Jornalismo Crítico | Biblioteca e Edição Brasileira | Copyleft | Contato | Participe! |
Uma iniciativa


» Por que o Brasil precisa de um Estado gastador

» A empregada de Guedes e a cozinheira de Lênin

» Esquerda e governo: ideias e lições históricas (2)

» Evo: Como reconstruir o Socialismo Comunitário

» Educação Pública: E se Bolsonaro destruir o Fundeb?

» Cinema: quando o vazio é combustível à vida

» Boaventura: o desenvelhecimento do mundo

» Coronavírus: por que a ameaça persiste

» Quem tem medo de Bernie Sanders

» A nova face das corporações modernas (2)

Rede Social


Edição francesa


» L'enfance, une espèce en danger ?

» Progrès technologique et régression sociale

» La recolonisation du plus pauvre pays de l'hémisphère occidental

» Taïwan, ou l'indépendance dans le brouillard

» Sur les causes de la pauvreté des nations et des hommes dans le monde contemporain

» La criminalité en « col blanc », ou la continuation des affaires…

» Les manœuvres à l'intérieur du parti de M. McGovern diminuent les chances d'un candidat démocrate

» Un réseau élargi et solidaire

» Images strictement contrôlées

» La leçon de Cro-Magnon


Edição em inglês


» US ideologues in the ascendant?

» US ideologues in the ascendant?

» Rojava, a fragmented territory

» Australia's angriest summer

» February: the longer view

» African national parks managed by African Parks

» Genetic medicine makes the world less fair

» From apartheid to philanthropy

» Who is the land for?

» Belarus, the industrious state


Edição portuguesa


» Edição de Fevereiro de 2020

» O que Donald Trump permite…

» As marcas do frio

» Edição de Janeiro de 2020

» Embaraços externos

» De Santiago a Paris, os povos na rua

» Que prioridades para uma governação mais à esquerda?

» Edição de Dezembro de 2019

» Uma fractura social exposta

» «Uma chacina»


Comentários sobre esse texto:

Washington à beira de um desastre estratégico

Há um erro na estratégia dos EUA para com os paises mulçumanos, o pouco caso que foi dado a esses países historicamente, o não cumprimento das promessas depois que este cumpriam o seu papel, e o apoio incondicional a Israel, tudo isso levou a que os países mulçumanos não cofiassem mais nos EUA e chegou até a espalhar o ódio aos EUA nesta região.
Quanto a questão de Israel os EUA deveriam através de acordo ceder territórios ocupados por Israel, para a própria segurança Israel deveria começar uma conversação de paz com os países árabes, historicamente Israel tem sim direito a esse território, porem com a queda de Jerusalém pelo império romano estes mesmos fugiram, e quem teve que livrar o território da ocupação romana foram os árabes que viveram nela por muitos séculos depois disso, e ao final da segunda guerra mundial, os EUA simplesmente cria no território árabe o Estado de Israel, e este não contem ainda faz incursões para ampliar seu território.
O ódio causado por estes atos são justificáveis.


Thiago
2007-04-17 22:54:53

Washington à beira de um desastre estratégico

Sim, o governo Bush não foi capaz de entender o mundo arabe, por conseguinte adotou politicas equivocadas. Obvio tambem é, que a politica americana é demasiadamente influenciada pelos interesses israelenses.

Por outro lado, deve se reconhecer que, praticamente, é impossivel desenvolver uma politica logica e ampla para uma região controversa como o oriente medio.Apesar dos povos que confessam basicamente a mesma religião não se entendem entre si e são paises estremamente atrasados em relação ao mundo.

Chega ao ridiculo um lider islamico negar a existencia de Israel, quando historicamente se sabe que Israel ja existia quando os tribos arabes eram ainda errantes no deserto.

A conclusão é simples:
Um erro leva a outro
Todos tem razão
Todos estão errados.


Peter Karady
2007-04-03 04:35:22

BUSCA

» por tema
» por país
» por autor
» no diplô Brasil

BOLETIM

Clique aqui para receber as atualizações do site.