edição francesa


» Et Napoléon III a choisi le libre-échange

» Population du Sri Lanka

» Les damnés de Las Palmas

» Vers une recherche pharmaceutique sans brevets

» Le manifeste qui a failli changer l'Amérique

» Hummocks, sentinelles de notre planète

» Gaz et litige frontalier

» Diaspora libanaise

» Liban : comparaison régionales

» Communautés religieuses au Liban


Edição em inglês


» Back to the JCPOA?

» China's outlaw armada

» Timidity in New Zealand

» November: the longer view

» The defeats of Golden Dawn

» Border tensions

» China: its rise and rise

» China leads the 5G race

» South Korea's feminists fight back

» The biosecurity myth


Edição portuguesa


» Ofereça uma assinatura de 6 meses, apenas €18

» Edição de Novembro de 2020

» A máquina infernal

» Requisição civil

» Um resultado que ninguém aceitará

» Edição de Outubro de 2020

» Distâncias à mesa do Orçamento

» Falsas independências

» Trabalho na cultura: estatuto intermitente, precariedade permanente?

» RIVERA


Comentários sobre esse texto:

DOSSIÊ IRÃ

Senhores,

Não acredito que o Irã tenha interesses militares na tecnologia nuclear. Se assim o fosse, com certeza o programa nuclear Iraniano teria sido conduzido com muito mais sigilo, sem alardes, até a obtenção e domínio completo desta tecnologia.

Além disso, durante o período comunista que dominou Moscou, os persas tiveram tempo mais que suficiente para, juntamente aos homens de vermelho, obterem tecnologia nuclear, pois dinheiro não lhes faltava.

Quanto as dissidências entre o Presidente e os Clérigos Iranianos, penso que são dissidências presentes em qualquer pais.

Elas são óbvias e não penso que o ocidente veja de forma diferente. O Presidente tem seu próprio site na internet cujas interpretações são completamente diferentes da interpretação do "Supreme Leader". Maior loucura ainda: Divergem os dois da agência irna. www.irna.ir.

Eles estão Isolados? De forma alguma. Nós, brasileiros, inclusive somos parceiros deles. Em 1994 construimos TODAS as redes de drenagem de água de Teera, pela construtora Andrade Gutierrez.

África do Sul, Países Nórdicos, Russos: Com petrodólares os iranianos tem o que quer, inclusive permitindo-se ser a terceira maior comunidade do orkut, perdendo apenas para nós e para os ianques.

Não obstante a isso vale dizer que Teerã é, como toda capital de grande influência no pais e sendo seu prefeito reformista, porque não pensar que este prefeito será o proximo presidente?

Formas de pensar complexas, arranjos políticos intrigantes: Eles têm alguma coisa em comun conosco?

João Antônio Defense Analyst


João Antônio de Almeida Júnior
2006-12-26 13:57:15

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.